14 Truques psicológicos usados por supermercados para gastarmos mais dinheiro

Psicologia
há 2 anos

Ir ao supermercado é sempre uma experiência que envolve rotina: fazemos uma lista, planejamos o melhor dia e o melhor horário para evitar grandes filas e sempre entramos com a expectativa de encontrar tudo que precisamos. Mas nós não somos os únicos que pensamos na nossa compra. Os grandes supermercados usam alguns truques psicológicos para as pessoas gastarem mais do que planejaram. Essas armadilhas são muito frequentes e por isso é importante conhecê-las.

O Incrível.club pesquisou quais são os truques mais usados pelos supermercados. Confira agora mesmo e veja tudo que pode acontecer com uma simples ida ao supermercado.

  • Os supermercados costumam colocar muitos carrinhos ao lado da entrada, mas eles não estão pensando na comodidade dos seus clientes, eles querem que as pessoas comprem vários produtos de que não precisam. Segundo Martin Lindstrom, consultor de marketing e autor do livro Brandwashed: o Lado Oculto do Marketing, foi realizado um experimento em que duplicaram o tamanho dos carrinhos e o resultado foi um aumento de 40% nas compras.

  • Os supermercados sabem muito bem como aproveitar as festas, como Natal, Páscoa ou Dia dos Namorados, muitas vezes chamadas de “Dias D”. Nessas épocas do ano é possível ver muitos produtos (sobretudo chocolates) que fazem referência a essas celebrações. Às vezes a compra se concretiza e às vezes não, mas a necessidade criada pelo supermercado sempre é internalizada pelo consumidor.

  • Outro truque usado é colocar frutas, verduras ou até mesmo uma padaria no primeiro corredor ou perto da entrada. A lógica, segundo o artigo Grocery Shopping for Your Health, da Universidade Butler, é criar a “zona de descompressão”, um espaço que mistura aromas e cores que nos fazem sentir bem e saudáveis, mas que nos levam a comprar outros produtos de forma impulsiva. Segundo a publicação da universidade, “Não é segredo para ninguém que muitas pessoas têm o objetivo de comprar alimentos saudáveis, mas o entorno faz com que essa intenção seja difícil de se concretizar”.

  • Outro aspecto que os supermercados exploram é a fome de quem está fazendo compra. “Fazer compras com fome é uma receita para o desastre, sobretudo quando a pessoa tenta resistir aos doces e aos alimentos mais calóricos. Quando o corpo humano sente fome, ele tende a perder o autocontrole, principalmente quando está cercado de comida”. Esse é mais um detalhe do artigo Grocery Shopping for Your Health, da Universidade Butler. O psicólogo Adrián Triglia explica neste artigo como se dá essa perigosa combinação e como evitá-la.

  • As amostras grátis são outra estratégia para incentivar o consumo. Você já foi ao supermercado e recebeu amostra de produtos como carne, queijos ou doces? Segundo um artigo de 2004 do Supermarket News, 68% dos consumidores em Indianápolis (Estados Unidos) disseram que as amostras os convenceram a comprar, o que foi muito bom para os supermercados, que tiveram as vendas de alguns produtos em promoção aumentadas entre 600% e 2.000%.

  • Uma estratégia muito conhecida é colocar produtos dentro do campo de visão dos clientes para influenciar as compras; ou seja, ficamos com vontade de comprar e esquecemos o preço. No caso das crianças, por exemplo, os cereais sempre têm personagens em suas caixas e são colocados na altura dos olhos delas. O artigoOlhos nos corredores, por que o Captain Crunch está olhando para o meu filho?” (em tradução livre) — depois de serem realizados dois estudos diferentes para medir os sentimentos e a localização desse produto no supermercado — revelou que o contato visual das crianças com os personagens dos cereais gera sentimentos positivos, o que significa também maiores vendas. No entanto, em países como Chile e México estão sendo proibidos os recursos para chamar a atenção das crianças, sobretudo pelos altos índices de obesidade que afetam os dois países.

