“Não podia dançar na frente porque chamava muita atenção”, Thais Carla fala sobre preconceito e empoderamento

Não é de hoje que o preconceito contra as pessoas gordas ganha espaço nas discussões nas redes sociais. Mas essa não é apenas uma batalha virtual. Mulheres como a bailarina Thais Carla já sentiram na pele a dor de ser diminuída pela sua forma física. Ainda bem que muitas delas conseguem romper as barreiras e desenvolver um amor próprio que dá forças para resistir e lutar pela aceitação do corpo como ele é.

Inspirado nessas mulheres, o Incrível.club decidiu mostrar a história da bailarina, empresária, mãe e influenciadora que usa seu alcance na mídia para ajudar a resgatar a autoestima de seus mais de dois milhões de seguidores. Acompanhe com a gente a trajetória de Thais Carla.

A carreira de dançarina

A paixão pela dança começou aos 4 anos. Nesta época, a irmã de Thais Carla, que era mais velha, frequentava a academia do bairro e a pequena quis acompanhá-la. A dançarina, que já era gordinha desde a infância, lembra que a mãe ficou feliz e viu no balé uma forma de a filha perder peso.

Assim, dos 4 aos 14 anos, a carioca estudou balé clássico e jazz. Os treinos de dança chegavam a oito horas por dia. E o esforço valeu a pena! Aos 17, ela levou a plateia ao delírio no quadro Se Vira nos 30 do Domingão do Faustão.

Foi aí que sua carreira ganhou projeção nacional. Thais fez parte do quadro fixo do programa Legendários por quatro anos e ainda foi bailarina da poderosa Anitta. Mas as coisas não aconteceram com essa aparente facilidade na vida dessa carioca, não. O principal motivo se deve ao fato de ela ser uma mulher gorda.

A dançarina chegou à TV rompendo uma série de barreiras e preconceitos. Thais se recorda que, na época em que participou do Domingão, as pessoas perguntavam em quem ela se espelhou para começar a dançar. E ela sempre respondia: “Gente, em ninguém. Você conhece algum bailarino gordo”? Aliás, você conhece algum gordo de sucesso? Não tem."

Não tinha! Até que ela chegou mostrando que a limitação não vem da gordura e sim do preconceito. E conseguiu, ao longo desses anos, não apenas a própria projeção, mas a visibilidade a uma causa que atinge mais de 60% das mulheres brasileiras.

A barreira da discriminação poderia ter feito com que a dançarina desistisse desse ofício. Aos 13 anos, quando foi para uma academia renomada de jazz dance e jazz teatral, se sentia muito ofendida. “Eu não podia dançar música lenta, porque dava para ver as imperfeições do movimento, não podia dançar na frente, porque chamava muita atenção. Eu nunca estava na fila da frente.”

Ainda bem que o seu amor pela dança foi maior do que esse obstáculo e a ajudou a entender e aceitar melhor o próprio corpo, seguindo no caminho da profissão com disciplina e determinação.

Aceitação da própria imagem

Mesmo com as aulas e treinos diários de dança, Thais não perdia peso. Mas, na realidade, essa nunca foi a sua intenção. Ela conta que sempre teve uma relação muito positiva com o próprio corpo. Mesmo assim, a pressão da sociedade pelo “peso ideal” é tão grande que ela chegou a tentar emagrecer, até com ajuda de remédios, quando era mais nova.

“Resolvi emagrecer, tomei remédio, tentava vomitar, fazia de tudo para perder peso. Não consegui e percebi que não valia a pena. O lance era ser eu mesma, me aceitar como era e viver minha vida.”.

Neste momento, a dançarina percebeu que não valia a pena se depreciar por causa das outras pessoas. “Vi que eu era bonita, ao contrário do que os outros pensavam, e que o espelho era o meu melhor amigo”, completa.

A construção da família

Thais Carla é casada com Israel Reis e tem duas filhas: Maria e Eva. A dançarina contou no programa Encontro com Fátima Bernardes que o casal já sofreu muito preconceito, por vezes velado, no início da relação. “Minha vida inteira foi puro julgamento. Mas eu mostro isso, você não precisa ser a pessoa mais magra do mundo para ser feliz”.

Hoje, ela se tornou influenciadora, construiu uma carreira como empresária e gosta de usar as redes sociais para dividir momentos desses dois universos com os seguidores. Não é raro encontrar publicações em que a dançarina aparece em momentos descontraídos com o marido e as filhas.

Construir uma família e passar por duas gestações foi um processo que trouxe algumas dúvidas, como ocorre com todas as futuras mães. Mas, no caso de Thais Carla, a apreensão foi intensificada pelas questões com o corpo.

Quando anunciou sua segunda gravidez, ela confessou que teve medo de não conseguir por estar com o peso bem acima do que quando havia engravidado da primeira vez. De novo, ela foi uma voz de empoderamento, mostrando que é possível. “Tive dúvidas de mim mesma e do meu corpo sobre gerar mais um bebê. Então, estou aqui pra provar mais uma vez que podemos.”, comemorou.

Empresária e inspiração empoderadora

Ela está sempre “on” para os negócios e parcerias. E, claro, no melhor estilo girl boss! Empreendendo no segmento de produtos da moda, ela fala dos desafios que as pessoas gordas enfrentam para se vestir com conforto e bom gosto.

“Sempre tive muita dificuldade de arrumar roupa, até mesmo uma T-shirt simples era difícil de encontrar. Quero fazer frases de empoderamento, de autoestima, em uma peça única que dê para usar de várias formas, para nós que somos gordos. É muito triste você querer se vestir bem e você não poder porque não tem loja do seu tamanho”.

O que não faltam nas redes sociais de Thais Carla são comentários de gratidão, com relatos de como a dançarina e influenciadora foi e é importante para o resgate da autoestima de incontáveis fãs e seguidores ao longo de sua trajetória na mídia.

As publicações em que ela exibe o corpo e mostra como é bem resolvida na sua condição de mulher gorda sempre recebem comentários em que os internautas confessam como seu exemplo foi inspirador, como este: “Você é uma luz nos corações... Eu estou começando a amar quem sou, a me aceitar da forma correta e sendo cada dia mais feliz... Continue brilhando na vida das pessoas.”

Militância além das redes sociais

O nome da bailarina em seu perfil no Instagram já diz a que veio: Thais Carla ♡ Militância Gorda. É dessa maneira que ela conduz toda a sua atuação na Internet e nos demais veículos de comunicação. Quando participou do programa Encontro, fez questão de destacar: “Eu quero educar o olhar das pessoas para que elas percebam que você pode ser sim, e que, antes do corpo, você tem que ter uma alma feliz, ser uma pessoa realizada”.

E sua atuação vai além do discurso. Ela atua contra a discriminação, cria parcerias com empresas que estão alinhadas com a causa da mulher gorda e seus desafios. E busca justiça contra o preconceito. Tanto que foi a protagonista da primeira condenação direta por um crime de gordofobia contra um humorista que publicou um vídeo com imagens de Thais e comentários preconceitos sobre sua condição de mulher gorda.

A influenciadora quer utilizar seu alcance na mídia para ajudar mulheres como ela a reconhecerem o próprio valor. “Dizem que pessoas gordas não podem trabalhar e não são pessoas de grande sucesso. Mas nunca botei isso na cabeça de que ’não sou capaz por ser gorda’. Pelo contrário, vou ser, sim, feliz do jeito que eu sou e vou conseguir tudo que quero na minha vida”.

Que história inspiradora! Você já precisou de um “empurrãozinho” para perceber suas reais qualidades? Conte para nós quem foi a pessoa que te ajudou a resgatar a autoestima e aproveite para marcar aquela amiga linda que merece ser mais valorizada!

Imagem de capa thaiscarla / Instagram
Compartilhar este artigo