Incrível
Incrível

16 Histórias sobre travessuras feitas por bichos de estimação

Os animais são criaturas realmente travessas e criativas. Graças a essas qualidades, os bichos de estimação arrancam ótimas gargalhadas de seus donos, surpreendendo os humanos com suas atitudes, originalidade e uma lógica toda peculiar.

O Incrível.club reuniu histórias recentemente publicadas na web sobre pessoas que precisam lidar diariamente com divertidos hábitos de seus pets.

  • Era noite, eu preparava meu jantar. Minha gata se esfregava em meus pés, pedindo que eu desse algo. Cortei um pedaço de carne, entreguei a ela e disse que não daria mais, que esperasse a ração (sempre a alimentamos no mesmo horário). Ela lambeu as bordas do seu potinho com os restos da ração da manhã e deitou ao lado dele, expressando toda a sua dor de faminta. Eu teria até ficado com dó, se não tivesse visto que ela tinha roubado mais um pedaço do meu frango.
  • Adotei um cachorro, desses vira-latas. Mas como ele deixa claro que é hora de passear! O bicho sobe na janela e fica olhando para o longe. É capaz de ficar três horas seguidas na mesma posição. Olhos cheios de lágrima, suspiros profundos... Eu chego até a invejar o talento que ele ter para ser ator! Mas deixo claro que não sou uma tirana, então levo-o para passear várias vezes por dia.
  • Convidei uma paquera para ir à minha casa pela primeira vez, e a apresentei ao meu gato. Foi muito engraçado ver a forma que ela, que sempre teve cachorro, acariciava o gato como se ele fosse um cão. Mas meu pet não fez feio: deu até a patinha.
  • Pela manhã, bem cedo. Ainda nem amanheceu. Estamos eu e meu gato abraçados na cozinha. Eu tomo café e fumo um cigarro. O gato, que me agarra com as quatro patas, ronrona, fecha os olhos e quase baba de prazer, aproximando o nariz de vez em quando da minha xícara, para sentir o cheiro do café. Esses abraços duram meia hora. E eu me levanto tão cedo justamente para abraçar o gato. Porque depois, durante todo o dia, esse ruivo de 7 quilos fica fingindo que nem me conhece.
  • Tenho um cachorro. Todo verão, meu marido e eu vamos para nossa casa de campo. Lá, no jardim, uma família de ouriços fez sua toca. Estávamos fazendo churrasco quando, de repente, o cachorro veio correndo e começou a me pedir um pedacinho, com aquela cara que é difícil resistir. Bem, dei um pedaço e ele foi para algum lugar. Mas depois de 5 minutos, voltou querendo mais. Dei outro pedaço. Isso aconteceu 7 vezes. Então resolvi conferir para onde ele estava levando a carne. Foi quando vi a seguinte cena: um ouriço sentado e, junto a ele, meu cachorro, com um montinho de carne assada ao lado.
  • Cheguei em casa e meu gato se enrolou nos meus pés, miando, quase tendo convulsão de fome, então corri para alimentá-lo. Ele comeu um pacote de ração inteiro, e começou a miar de novo. Da sala, ouvi meu marido dizer: “não alimente o gato, já dei comida para ele quando cheguei”. Mas que espertinho, eu pensei. Contei o acontecido para minha mãe, que me contou que ela também já tinha dado comida para o bichano 1 hora antes, enquanto cuidava da minha filhinha. E quando o danado percebeu que seu plano tinha sido descoberto e que ninguém daria mais nada, parou de miar, sentou num canto e passou a se lamber tranquilamente.
  • Tenho um cachorro bem preguiçoso. Ele não acorda para passear pela manhã, eu preciso acordar o bicho e obrigá-lo a sair. Se não faço isso, ele acorda às duas da tarde, vindo até mim preguiçosamente, como se dissesse: “ok, agora vamos”. E quando algo atrapalha seu sono, ele fica irritado. Por exemplo, uma vez minha irmã e eu nos atrevemos a colocar, quando estávamos na cozinha, um vídeo bem barulhento no tablet. Ele entrou correndo, latiu para nós e saiu para continuar dormindo. E ainda dizem que a spitz é uma raça de cachorros ativos.
  • Meu gato laranja, enorme e peludo, é o animal mais encantador que existe, mas é muito bobo! Quando rasparam a barriga dele para fazer um exame, o bichano passou semanas mordendo os próprios mamilos, achando que alguém tinha grudado algo em seu corpo. Felizmente, os pelos cresceram antes que ele conseguisse arrancar os mamilos.
