A jovem com Síndrome de Ambras cresceu: Feliz e casada, ela revela sua nova imagem sem pelos faciais

Gente
Há 3 semanas

Uma jovem, antes rotulada de “menina-lobo” e “cara de macaco” pelos colegas, sabia que sua condição não a impediria de encontrar a felicidade. Finalmente, ela encontrou o amor de sua vida, e sua história revela o profundo impacto que esse encontro lhe trouxe.

Supatra “Natty” Sasuphan, que já foi rotulada de a garota mais peluda do mundo, enfrentou o constrangimento e o medo pelo bullying de seus colegas de classe devido à sua aparência

Em 5 de agosto de 1999, algo importante aconteceu na família de Supatra. Normalmente, quando um bebê nasce, os pais se sentem muito felizes e animados. Com os de Supatra, Sompon e Samrerng, não foi diferente.

Mas a felicidade do casal se misturou com surpresa, medo e descrença quando o médico lhes disse que a bebê tinha muitos pelos corporais. No início, acreditaram ser normal, mas quando a viram na incubadora, ficaram chocados com a quantidade. Quase todo o corpo de Supatra era coberto por pelos, e mesmo os médicos da Tailândia nunca haviam visto alguém como ela.

Mais tarde, os médicos descobriram que Natty tinha uma doença de pele muito rara chamada Síndrome de Ambras. Essa condição é tão incomum que há apenas 50 casos como o dela documentados em todo o mundo.

A síndrome de Ambras causa crescimento excessivo de pelos no corpo, provavelmente devido a uma mudança repentina no DNA, exceto nas palmas das mãos, nas plantas dos pés e na parte interna da boca

Quando Natty nasceu e sua mãe quis sair do hospital, os médicos não permitiram por temerem que ela deixasse a criança. Sompon disse ao médico que nunca abandonaria sua filha, independentemente do que acontecesse. Ela disse: “Temos sorte por ela ter nascido na nossa família”.

Natty cresceu em uma família amorosa, mas nem todos compreendiam sua condição, e ela teve de lidar com a indelicadeza de estranhos e colegas da escola.

À medida que Natty crescia, seu rosto foi escondido atrás de pelos grossos devido à incurável síndrome de Ambras. Métodos regulares, como a remoção a laser, não conseguiram diminuir o crescimento dos pelos. Na escola, sua aparência única foi motivo de ridicularização. As crianças a chamavam por apelidos como “menina-lobo” e “cara de macaco”.

Natty, no entanto, não entendia por que a provocavam, pois se considerava uma garota normal, apenas com um pouco mais de pelos no corpo. Ela chegou a declarar: “É assim que eu sou”.

A professora de Natty, Kuljira Posaeng, revelou que as outras crianças a princípio se assustaram com a aparência da menina, dificultando seus primeiros dias de colégio. Porém, com o tempo, Natty provou ser como qualquer outro aluno. Os professores a descreveram como esforçada e com boas notas, e ela acabou se tornando uma das crianças mais populares da escola.

Os professores confirmaram que Natty era uma garota animada, que adorava cantar, dançar e fazer teatro. Seus pais sempre a trataram como qualquer outra criança e nunca a deixaram se sentir menos importante. Eles a levavam a todos os lugares e não se envergonhavam da filha por ser diferente das outras crianças.

Mais tarde, Natty encontrou seu amor

Natty aceitou sua condição, entendendo não haver cura para o seu problema. Então, decidiu manter os pelos corporais que cresciam naturalmente desde o seu nascimento, eliminando-os apenas do rosto, quando entrou na adolescência. À medida que crescia, sua autoestima e autoimagem foram se tornando mais importantes para ela, que também encontrou o amor.

Natty compartilhou: “Começou com uma amizade, depois nos tornamos um casal”. As conversas com o namorado lhe trouxeram felicidade, e estar com ele lhe fazia muito bem, pois sentia um amor que sempre lhe pareceu impossível: “Foi uma paixão, um amor que não esperava acontecer comigo.

Mais tarde, Natty se casou com o namorado e o chama de “o amor da minha vida”

Também postou fotos com seu amado, mostrando seu rosto sem os pelos. Algumas pessoas pensaram que ela poderia ter se curado, mas seu pai explicou que a filha optou por raspar os pelos faciais para revelar sua nova aparência. Agora, seus olhos, rosto, boca, lábios e bochechas estão visíveis, com os cabelos cobrindo apenas a testa com uma simpática franjinha.

Natty, que encontrou o amor e a felicidade, está determinada a levar uma vida positiva e continuar causando um belo impacto na sociedade. A jovem acredita que todos são bonitos e únicos à sua maneira e quer inspirar outras pessoas a abraçar sua individualidade e irradiar sua beleza interior.

Antes de ir, não deixe de conferir outro artigo que conta a história de Jesús Aceves, também portador de hipertricose (outro nome para a síndrome de Ambras), e sua dificuldade de encontrar trabalho fora do circo.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados