E se as criaturas do mar de repente pudessem voar

Animais
há 8 meses

Ok, foi assim que tudo começou.
Você é acordado por um som estranho. Mas não é o alarme. São 5 horas da manhã. Depois de alguns segundos, dá pra perceber que o som estranho foi uma batida na janela. Mas você mora no 12º andar — quem ou o que pode estar batendo Limpadores de janelas? O seu é um prédio de apartamentos comum, não um arranha-céu com escritórios. As batidas estão ficando mais fortes. Você reúne coragem e vai até lá, pega a cortina e abruptamente a puxa para o lado...
E o que vê é fantástico. Pequenos peixes voando (ou flutuando) do lado de fora. Milhares deles! Um cardume de sardinhas subindo direto para o céu.

Algumas batidas na janela quando passam. São tantos peixes que não dá para ver o que está acontecendo lá fora. Mas quando o último passa voando, a imagem completa se abre diante de seus olhos.
Peixes grandes e pequenos estão voando entre as casas. Os polvos cortam o ar com seus tentáculos em uma nuvem de chuva. Uma enorme baleia vaga lentamente em direção ao horizonte. Acima do telhado de uma casa próxima, dois tubarões perseguem quatro leões-marinhos. Um vizinho acena. Ele segura uma vara de pescar na janela e espera o peixe morder a isca. Uma excursão — não, um bando — de golfinhos passa voando lá fora. Eles assobiam alegremente, como se o estivessem cumprimentando. O que está acontecendo?

Você liga a TV. Todos os canais estão falando a mesma coisa: as criaturas marinhas aprenderam a voar, deixando o oceano e enchendo o ar. Todos os voos no mundo inteiro foram cancelados, e os navios de pesca estão ociosos nos mares, oceanos, lagos e rios. E ninguém sabe o que aconteceu.

Você se veste e sai. As tartarugas marinhas rastejam pelo chão. Elas se agitam, batem as barbatanas e se erguem no ar. Um bando de camarões passa voando ao seu lado. O oceano perdeu a gravidade? O que aconteceu com toda a água? Você mora em uma cidade portuária, perto do mar, então decide ir até a praia.
Ao chegar, vê que a água está calma. A gravidade parece estar intacta. Mas as criaturas do mar continuam alçando voo.

Seis meses depois

As pessoas gradualmente se acostumam com esse novo fenômeno natural. Os peixes ocupam a maior parte do céu. Algumas criaturas marinhas penetram nas camadas intermediárias da atmosfera. Aves menores quase desapareceram com a presença dos peixes predadores no céu. Mas as de rapina que caçam peixes ganharam peso. Comeram tanto que não podem mais voar. Gaivotas, albatrozes, águias e pelicanos gordos mal conseguem andar e quase não se sustentam.
Os aviões pararam de voar e as viagens de navios se multiplicaram. O ecossistema do mundo está mudando completamente.

O oceano fica sem vida. Bactérias, micróbios e vários nutrientes na água se mudaram para o ar. As pessoas adoecem com mais frequência e, em algumas áreas, fica difícil respirar. Quando chove, milhões de camarões e pequenos peixes caem no chão junto com a água. Muitos mamíferos predadores que se alimentam de peixes começam a morrer de fome. Eles saem para as ruas e cidades em busca de comida.

Os cientistas pesquisam as criaturas voadoras e descobrem que, de alguma forma, elas mudaram a estrutura de seus pulmões. Mas como os peixes conseguiram voar ainda é desconhecido. Parece que a natureza simplesmente decidiu empurrar as pessoas para fora de seu ambiente normal.
Pescadores constroem balões para pescar no céu. Alguns atletas jogam um laço nas baleias voadoras e as montam como se fossem enormes cavalos — embora a aterrissagem possa ser difícil. Criaturas que antes nadavam apenas nas profundezas do oceano se estabelecem em grandes altitudes.

Os pesquisadores descobrem novas espécies de peixes antes desconhecidas. Das profundezas do oceano, um polvo gigante surgiu. Muitos o chamam de Kraken. Este monstro encontrou um novo lar, bem no topo do Monte Everest. Agora todo mundo está com medo de escalar essa montanha.
As criaturas de águas mais profundas alcançam o espaço. Na ISS, os astronautas observam animais incríveis voando, que se parecem com alienígenas vindos de outros planetas, não seres da Terra.

Em algumas áreas, os tubarões descem ao solo para se alimentar. Nesses lugares, as pessoas têm medo de sair. As empresas de pesca compram enormes boeings e os equipam com redes para pegar peixes no ar. Mas os voos não são mais seguros, especialmente quando uma baleia aparece de repente no caminho.
As autoridades impõem toques de recolher em muitas cidades. As pessoas sobem aos telhados e assistem a uma cena incrível à noite: águas-vivas flutuando no ar. Graças à proteína bioluminescente, elas brilham — as estrelas no céu se misturam com as criaturas transparentes de néon. Mas, cuidado!! Há espécies muito venenosas. Algumas pessoas ficaram tão fascinadas com as belas águas-vivas que as tocaram e foram parar no hospital.

As lulas, assustadas com as novas condições, soltam tinta no ar. Quando muitas fazem isso, a tinta bloqueia a luz do sol. Engarrafamentos enormes aparecem nas ruas porque enguias elétricas voam pelas ruas e chocam-se com os semáforos.
Enquanto toda a humanidade está olhando para o céu, quase ninguém percebeu o que está acontecendo aqui. Em todo o mundo, pessoas com uma anomalia física estranha aparecem em hospitais. Buracos estranhos se formam sob as orelhas. Os médicos não entendem com o que estão lidando, mas então um dos pacientes pula em um lago e descobre que consegue respirar debaixo d’água. Todas as pessoas estão desenvolvendo guelras.

No início, a maioria se recusa a mergulhar. Mas os pulmões alterados forçam a fazer isso, caso contrário é preciso passar o resto da vida com uma máscara de gás. Algumas pessoas ficam felizes em mergulhar e começar uma nova vida. O corpo humano se adapta às baixas temperaturas e às altas pressões. Há muito trabalho pela frente para criar cidades e infraestrutura, mas as coisas não estão tão ruins. Há mais espaço na água do que na terra firme.

Um ano depois

A humanidade começa a migrar totalmente para os oceanos. Mas em vez de uma nova vida, o que se encontra é... lixo — muito lixo. Bilhões de toneladas de plástico flutuam na água. A nova casa acaba sendo um enorme depósito de lixo que foi criado pelas próprias pessoas. A reciclagem global de plástico começa em todas as águas. Todos os dias, são retiradas toneladas de lixo do oceano. A água está ficando mais limpa. Depósitos de lixo aparecem em terra.

Cinco anos depois

A água fica mais limpa. As pessoas não vivem mais no lixo. Todo o plástico está na terra. Assim que o problema é resolvido, a humanidade começa a construir cidades subaquáticas. Mas então todos os peixes começam a cair nos mares e oceanos. Tudo volta ao seu modo de vida normal. As pessoas perdem as guelras e agora estão de volta à terra. As criaturas marinhas vivem em água limpa mais uma vez.
Filósofos e cientistas de todo o mundo acreditam que, dessa forma, a natureza ensinou a todos uma lição. Entendemos como é viver em um mundo de lixo e como devemos cuidar do planeta. As pessoas estão fazendo um esforço considerável para preservar a natureza do planeta. São construídas fábricas de reciclagem de resíduos. Todo mundo para de usar plástico. A harmonia começa entre o homem e a natureza novamente.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados