Artista doa tatuagens de henna para quem perde o cabelo com a quimioterapia

Mulher
há 11 meses

Ver o processo de cura de uma maneira positiva é uma excelente forma de se manter firme durante esse período. Felizmente, existem boas pessoas no mundo que se preocupam com a caridade e em trazer felicidade para esses momentos tão delicados. Uma dessas pessoas é a Sarah, uma artista que doa seu tempo e trabalho para ajudar pacientes de quimioterapia. Confira essa história!

Como uma triste história foi o começo de uma grande jornada

Em entrevista à nossa equipe, Sarah contou como esse projeto começou. No aniversário de sua mãe, junho de 2004, a família recebeu o diagnóstico de câncer para o padrasto de Sarah e ele faleceu exatamente seis meses depois. “Sempre tive uma relação muito próxima com a minha mãe. Foi excruciante vê-la sofrer durante a batalha do meu padrasto. Eu a apoiei o melhor que pude, mas realmente me senti impotente. Eu não podia tirar a dor dela”, contou.

Alguns anos depois, em 2011, outra amiga de sua mãe recebeu o triste diagnóstico. Essa amiga estava em processo quimioterápico e havia perdido seu cabelo. Na época, Sarah já trabalhava com henna profissionalmente há cerca de dois anos, e sua mãe achou que seria uma boa ideia ter uma bela arte na cabeça que havia recebido alguns espaços em branco.

“A amiga dela concordou, então passei uma tarde aconchegante com ela e minha mãe conversando, tomando café e criando seus designs. A henna é incrivelmente terapêutica, então foi uma experiência maravilhosa para nós três. Acho que ver quanta alegria isso trouxe para minha mãe e sua amiga realmente acendeu um fogo em mim para começar a oferecer isso como um serviço a qualquer pessoa em circunstâncias semelhantes”, revelou.

Então, apesar das críticas de seus colegas de trabalho, Sarah fundou o Henna Crowns Project (Projeto Coroas de Henna). Um projeto filantrópico que torna as coroas acessíveis a todos e traz uma alternativa bonita e temporária para perucas e chapéus.

Uma arte que desenvolve o bem-estar através da autoestima

“Lembro-me de que, alguns anos atrás, um ou dois colegas criticaram minha decisão de fazer isso. Eles sentiram que isso desvalorizava o trabalho que fazemos como artistas. Discordo. Pelo contrário, há um enorme valor em tornar esse serviço tão necessário acessível àqueles que já estão sobrecarregados com dívidas médicas”, explicou.

O autocuidado é incrivelmente importante, especialmente quando confrontado com o estresse e os desafios que acompanham o tratamento quimioterápico. A partir dessa arte, muitas mulheres se sentiram empoderadas. “Elas olham para as fotos que eu mostro. E ficam, tipo: ’Oh meu Deus, eu não posso acreditar que isso está na minha cabeça’”.

“Em todo lugar que vou, pelo menos algumas pessoas comentam como minha coroa é bonita. Agora acho que estou realmente ansiosa para sair em público, para ver quem terá coragem de me abordar para falar sobre minha cabeça :) Sua arte me empoderou!”, disse uma das mulheres atendidas.

Como uma boa ação estimula outras boas ações

Como uma demonstração clara de que boas ações chamam outras boas ações, uma das mulheres ajudadas no projeto de Sarah, e que faz parte de sua vida, possui uma organização que fornece fotos profissionais para crianças e famílias que enfrentam doenças com risco de vida. Ela e sua equipe de fotógrafos costumam receber ligações no meio da noite de hospitais da região, com pedidos urgentes para famílias necessitadas. Você pode clicar aqui para mais informações da organização Soulumination.

O que achou da iniciativa de Sarah? Se conhece outros projetos filantrópicos, não deixe de compartilhar conosco nos comentários. 😉

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados