10 Coisas inesperadas que o seu DNA pode dizer

há 3 anos

Desde que os cientistas decifraram o genoma humano, eles encontraram milhares de genes responsáveis ​​por várias características e habilidades que se manifestam em nossas vida e nos tornam únicos. Mas alguns genes têm propriedades extremamente incomuns que nem podemos imaginar.

Incrível.club compilou para você 11 das coisas mais inesperadas que podemos descobrir a partir de nosso DNA.

1. Nível de inteligência

Pesquisadores da Inglaterra descobriram um gene responsável pelos melhores resultados em testes de QI. Seus portadores aprendem mais rápido, memorizam melhor as informações e ficam menos cansados fazendo um trabalho intelectual difícil.

Além disso, certas áreas deste gene são responsáveis ​​pela formação de memórias, concentração e proficiência linguística. Ele foi encontrado em 60% das crianças e, graças a essa descoberta, foi possível criar programas de estudo individuais para cada pessoa.

2. Gene do ouvido musical

Pesquisadores da Universidade de Helsinque coletaram amostras de sangue de 767 pessoas (de 7 a 94 anos). Ao mesmo tempo, algumas famílias gostavam de música, enquanto outras não. Então eles pediram a todos para passar por um teste musical. O DNA daqueles que passaram com sucesso no teste teve uma diferença significativa no cromossomo 4. Os genes GATA2 e PCDH7 são responsáveis ​​pela aptidão musical.

Então, da próxima vez que for cantar no chuveiro ou no karaokê e soltar uma nota errada, você pode culpar esses genes.

3. Uma dieta que coincida com seu DNA

Um fato bem conhecido, a mesma dieta pode ter um efeito incrível em algumas pessoas e não em outras. Por quê?

A resposta está no nosso DNA. O equilíbrio adequado de gorduras, carboidratos e proteínas pode ser genético. Ou seja, todos nós temos organismos diferentes, e quando o equilíbrio de uma dieta é próximo ao do seu DNA, funciona. Caso contrário, terá um efeito negativo.

  • Um estudo realizado na Universidade de Stanford mostrou que as pessoas que fizeram uma dieta adequada à sua composição genética perderam 250% mais peso e se sentiram melhor do que aquelas que seguiam regimes geneticamente inadequados.

4. Sociabilidade

Pesquisadores de Harvard estudaram os resultados de pesquisas com mais de 1.000 adolescentes (gêmeos idênticos e bivitelinos), compararam o número de amigos, a natureza de suas amizades e descobriram que a sociabilidade, como propriedade de caráter, é baseada na estrutura genética.

Ou seja, os cientistas acharam a resposta para a pergunta por que algumas pessoas são a alma do grupo e outras evitam a comunicação: elas simplesmente têm genes diferentes.

5. Você pode ser um guloso genético

Nossos genes podem influenciar os alimentos de que gostamos. Por exemplo, num estudo, observou-se o “fenômeno do dente doce”. Pessoas com um determinado gene (TAS2R38) comeram mais açúcar desde a infância.

  • Mutações no gene MC4R fazem com que uma pessoa prefira alimentos gordurosos, e aqueles com diferenças nos genes FADS1 e FADS2 são vegetarianos.
  • Um grupo de pesquisadores de Harvard encontrou um gene responsável pelo efeito que o café tem sobre nós. Assim, responderam sobre o motivo de algumas pessoas precisarem de mais cafeína para acordar.

6. Um legado que você não conhecia

Os genes contêm todas as doenças, e não apenas as nossas, mas também as dos nossos ancestrais.

Portanto, os geneticistas podem lhe informar sobre a probabilidade de uma determinada doença ocorrer durante a sua vida ou na sua velhice. Por exemplo, o gene STK39 é responsável pela probabilidade de desenvolver hipertensão. E mutações nos genes BRCA1 e BRCA 2 ajudam a determinar o risco de câncer.

Naturalmente, não é 100% certo que uma pessoa que tem (ou não) um certo gene adoecerá de alguma coisa. Mas, sabendo que a probabilidade de ter essa condição é alta, você pode tomar medidas preventivas e cuidar da sua saúde.

7. Habilidades criativas

A partir dos genes você pode descobrir se tem uma propensão para o trabalho criativo.

Um estudo com 130 mil europeus mostrou que há um certo grupo de genes responsável por quanto a pessoa pode ser apaixonada pela arte. Mas o problema é que o mesmo grupo é responsável pela probabilidade de desenvolver esquizofrenia.

8. Esperança de vida

A longevidade é atravessada por muitos fatores. No entanto, estudos recentes mostraram que alguns genes podem ser responsáveis ​​pela regulação do processo de envelhecimento.

  • Pesquisadores da Universidade de Tóquio descobriram um gene especial que só os homens têm, graças ao qual eles desenvolvem corpos maiores e mais fortes. Também é responsável pelo fato de, na média, as mulheres viverem mais.
  • Em 2010, cientistas da Inglaterra mostraram que os vermes que tinham o gene DAF-16 (que também está presente em muitas pessoas, mas não em todas) tinham uma vida mais longa e eram mais resistentes a doenças e ao estresse.

9. Esportes recomendados

O DNA, em 66 %, pode determinar os riscos de lesões e a predisposição para algum tipo de esporte.

  • Por exemplo, o gene ACE tem a ver com talentos atléticos e regula a pressão arterial. Se uma pessoa tem uma das formas desse gene, então podemos dizer que suas características físicas lhe permitem praticar esportes e ser mais resistente do que outras.
  • O gene ACTN3 é responsável pelo desenvolvimento da musculatura. Foi descoberto apenas naqueles atletas que se dedicam à corrida. No entanto, os corredores de longa distância têm uma versão e os velocistas, outra.

Com a ajuda de um teste genético, os pais podem descobrir que tipo de esporte será mais adequado para seu filho.

10. Qualidades únicas

Audição perfeita, pensamento abstrato, sensibilidade à dor, temperamento, memória episódica e até mesmo o hábito de espirrar com luz (a propósito, algo não particularmente útil): muitas características únicas também são determinadas pelos genes.

As dezenas de genes conhecidos pelos cientistas são responsáveis ​​por todas essas “superpotências”. Sua presença ou ausência determina o que você pode fazer melhor do que outros.

Mas nem tudo está nas mãos da genética

Um teste genético ajudará a determinar a propensão da criança para esportes, descobrirá as qualidades e doenças inatas que podem ser esperadas no futuro e ajudará a preveni-las.

Mas nem toda a nossa vida é determinada por genes. O DNA estabelece uma direção que será mais fácil de seguir. Por exemplo, o desenvolvimento do ouvido musical depende mais do ambiente em que uma pessoa cresceu e de sua educação musical, enquanto os feitos esportivos são baseados na perseverança de uma pessoa.

Portanto, apesar do fato dos genes determinarem em grande parte nossas qualidades iniciais, eles não determinam o que seremos na vida.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados