Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

Se você não consegue se apaixonar, talvez seja vítima de contradependência

Pelo visto, 20% das pessoas solteiras nunca se apaixonaram de verdade. O número pode não parecer alto, mas se você conhece cinco pessoas solteiras, provavelmente conhece pelo menos uma que nunca encontrou o amor. Algumas dessas pessoas “realmente não precisam de romance”, como costumam afirmar. Mas para outras, o motivo pode ser mais profundo do que simplesmente não ter alguém bom o suficiente por perto.

Nós, do Incrível.club, pesquisamos a respeito de uma condição não muito conhecida que impede alguns indivíduos de se apaixonarem e construírem relacionamentos íntimos sólidos. E tudo o que descobrimos está aqui neste post. Confira!

Por que algumas pessoas não conseguem se apaixonar

Os psicólogos citam várias possíveis razões para esse quadro. Por exemplo: a pessoa pode sofrer de baixa autoestima. Nesse caso, ela não acredita que alguém é capaz de amá-la, o que a impede de amar alguém também.

Outra razão para isso pode ser o perfeccionismo. Talvez você tenha em sua mente uma imagem ideal de como seu parceiro deve ser, sem dar a menor chance a quem não se encaixe naquela projeção. Altas expectativas podem impedir que você se apaixone por quem “não é bom o suficiente”.

Mas existe uma outra coisa que pode estar te afetando sem que você sequer perceba: o medo de intimidade, geralmente chamado de “contradependência”.

Os sinais da contradependência costumam incluir:

  • Ter dificuldade para se aproximar das pessoas;
  • Afastar quem tenta se aproximar demais;
  • Ficar ansioso ou querer fugir de relacionamentos íntimos;
  • Sentir um constante medo de cometer erros;
  • Exagerar na busca da perfeição;
  • Deixar de pedir ajuda a outras pessoas;
  • Manter-se sempre ocupado, sem tempo para fazer nada.

Pessoas contradependentes tendem a ser aquelas que fogem da intimidade e do apego

Gente assim costuma ser bem reservada: são pessoas que exigem muito espaço pessoal e que odeiam tê-lo invadido por terceiros. Tudo por medo de demonstrar vulnerabilidade ou fraqueza.

Porém, à primeira vista elas parecem “normais”. Passam a imagem de serem confiantes, bem-sucedidas e independentes, esforçando-se para convencer a todos de que possuem tais características. Estamos falando de quem demonstra não precisar de ninguém, apesar de isso não ser exatamente verdade. Por dentro, elas costumam ser inseguras, carentes e costumam falhar nos relacionamentos.

Nunca aprenderam o valor da intimidade

Assim como a maioria dos problemas psicológicos, esse também tem origem na infância. Essas pessoas podem ter, no passado, revelado suas fraquezas, mas foram ignoradas ou até mesmo ridicularizadas. Em casos assim, as crianças aprendem que devem sempre parecer fortes e independentes. A causa mais comum de comportamento contradependente é a falta de apego emocional em relação aos pais ou abuso infantil (seja ele físico ou emocional).

Logo, podemos dizer que crianças em tais situações aprendem a associar proximidade com rejeição e dor. O trauma as ensina que não é seguro confiar em ninguém. Quando crescem, elas desenvolvem o medo de se aproximar dos outros e de se abrir. Os relacionamentos românticos têm tudo a ver com intimidade, e as pessoas contradependentes os evitam para impedir o apego, sempre afastando aqueles que “exageram” na proximidade.

Mas é possível mudar

Há quem se sinta bem mesmo não se permitindo viver relacionamentos, preferindo manter o foco na carreira ou em outros aspectos da vida. Porém, tem muita gente que gostaria de viver histórias de amor, mas não consegue lutar contra a própria contradependência. Aqui vão algumas dicas que podem ser úteis no combate ao problema.

Aprenda mais sobre si mesmo. Leia livros, artigos de psicologia, reflita sobre questionamentos, lembranças e sentimentos. O primeiro passo é entender e aceitar o problema. Depois, você poderá trabalhar para resolvê-lo.

Procure um grupo de apoio. Você pode tentar superar o problema por conta própria. Experimente falar honestamente sobre seus sentimentos e se abrir com outras pessoas. Essa tarefa ficará mais fácil se você estiver em meio a quem tem o mesmo problema. Uma boa ideia pode ser encontrar um grupo de apoio para que possa sentir mais segurança e testar seus limites.

Vá em busca de ajuda profissional. Se tiver dificuldade em dar conta da situação sozinho, procure um especialista. Fale sobre seu problema para que o profissional possa chegar ao centro da questão. Livre-se das emoções que estiver reprimindo e abra o coração!

Você tem facilidade para falar dos seus próprios sentimentos? Deixe um comentário com sua opinião a respeito do assunto abordado nesse post, nós adoraríamos saber mais de você!

Compartilhar este artigo