  • Outra armadilha que muitas vezes funciona é a do “3×2”, ou “Compre um e leve dois”, embora nem sempre ofereça tantos benefícios como parece. O “3×2” consiste num desconto de 33% em cada uma das unidades, mas sempre vem com a obrigação de comprar três produtos para conseguir a promoção. E claro, há muitos outros exemplos citados no site do banco ING.

  • Também existem os chamados “preços psicológicos”, estabelecidos como um valor adequado para certos momentos da compra. Segundo Patricia Bueno em seu artigo Preços psicológicos: o que são e cinco estratégias explicadas com exemplos (em tradução livre), existem cinco truques de preços psicológicos: preço redondo, ímpar, habitual, relativo e de prestígio. O preço ímpar é o mais comum nos supermercados e aparece de diferentes formas: números ímpares dão a sensação de que algo está mais barato ou em oferta e valores acabados em nove nos fazem pensar que estão abaixo do preço. Por exemplo, um produto cujo preço real é cem reais, mas que o supermercado anuncia como estando em oferta pelo valor de 99 reais.

  • A música que colocam no supermercado também pode ter uma importante influência nas compras. Música lenta e tranquila faz as pessoas passarem mais tempo nos corredores, portanto comprando mais.

  • Nos sites dos supermercados é muito comum aparecer o aviso de que só falta um pouco para o frete ser de graça. Embora não seja tão cruel, é um truque que pode afetar o bolso de alguns clientes.

  • Quando vamos ao supermercado, percebemos que determinados produtos básicos não estão no mesmo lugar, o que nos obriga a caminhar por todos os corredores. Como se não bastasse, as lojas sempre trocam os produtos de lugar, como em uma espécie de jogo que nos obriga a cruzar os diferentes corredores para encontrar um produto. Isso deixa as pessoas desorientadas e elas acabam levando mais do que o necessário.

  • O supermercado utiliza uma iluminação especial para que as verduras pareçam mais frescas, como se tivessem acabado de chegar de uma fazenda. A luz é importante e influencia muito a compra porque ressalta alguns determinados produtos. “Uma iluminação adequada faz com que os clientes se sintam atraídos pelos produtos e comprem mais. Além disso, foi comprovado que a temperatura da cor e a cromática natural condicionam as vendas e interferem na experiência de compra de cada cliente”. Esses comentários foram feitos por fornecedores de serviço de iluminação para supermercados.

  • As cores são muito relevantes na psicologia porque nos “dizem” diferentes coisas. Talvez você não tenha percebido, mas o ambiente onde compramos peixe e queijo é sempre branco. Por quê? Porque esse tom ajuda as pessoas a perceberem esses produtos como mais frescos, puros e limpos.

  • Nos caixas são sempre colocados produtos “úteis”, como pilhas, doces, revistas, refrigerantes, água ou outros que sempre geram uma sensação de “cuidado para não esquecer”.

Existem, portanto, muitos truques para incentivar as compras. Você acha que já se deixou levar por algum deles? Conhece outros? Conte nos comentários.

Comentários

Receber notificações

Eu estou aprendendo aind a a fazer compras, então essas dicas são mesmo valiosas pra mim, obg

-
-
Resposta

Isso eu já tinha sacado há um tempo, não levo criança, quando meu enteado era criança, e nã vou com fome, senão é batata compra porcarias

-
-
Resposta

EU SO COMPRO NO MERCADINHO DA RUA E NUNCA VI ESSAS COISA MAS SEMPRE TEM PROMOCAO DE SABAO E PAO DE FORMA

-
-
Resposta

Eu gosto de comprar online porque consigo escapar mais dessas pegadinhas, mas tem uma loja online que cobra tipo 70% do frete se vc for pegar na loja, qual o sentido disso minha gente?

-
-
Resposta

Amo comprar em supermercados bonitos e bem arrumados, não gosto de supermercados básicos e tudo isso que foi falado no teto eu me identifico, adoro novidades!

-
-
Resposta

Artigos relacionados