10 Cantores que também já demonstraram seu talento no cinema

Famosos
há 11 meses

Muitas pessoas adoram música, outras preferem um bom filme com pipoca. Contudo, tem gente que ama os dois universos e se sente presenteada quando eles se misturam. Para a nossa sorte, muitos cantores brasileiros já se aventuraram no cinema e na TV e, em vários casos, surpreenderam com a diversidade do seu talento. Então, que tal fazermos uma viagem no tempo para relembrarmos as vezes que alguns cantores brasileiros tiraram folga dos palcos e brilharam em filmes e séries? Confira!

1. Supla

O “charada brasileiro” já era conhecido no meio musical, especialmente no cenário punk rock, quando estreou como ator em 1990, no filme dos Trapalhões, Uma Escola Atrapalhada, você lembra? A aposta foi alta, já que ele ganhou o papel do protagonista, Carlão, o aluno mais popular do colégio. Depois disso, o cantor fez participações esporádicas como ator, sendo as mais recentes no filme Meu Amigo Hindu, de 2016, e uma participação especial na novela Carinha de Anjo, ao lado da Maísa.

2. Angélica

Angélica começou sua carreira musical aos 13 anos, quando fez parte do grupo infantil Ultraleve, ao lado de Rodrigo Faro e Ticiane Pinheiro. Ela já não canta mais, mas deixou na nossa memória sucessos como Vou de Táxi, Amor AmorAlgodão Doce e Guaraná. Ainda que seja muito conhecida como apresentadora, ela também teve uma carreira expressiva como atriz. Quem não se lembra da Fada Bela em Caça Talentos?

Contudo, não foi apenas na TV que a loira brilhou. Angélica também estreou no cinema ao lado dos Trapalhões, em Os Heróis Trapalhões — Uma Aventura na Selva e no mais conhecido Os Trapalhões na Terra dos Monstros. Aliás, ela era o par romântico de Supla em Uma Escola Atrapalhada. Depois dos anos 2000, Angélica apareceu cada vez menos em filmes, sendo os últimos Xuxa e o Mistério de Feiurinha, em 2009, como Rapunzel, e depois só em 2020, na comédia De Perto Ela Não É Normal.

3. Daniel

O cantor sertanejo Daniel tem poucas participações como ator, se tirarmos as vezes nas quais apareceu interpretando ele mesmo. No cinema foram apenas três: estreou em Xuxa Requebra, em 1999; depois fez Didi, o Cupido Trapalhão, em 2003; e O Menino da Porteira, em 2009. No último, a crítica considerou que a falta de experiência de Daniel como ator não comprometeu a qualidade do filme. Mesmo assim, parece que ele preferiu se limitar à música mesmo.

4. Ivete Sangalo

Desde 1993 com uma carreira musical mais que sólida, Ivete Sangalo também já se aventurou em outras áreas, inclusive no cinema. Sua primeira vez também foi ao lado de Didi, em Simão, O Fantasma Trapalhão, de 1998. Desde então, ocasionalmente ela aparece em um filme ou outro, como Alzira, a mãe de Crô, em Crô — O Filme, de 2013. Veveta também fez dublagem em animações (Magnólia, de Os Smurfs e a Vila Perdida) e está ao lado de Angélica em De Perto Ela Não É Normal.

5. Sandy

Antes ainda de Ivete, Sandy já nos encantava cantando Maria Chiquinha com Junior, em 1991. Até sua estreia no cinema foi antes da baiana, em 1997, quando estrelou ao lado do irmão (e de Didi) em O Noviço Rebelde. Em seguida, os irmãos lançaram a ficção científica Acquaria e sua atuação agradou à crítica. Entretanto, antes disso, já tinha feito participações especiais na TV, como em A História de Ana Raio e Zé Trovão.

Mais tarde, Sandy demonstrou que ainda está a fim de experimentar coisas novas e estrelou, em 2014, um filme de terror, Quando Eu Era Vivo, com Antonio Fagundes no elenco. Mais uma vez, a cantora surpreendeu pela sua atuação em um gênero mais complexo, atraindo críticas positivas pela dualidade de sua interpretação. Além disso, Sandy também ganhou uma personagem para dublar, a elefanta Meena em SingSing 2, dublada no original pela também cantora Tori Kelly.

6. Rita Lee

Rita Lee merece o apelido carinhoso de “vovó do rock”. Na carreira musical desde a década de 1960, ela influenciou diversas gerações de músicos e também tem experiência como atriz. Seu primeiro papel no cinema foi em 1968, no filme As Amorosas, e seguiu com atuações esporádicas, inclusive dublando a Rê Bordosa das tirinhas de Angeli, que é a cara da cantora. Uma das suas participações especiais mais recentes foi como o vilão Grão Mestre, em Manual para se Defender de Aliens, Ninjas e Zumbis.

7. Alceu Valença

Ao lado de Rita, Alceu Valença é outro patrimônio da MPB, que transita perfeitamente do forró ao rock ou do baião ao maracatu, desde 1971. Como ator, tem poucos trabalhos, sendo o primeiro em 1974, como o Espantalho em A Noite do Espantalho. Contudo, o destaque vai para A Luneta do Tempo, de 2016, no qual Alceu atua e assina a direção e o roteiro. A produção mistura o cordel do nordeste brasileiro com os filmes de velho oeste americano, o que agradou demais à crítica especializada.

8. Paulo Miklos

E temos também Paulo Miklos, ex-integrante da banda Titãs que, diferentemente dos outros citados aqui, teve muito mais participações como ator — 50. Apesar de estar no ramo musical desde o fim dos anos 1970, foi só em 2000 que ele estreou como ator, no curta-metragem O Barato é Ser Careta e, em seguida, protagonizou O Invasor, em 2001.

Curiosamente, o próprio Paulo Miklos revelou que sua carreira como ator começou por acidente. Em entrevista a Zeca Camargo, ele afirmou que sempre gostou de interpretar suas músicas com maior afinco. Um dos diretores de clipes dos Titãs notou que Paulo tinha talento e o escalou para O Invasor. O “acidente maravilhoso”, nas palavras do artista, rendeu diversos outros papéis, como o marcante vilão Gonzales, em Carrossel, e Décio, em Manhãs de Setembro, ao lado de Liniker e Seu Jorge, em 2021.

9. Luiz Melodia

Entre as muitas habilidades musicais de Luiz Melodia, também havia espaço para a atuação. Sua estreia foi em 2004, no filme Quase Dois Irmãos, no qual interpretou Seu Jorge. Não o Seu Jorge real, mas um personagem, respeitado sambista dos anos 50. No ano seguinte, Luiz atuou em Casa de Areia, como Massu, cuja versão mais jovem foi vivida por Seu Jorge — agora sim, o real. Além desses filmes para o cinema, Luiz também atuou na série Open Bar e na novela Bang Bang, de 2005.

10. Seu Jorge

E já que mencionamos tanto Seu Jorge, precisamos encerrar falando da sua carreira como ator. O cantor estreou no cinema em grande estilo, como Mané Galinha, em Cidade de Deus. Desde então, participou de várias produções, inclusive em Pelé: O Nascimento de Uma Lenda, Pixinguinha, Um Homem Carinhoso e até na série Paciente 63, lançada em episódios como um podcast. Nesse último, ele interpreta um homem que alega ter vindo do futuro e é internado em um hospital psiquiátrico.

Inclusive, Seu Jorge tem nos dado orgulho com sua carreira internacional. Ele esteve, por exemplo, em A Vida Marinha de Steve Zissou, em 2004, ao lado de Bill Murray e Owen Wilson. Em 2021, a Netflix lançou outro filme com Seu Jorge e Noah Schnapp no elenco, chamado Abe. Noah fez Will em Stranger Things. Pelo menos, ele não se esqueceu do cinema nacional e está sempre por aqui também.

Realmente, as pessoas podem esconder talentos que nem mesmo imaginam, é só explorar! Que tal comentar qual cantor ou cantora, na sua opinião, deveria investir ainda mais na carreira cinematográfica?

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados