E se todos os metais da terra se tornassem líquidos?

Curiosidades
há 6 meses

Você está sentado no carro, esperando o semáforo ficar verde. A temperatura está tão alta hoje que parece que a cidade está prestes a derreter. Você olha para o semáforo e percebe que ele está se deformando, gotas estão pingando dele. Sem acreditar que isso esteja realmente acontecendo, esfrega os olhos com as palmas das mãos e percebe que seu anel de prata está escorrendo lentamente pelo dedo. Você grita de medo pois acha que o metal derretido vai queimar a sua pele, mas nada acontece. O semáforo derrete completamente. A vontade é de pressionar o pedal do acelerador, mas tem apenas algum tipo de líquido sob seus pés. O cinto de segurança se solta sozinho e o carro cede lentamente. Você abre a porta e ela cai.

Então corre para fora do automóvel e o vê derreter lentamente. As rodas, o corpo azul, os detalhes internos, o motor — tudo se transforma em líquido. Apenas os pneus, coisas de plástico, assentos, tapetes e vidros permanecem intactos. Gritos chamam sua atenção, então é possível ver que todos os carros ao seu redor estão derretendo. Você quer filmar isso, mas seu telefone também virou líquido. Então tira a tela de vidro que sobrou e a capinha de plástico. Todos os metais que o cercam estão se liquefazendo. Lâmpadas da rua e pontos de ônibus se transformam em uma massa homogênea. De repente, tudo fica completamente silencioso. Buzinas dos carros, barulhos da rua, sirenes, fumaça dos escapamentos e roncos dos motores — tudo desapareceu. Rios de metal líquido estão fluindo pelas ruas, e você está no meio disso. A correnteza leva os pneus e outras partes do carro. E vai derrubando as pessoas.

Então, um ruído baixo soa pela cidade. As pessoas estão saindo correndo de shoppings, bibliotecas, cafés, casas, centros de negócios. Poças se formam ao redor das casas. Todos os edifícios são feitos com estruturas metálicas, vergalhões e acessórios. Agora está tudo derretendo e escorrendo pelo concreto. Os metais se liquefazem lentamente, então todos devem sair da cidade. Os edifícios estão desmoronando e levantando poeira no ar. Os tampões dos bueiros escorrem, assim como o sistema de esgoto da cidade. Água misturada com metal líquido sai pelas ruas. As pessoas estão nadando nessa massa. E usando centenas de milhares de pneus de borracha como boias salva-vidas. Alguém está até utilizando uma prancha de surfe.

Moedas líquidas escorrem da sua carteira. Centenas de caixas eletrônicos ao redor da cidade estão derretendo. Milhões de cédulas mergulham na correnteza de metal. Todas as reservas de ouro ficam líquidas e pintam a cidade com uma cor laranja. Milhares de cartas flutuam em caixas de correio liquefeitas. Todos os data centers, computadores e servidores viram parte do enorme fluxo de metal. Instantaneamente, todas as informações digitais do mundo desaparecem. Televisores, consoles de jogos, parques temáticos de diversões se transformam nesse líquido. Receptores de rádio, telefones, fios elétricos, cabos e conexões de Internet desaparecem. Milhões de toneladas de metal enchem as ruas e depois correm para os rios e oceanos. A água está ficando com um tom prateado-escuro. Em um dia, as pessoas perdem todas as tecnologias modernas e voltam à Idade da Pedra.

Rios de metal inundam as cidades. As pessoas correm para o campo. Bicicletas, motocicletas e outros meios de transporte desapareceram. Os moradores das áreas urbanas ficam sem eletricidade e todas as coisas que são alimentadas por ela. Também não é seguro ficar em uma área natural. Os metais estão escondidos nas montanhas e no subsolo e agora se transformam em líquido e causam deformação no interior do solo e das rochas. Algumas montanhas estão arruinadas como um monte de sorvete se desfazendo. Terremotos sacodem o chão em todo o mundo. A atividade sísmica desperta vulcões, que espirram uma enorme quantidade de lava e cobrem o céu com cinzas. O magma vulcânico contém muitos metais fundidos. Mas agora eles não se solidificam. Piscinas de lava fria são formadas em torno de vulcões.

As pessoas aprendem a viver de novo em tais condições, constroem casas de plástico e madeira, usando cordas e cola para unir os materiais. Agora pode-se facilmente começar o fogo com madeira e pedra. O vidro é queimado para torná-lo mais forte. São produzidos machados e outras ferramentas de vidro e pedras de alta resistência. Mas esses itens rapidamente se deterioram e quebram. Todos aprendem a construir abrigos, a cavar o solo e a usar tábuas de madeira para apoiar o teto e as paredes. Quase toda a população do planeta vive no subsolo, pois isso ajuda a manter o calor durante o inverno. Mas não é possível ficar assim por muito tempo por causa dos terremotos frequentes.

As carruagens de madeira ressurgem. Começam os problemas com a colheita. Os metais penetram no solo, o que atrapalha o crescimento das plantações. Muita gente vive perto do oceano e, durante os terremotos, sobe em jangadas de madeira ou barcos infláveis ​​e navega para longe da costa. Para viajar longas distâncias, é preciso voar em balões. É possível até chegar a uma cidade vizinha se o vento não levar embora. É impossível enviar uma carta para outro país, já que não há mais ferrovias. Muitos fazem longas caminhadas e vivem como nômades. Há quem use pombos-correios para se comunicar com amigos que moram na cidade vizinha. É difícil conseguir comida e viver no inverno sem eletricidade, mas há esperança.

Os cientistas não conseguem descobrir o motivo da mudança dos metais sem equipamentos técnicos. Mas apresentam a teoria de que aconteceu uma mudança no nível molecular. As moléculas se afastaram umas das outras, o que causou o derretimento. Para voltar a como era, seria preciso conectá-las mais próximas umas das outras. E para isso seria necessária uma corrente elétrica. Felizmente, há o suficiente no céu. Todos os dias, relâmpagos brilham em algum lugar. Só é precisa pegá-los. Os pesquisadores criam recipientes de plástico e os enchem com metal líquido. Todos são conectados por um fio de borracha com cobre fundido no interior. O cobre é um dos melhores metais condutores.

Em um campo enorme são colocadas centenas desses recipientes. As nuvens estão se reunindo, uma forte tempestade começa. O raio atinge o solo várias vezes e, finalmente, o recipiente. Ele passa através de um fio de cobre e distribui a carga para todos os outros tanques. Uma reação em cadeia começa. Quando a tempestade termina, são encontrados recipientes com metal sólido. Funcionou! Agora temos algumas toneladas de metais comuns. Os cientistas enviam pombos-correios para espalhar a notícia. Logo, pessoas ao redor do mundo estão tentando “pegar” o relâmpago. Os metais resultantes são suficientes para construir equipamentos mínimos para uma usina elétrica. A eletricidade é utilizada para transformar metais em ímãs fortes. Ferro líquido, cobre e alumínio infiltraram profundamente no solo e no oceano. Para tirá-los de lá, são construídas estações de mineração de metal.

Primeiro, é feito um buraco profundo no chão, depois um enorme ímã é colocado ali. Os metais líquidos passam pelo solo e grudam no ímã. Os materiais extraídos são aproveitados para a construção de novas estações magnéticas, que são instaladas em todo o mundo. Grandes ímãs surgem nos mares, rios e oceanos. Todo o metal líquido é bombeado para fora da água e transformado em sólido com uma carga elétrica. Então, são criadas ferramentas de metal — machados, serras, máquinas, bigornas, hastes e rodas. Em seguida, são produzidas ferragens e esquadrias de metal para casas. A vida vai melhorando lentamente. São feitas correntes e bicicletas, as fábricas são reconstruídas, além de restauradas ferrovias e lançados os primeiros trens. Uma nova era industrial chegou novamente. Ferro, níquel e alumínio são mais caros que o ouro por causa da enorme demanda por eles. Além disso, separar o cobre líquido da prata líquida e outras operações de separação de metais é uma tarefa difícil. Isso aumenta o preço também.

Quando os metais sólidos se tornam abundantes, o preço deles começa a cair. Anteriormente, para obter ferro, era necessário escavar pedreiras e minas profundas, de onde era extraído minério de ferro. Agora, os metais são líquidos e se atraem graças às forças magnéticas. É possível colocar um ímã longo no chão do seu quintal e, no dia seguinte, ele estará coberto de ferro. A fácil mineração de metais acelera o crescimento tecnológico. Agora, não são necessários fornos para derreter aço ou prata. Eles são obtidos imediatamente na forma líquida. Os metais podem ser derramados em um recipiente e armazenados para sempre na forma líquida. E uma carga elétrica pode torná-los sólidos. Surgem os primeiros aviões e navios. A exportação e importação de mercadorias estão totalmente restabelecidas. Mas as coisas mais rápidas a serem restauradas são as linhas de energia e a Internet. Em um século, a humanidade conseguiu reconstruir completamente as tecnologias modernas.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados