Incrível
Incrível

10 Animais que escondem segredos de nós, apesar de acharmos que são somente doces criaturas

Muitas vezes, acreditamos que somente os animais de grande porte podem oferecer risco. Apesar de as criaturas menores geralmente terem uma aparência fofa, não devemos nos enganar. Por isso, reunimos algumas espécies que, apesar de pequenas, escondem segredos de nós. Com algumas, devemos ter cuidado. Confira só!

Qual a diferença entre animais tóxicos e venenosos?

Segundo os biólogos, o termo venenoso é aplicado a organismos que mordem (ou picam) para injetar suas toxinas e causar dano. Enquanto o termo tóxico se aplica a organismos que adotam uma abordagem mais passiva, geralmente revestindo a pele ou outras superfícies com suas toxinas, e costumam causar danos somente após a sua ingestão.

Sapo-cururu

A maioria dos sapos possui toxinas em sua pele, mas nem todos são venenosos. Essas substâncias são desenvolvidas no corpo do animal para que ele possa se proteger dos predadores, mesmo que essas toxinas, muitas vezes, não sejam letais.

Os Rhinella diptycha, conhecidos como sapos-cururus, possuem toxinas extremamente resistentes. Podem causar desde náuseas e vômitos, até paralisia e a morte em potenciais predadores. Diferentemente do que muitos acreditam, seu líquido não esguicha. É necessário que suas glândulas sejam pressionadas para que a toxina seja liberada, e elas podem causar algum mal se entrarem em contato com a mucosa.

Sapo-verde

O sapo-verde ou Phyllomedusa bicolor, como também é conhecido, costuma ser alvo de predadores durante o período de acasalamento. As lutas entre os machos costumam fazer barulho e podem ser facilmente ouvidas pelos predadores. Para combater isso, eles produzem uma secreção cutânea. Essa secreção costuma ser utilizada pelos indígenas para alguns fins positivos.

Rã-dourada

É muito comum confundir sapos, rãs e pererecas, mas iremos te ajudar com isso. Os sapos costumam ter a pele rugosa, as pernas curtas, preferem viver em terra firme, mas procuram ambientes aquáticos quando vão se reproduzir. A rã tem a pele lisa, brilhante e úmida, pernas longas e costumam viver em lagoas. Já as pererecas são muito parecidas com as rãs, e o que as diferencia são as pontas dos dedos em formato redondo.

A rã-dourada (Phyllobates terribilis) é considerada um dos animais mais tóxicos do mundo e surpreende pelo fato de ser muito pequena. Seu tamanho tem uma média de 2 a 5 centímetros, mas seu veneno é capaz de abater até dez seres humanos adultos. Suas cores servem para afastar potenciais predadores, uma vez que, na natureza, as cores podem servir como auxílio de proteção e caça.

 de olhos vermelhos

A rã de olhos vermelhos (Agalychnis callidryas) pode parecer tóxica por causa de seu nome e cores chamativas que, normalmente, representam perigo. Acredita-se que ela desenvolveu os seus potentes olhos vermelhos para assustar predadores, mas não é tóxica.

Perereca-de-capacete

Perereca-de-capacete ou Aparasphenodon brunoi é considerado um animal venenoso, pois possui uma maneira única de envenenar: por meio de espinhos ósseos na cabeça. Seu veneno é considerado mais potente que o da jararaca.

Perereca-de-banheiro

Atualmente, existem apenas duas espécies de pererecas conhecidas por serem venenosas: a Aparasphenodon brunoi e a Corythomantis greeningi. A perereca-de-banheiro (Scinax duartei), como o próprio nome diz, é aquela pequenina que costumamos encontrar em muitas casas. Portanto, essa espécie é inofensiva.

Formiga-cabo-verde

A picada de uma formiga-cabo-verde é a pior picada de inseto do mundo. Quando ameaçadas, elas não se importam se é um animal grande ou um humano, simplesmente picam. Ela possui uma neurotoxina paralisante chamada Poneratoxin. Causa dor intensa, queimação e inchaço. Normalmente, a dor da picada pode durar até 24 horas.

Formiga-fantasma

A formiga-fantasma, ou Tapinoma melanocephalum, é inofensiva se comparada à formiga-cabo-verde, mas não é tão inocente quando olhamos de uma maneira geral. Isso porque elas são vetores de fungos e bactérias, além de poder contaminar alimentos em casas, restaurantes e disseminar doenças em hospitais.

Escargot

Escargot é um típico prato da culinária francesa que nada mais é do que um caracol comestível. Esse prato é muito atraente porque eles são pobres em gordura, ricos em proteínas e uma boa fonte de várias vitaminas e minerais essenciais. No entanto, nem todas as espécies são habilitadas para a culinária, uma vez que esse animal possui versões perigosas. As principais utilizadas são: Helix pomatia (escargot de bourgogne) e Helix aspersa (escargot petit-gris).

Caracol marinho

O caracol Conus magus, por outro lado, possui uma toxina analgésica extremamente potente: ele a utiliza para paralisar sua presa e poder se alimentar. No entanto, os cientistas se alinharam à natureza e descobriram um novo medicamento. Ele é baseado na toxina do caracol que, usada em pequeníssima escala, pode substituir a morfina, para o caso de pacientes em que seu efeito não funciona mais.

Você conhece outros animais que parecem ser inofensivos, mas não são? Compartilhe conosco nos comentários.

Incrível/Animais/10 Animais que escondem segredos de nós, apesar de acharmos que são somente doces criaturas
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos