Crianças de uma escola rural vão ao cinema pela primeira vez graças a iniciativa de um professor

Edwin Linares é o único professor dos 26 alunos que estudam em uma escola rural de uma vila em Chiquimula, na Guatemala. Na tentativa de dar um pouco de alegria aos seus alunos, ele pensou em fazer algo diferente. Para isso, além de economizar dinheiro com a venda de alguns produtos, ele começou uma campanha nas redes sociais e juntou a quantia suficiente para poder organizar um dia que essas crianças jamais vão esquecer.

O Incrível.club conversou com esse professor e soube em primeira mão como foi a experiência para ele e para seus alunos. Além disso, Edwin contou como foi o processo para conseguir que os alunos fossem ao cinema pela primeira vez. Confira!

Uma pequena escola e um professor com um grande coração

A Escola Oficial Rural Mixta onde o professor Edwin Linares leciona fica em uma pequena vila com aproximadamente 100 habitantes, chamada Terrero Barroso, localizada na aldeia Tacón Arriba, ao sudoeste de Chiquimula. Alguns alunos precisam enfrentar uma caminhada de duas horas em uma estrada de terra para chegar na escola. No ano passado o professor começou o projeto chamado “Aproximando a Escola”, que tem como objetivo entregar uma bicicleta para as crianças que vivem muito longe da escola. “Graças a Deus conseguimos 20 bicicletas, faltam apenas 6 para que todos os alunos sejam contemplados”, conta orgulhoso o professor Edwin.

Um dia a dia difícil, mas inspirador

Este é o segundo ano em que o professor trabalha nesta escola. Seus alunos têm entre 6 e 14 anos e costumam ter aulas pela manhã. Eles trabalham ou ajudam as famílias em casa à tarde e de noite tentam fazer as tarefas de casa. O problema é que a comunidade não tem luz. Eles têm um serviço de energia suficiente para apenas 2 focos de luz que são divididos entre todos.

Uma linda iniciativa para comemorar o Dia das Crianças

Na Guatemala, o Dia das Crianças é comemorado no dia 1 de outubro. Uma pessoa ofereceu ao professor Edwin as instalações de um balneário para comemorar este dia tão especial e festejar o fim do ano letivo. “Apenas o transporte para trazer as crianças para a cidade custava 500 quetzales (240 reais)”. O professor conseguiu juntar a quantia necessária vendendo abóboras, milho e ciriguelas. “Recebemos a ajuda de uma mulher que ofereceu o almoço em um restaurante”, nos contou também o professor. Além disso, ele começou a pensar em outras atividades que poderia organizar e concluiu que a melhor maneira de encerrar este dia tão especial era levando os alunos ao cinema.

A ajuda que faltava veio com uma mensagem no Facebook

No dia 14 de setembro o professor Edwin publicou a seguinte mensagem em seu Facebook: “No próximo dia 2 de outubro, queremos oferecer uma experiência única aos meus alunos e precisamos de ajuda. Se você deseja ajudar, colabore com Q20.00 (aproximadamente 10 reais) para pagar a entrada do cinema ou a passagem de ida ou de volta; eles não têm televisão e não podem ver filmes, já pensou como eles ficariam felizes se tivessem a oportunidade de ver um filme em uma tela grande? Se você deseja ajudar, mande uma mensagem inbox. Desde já, obrigado!”

A vontade de ajudar não demorou a aparecer

Graças a rápida e positiva resposta de 15 pessoas, contatos conhecidos do professor, e além da quantia que ele já tinha economizado, foi possível juntar 7 mil quetzales (3.600 reais), muito mais do que ele esperava, o que pagou as entradas no cinema e o transporte em algumas caminhonetes. O plano estava montado!

Um dia inesquecível para as crianças

Segundo o professor, 31 crianças da comunidade participaram da atividade. Além dos alunos matriculados, ele convidou 5 ex-alunos, jovens que não tiveram a oportunidade de viver a mesma experiência quando estavam na escola. Foi a primeira vez que 29 das 31 crianças entraram em uma piscina, 28 delas nunca tinham comido em um restaurante e foi a primeira vez que as 31 crianças entraram em um cinema. O filme escolhido foi a animação Abominável.

No dia seguinte, o professor pediu aos alunos que escrevessem uma carta descrevendo como cada um deles viveu a experiência. Uma de suas alunas deu o seguinte título à sua carta: “O dia mais feliz da minha vida”, que resume o papel que o professor tem na vida de cada uma dessas crianças.

Essa linda história mostra que ainda há pessoas boas no mundo. Você conhece algum professor como Edwin? Compartilhe as suas impressões sobre esse relato tão emocionante nos comentários.

Compartilhar este artigo