  • No inverno, eu sempre passava por uma rua cheia de cães sem dono. Tentava alimentá-los sempre que podia. Um dia, me atrasei para o trabalho e resolvi fazer outro percurso para cortar caminho. Ia correndo, então escorreguei e caí. Vi que naquele momento, um bando de cachorros corria em minha direção... Sinceramente, não tive tempo de pensar em nada, só senti quando eles chegaram e começaram a me lamber. Isso que é bondade. A dos cachorros, não a minha.
  • Meu gato é um franco-atirador. Ele nunca corre atrás das moscas. Quando aparece alguma na casa, ele adota sua posição: deita na postura de esfinge e espera o momento em que a mosca voe perto dele. É capaz de ficar 2 horas assim, seguindo o inseto com os olhos. E sempre chega o momento do ataque fatal.
  • Outro dia, fui visitar minha mãe. Entrei e a encontrei gargalhando até chorar. Ela contou o que tinha acontecido: estava fritando carne, colocando os bifes já prontos num prato. Ao lado, estava nosso gato sentado, fingindo que não estava interessado nos bifes, chegando até a olhar para o outro lado. Minha mãe estava prestes a colocar outro pedaço de carne no prato, quando percebeu que faltava um. O gato continuava no mesmo lugar, olhando para minha mãe. Ficaram um tempo assim, se encarando. O gato, então, deu um grito e saiu correndo, deixando um bife fumegante no lugar onde estava sentado. Sim, o bichano roubou a carne e achou que seria uma boa ideia deitar sobre ela.
  • Eu estava na cozinha comendo sushi. Meu cachorro ao meu lado, pedindo um pouco. Ele se aproximava por um lado, depois pelo outro, chorando e fazendo cara de sofrimento. Mas eu não dei nada a ele, pois não quero acostumá-lo a comer comida de humanos. De repente, ele deu um salto, latiu e correu para o corredor da entrada de casa. Geralmente, faz isso quando tem alguém chegando. Fui ver quem poderia ser, mas não havia ninguém. Voltei para a cozinha, e o cachorro estava... comendo meu sushi.
  • Isso aconteceu em nossa casa de campo. Meu pai ouviu um grito vindo da rua: “tirem esse gato daqui!” Ele olhou pela janela e viu um jovem de 15 anos lutando com nosso gato, que estava agarrado em sua roupa. O cachorro do adolescente assistia àquela cena chorando, mas sem conseguir fazer nada para ajudar seu dono. Depois de arrancar a fera felina das roupas do rapaz, meu pai entendeu o que tinha acontecido. Nosso gatinho dormia pacificamente entre os arbustos da calçada. O jovem passava por ali com seu cachorro, viu o gato dormindo e resolveu incitar o cachorro para que atacasse o gato, só por diversão. Só que ele acabou pagando um preço alto. Nosso pet era como uma autoridade local, todos os cachorros da vizinhança tinham medo dele.
  • Outro dia, surgiu uma ’amante’ em nossa casa. Pelo menos é isso que nosso cachorro acha. Ele tem um brinquedo que parece uma escova. E sempre que ele ouve a palavra ’amante’, até mesmo na TV, corre e pega esse brinquedo.
  • Sou uma grande fã de cachorros. Tenho 5 em casa, e cada um deles tem uma história de como chegou até mim, cada uma mais interessante que a outra. E tenho também uma gata, que simplesmente apareceu em minha casa, não faço ideia de onde ela saiu. E agora meus cachorros a adoram. Eles até se negam a sair para passear sem ela. Tenho de levar 5 cachorros na coleira e ainda carregar a gata nos braços. A cada dois minutos, os cachorros me olham para ver se ela ainda continua ali.
  • Encontrei um filhote de cabra que estava à beira da morte, com 5 dias de vida. A alimentei com uma mamadeira e ela cresceu juntos aos nossos 4 cachorros. Hoje, ela é uma cabra adulta, mas jura que é cachorro. Tem todos os hábitos caninos. E assim nós vivemos: com cachorros que, diante de qualquer perigo, se escondem atrás da cabra, e com uma cabra que tem todos os hábitos caninos.
Incrível/Animais/16 Histórias sobre travessuras feitas por bichos de estimação
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos