Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

15 Comentários divertidos feitos por crianças que deixaram os pais vermelhos de vergonha

Crianças sempre têm coisas inusitadas para dizer: seja para fazer uma tentativa de dar uma “cantada” em uma mulher adulta, afirmar que furos nas orelhas servem para ventilação ou expressar, aos demais passageiros, sua indignação diante de um vagão lotado do metrô. E tudo isso sem a menor timidez. Se há uma coisa que não podemos negar é que, em muitas situações, as crianças prezam pela honestidade na hora de fazer suas declarações.

Nós, do Incrível.club, nos derretemos diante de histórias emocionantes, sobretudo aquelas protagonizadas pelos pequenos. Por isso, resolvemos vasculhar a web em busca de alguns exemplos. Aproveite!

  • Eu estava pegando meu filho no jardim de infância, e vi ao meu lado um menino e uma menina se arrumando para darem um passeio.
    O menino disse para a menina:
    — Quando nos casarmos, é importante que você não engorde. Senão, o cinto com a pistola não vai caber, e você não conseguirá fugir dos lobos.
    — Mas talvez você possa atirar nos lobos com sua pistola... — Disse a menina, esbanjando esperteza.
    E o garoto, perplexo:
    — Para que a pistola? Eu estarei junto com os lobos perseguindo você.
    Sem dúvidas, aquele foi um diálogo surreal.

  • Eu estava em um ônibus, e no banco da frente estava uma mãe na companhia de sua filha.
    A menina olhou para mim e perguntou à mãe: “Mãe, sabe por que esta moça tem tantos furos nas orelhas?” (Tenho 5 argolas na orelha direita).
    A mãe: “Bem, acho que é porque ela gosta”.
    Menina: “Não, eu acho que é para ventilar os ouvidos”.

  • Estávamos eu e meu irmão sentados no playground. Ao lado, estava uma menina (de 5 ou 6 anos) que sugeriu que ela e a amiga sentassem nos balanços. Um menino se aproximou e perguntou: “Quer que eu empurre você?” A menina o olhou de cima a baixo e disse: “Nós vamos para outros balanços”. A cantada não deu certo.

  • Outro dia, estávamos descansando no lago. Eu estava sentado, observando as crianças na água. Ao meu lado, secando-se, estava Julia, a filha de 4 anos da minha amiga. A menina, envolta em seus pensamentos, murmurava alguma coisa. Ela encheu um baldinho com barro, colocou um pouco de areia, acrescentou alguns galhinhos, observou sua criação e disse:
    — Uma perfeita sujeira!
    Fez uma pequena pausa e depois exclamou, em voz alta:
    — Só hoje em nossa loja, uma excelente sujeira com propriedades curativas! Compre a sujeira e ganhe a água de brinde!
    Lembro dessa frase sempre que recebo ligações de telemarketing.

  • Na rua, um menino desconhecido puxou o fio do meu fone de ouvido, que estava pendurado no bolso. A mãe dele disse: “Filho, você não pode se comportar assim. Desculpe, por favor”. O menino continuou me olhando nos olhos, e perguntou: “Doeu? Você é um robô?”

“Agora entendi por que ele estava escondido na casinha de brinquedo”

  • Hoje fiz um novo amigo: um menino de 7 anos e pesando 18 quilos, chamado Daniel. Ele chegou junto comigo à entrada do condomínio, e me perguntou: “Você vai para qual andar?” e respondi: “Vou ao segundo andar, mas vou de escada”. Ele suspirou, fez cara de triste e disse: “De novo, terei que subir a pé”. E eu questionei: “Mas por que a pé?” Ele: “É que sou pequeno e leve, e o elevador não me leva em consideração!”

  • Eu estava sentada em uma lanchonete. Um menino de 4 anos se aproximou e me olhou com aqueles olhos enormes. A mãe dele apareceu, pegou-o pela mão e disse:
    — Não, Victor, ela não é sua namorada. Vamos.
    E ele respondeu:
    — Por quê? Quando encontrarei minha namorada?

  • Hoje, no metrô, ouvi uma menina perguntando para a mãe: “Posso pedir a Deus que todos saiam de férias, para que a gente não precise pegar metrô com um monte de gente?” Metade da linha vermelha do metrô caiu na gargalhada.

  • Hoje me dei conta de uma questão crucial para as novas gerações.
    Um adulto falou para um menino de 5 anos:
    — O espaço é muito interessante! Você gostaria de visitar Marte?
    O garoto responde:
    — Claro que não, você está maluco? Nem instalaram Wi-Fi por lá ainda!

  • No ônibus, sentados à minha frente, estavam uma avó e seu neto. A senhora dizia ao pequeno que, no ano que vem, ele entraria na escola.
    Neto: “Ninguém me perguntou o que acho disso. Não irei”.
    Avó: “Mas por quê?”
    Neto: “Porque todas as crianças que vão à escola voltam de lá muito tristes”.

A avó deu uma nota de 1 dólar para a neta. A menina saiu correndo para o quarto, dizendo que iria “multiplicar o dinheiro”.

  • Certa vez, quando eu fazia uma viagem de ônibus, uma menina de uns 4 anos estava sentada à minha frente. Ela sussurrou algo no ouvido da mãe. A mulher respondeu: “Pare de pensar nisso”. A menina, animada e ao mesmo tempo com um ar sério, me olhou e disse:
    — Seu cabelo parece com meu gato. Não consigo me controlar de tanta vontade de fazer carinho nele!

  • O que acontece nos parquinhos:
    — Ei, ei, vamos brincar de mãe e filha? Você é a filha, e eu sou a mãe.
    — Vamos!
    — Não suba no tobogã, não jogue areia para fora da caixa, não se pendure nos brinquedos! Você vai cair, não suba aí. Então vamos embora para casa, eu já falei!

  • Eu, em um ônibus, observando um pai que viajava com o filho no colo. O menino virou para o homem e disse, apontando para mim: “Pai, vamos dar lugar para esta mulher. Ela parece estar à beira da morte”.

  • Não sei o que aconteceu. Eu estava em um abrigo para animais quando um menino entrou, apontou para mim e disse: “Quero este!” A mãe do menino virou para me olhar e falou: “Este você não pode levar, é uma pessoa adulta”.

  • Talvez tenha algo de errado com meu rosto, ou então é só porque era um domingo de manhã. No McDonald’s, um menino de uns 3 anos sentou junto com o pai. De repente, a criança saiu correndo. Assustado, disse ao pai: “Não quero sentar perto dela”.
    O pai perguntou: “Por quê? Ela vai te morder?”.
    E o menino, em voz baixa: “Sim”.

Você já ouviu alguma criança dizer algo que pareceu absurdo? Deixe um comentário com o seu relato!

Imagem de capa olya_dd / twitter