Incrível

Estudo explica jeito mais eficaz de pedir desculpas quando magoamos alguém com palavras (e detalhamos como em um passo a passo)

Muitas vezes não nos damos conta do poder que as palavras têm. Ou do impacto delas ao falarmos com pessoas com quem nos relacionamos. Seja com um amigo, familiar, colega de trabalho ou seu companheiro ou companheira de vida. E elas têm mais força ainda quando as soltamos ao vento em momentos de raiva ou sem pensar.

E quando isso acontece, geralmente não sabemos como pedir desculpas. Nestas ocasiões, uma pitada de empatia pode surtir efeito. No dicionário, esta palavra significa o seguinte: capacidade psicológica para sentir o que sentiria uma outra pessoa, caso se estivesse na mesma situação vivenciada por ela.

Incrível.club preparou um passo a passo com dicas de como agir diante de uma pessoa quando falamos algo inapropriado e que provocou algum tipo de mágoa. As informações são de um estudo recente da Clinical Journal of Pain (Clínica da Dor) dos Estados Unidos, juntamente com dicas de especialistas da área da saúde que detalharam o estudo em uma matéria publicada no The New York Times. Veja só:

O que fazer antes de pedir desculpas

  • Avalie o dano: seja aberto e abrace a responsabilidade de que pode ter machucado alguém. Não tente jogar a culpa na pessoa que se sentiu ferida. Se você não tem clareza da situação, evite dizer “por que você está tão furioso (ou furiosa)?”. Prefira “me ajude a entender o que eu disse para que eu possa corrigir a situação” ou, simplesmente, “o que eu fiz?”.
  • Não se vitimize: seja mais realista e não se culpe por ter dito algo inapropriado. Não comece dizendo “não acredito que eu disse isso. Sou uma pessoa terrível”. Vá por este caminho: “estou com vergonha, mas posso melhorar a situação. Todos cometemos erros”.
  • Não procrastinar: quanto mais tempo você enrolar para resolver ou conversar a respeito da situação, pior será, pois a preocupação sobre o desentendimento durará mais tempo. O dano com o próximo pode ficar irreparável. Especialistas afirmam que não se trata do erro em si, mas de como ele foi reparado.

Durante as desculpas

  • Assuma a responsabilidade: evite desculpas como “eu não quis dizer isso” ou defensivas do tipo “por que você está assim? Foi apenas uma brincadeira”. Estudos afirmam que quando damos nomes aos nossos sentimentos, podemos evitar a depressão e a ansiedade. Dizer coisas como “estou envergonhado por ter falado isso” ou “estou triste por ter magoado você” pode aliviar parte de sua angústia com a situação. Seja delicado, pois o objetivo aqui não é vitimizar-se.
  • Valide a dor do próximo: é tentador querer usar o momento de pedir desculpas para se esclarecer, pois pode surgir um sentimento de que está sendo atacado e, por isso, precisa se defender. Não faça isso até que a pessoa pergunte “o que você quis dizer” ou dê uma abertura para tal. O que você está tentando dizer é irrelevante diante de uma situação que você mesmo provocou por falar palavras erradas num momento inapropriado. Também não é produtivo discutir sobre quem está com a versão correta. Aceite que o que a pessoa ouviu foi real. Diga “meu comentário não foi legal e entendo o porquê de você estar chateado comigo”.
  • Seja genuíno: esteja seguro de que a desculpa vem do coração. Evite frases prontas como “me perdoe se ficou magoado”. Essa expressão pode parecer rasa demais para quem a ouvir. Não mande mensagens ou e-mails no primeiro momento. A linguagem corporal e facial e o tom vocal são todos perdidos no escrito. Sempre prefira pedir desculpas pessoalmente. Caso não seja possível, faça uma ligação.
  • Explique que o mesmo erro não ocorrerá outra vez: ao compartilhar com a pessoa ferida o que você aprendeu com a situação, vai dar mais garantia de que o erro não se repetirá. No ambiente de trabalho, por exemplo, se você insiste em pronunciar o nome de um colega errado, não se justifique ou diga “é um nome complicado, nunca ouvi antes”. Especialistas recomendam dizer “sinto muito por ter feito isso. Fico feliz por você ter me corrigido e vou me esforçar para não repetir o erro”.

Depois de pedir desculpas

  • Restabeleça a relação: não se pergunte “como será a partir de agora”, mas comece a conversar sobre algum tema em que ambos possam desenvolver um bate-papo saudável. Exclua seus medos e invista em uma conversa bacana após o ato de pedir desculpas. Em alguns minutos, todos vão perceber que o que passou, passou.
  • Deixe fluir: se mesmo depois de todo esse processo você perceber que a pessoa ainda segue na retaguarda ou magoada, respeite o tempo dela. Você pode dar o seu melhor, ser sincero e pedir desculpas do fundo do seu coração, mas não pode obrigar alguém a aceitá-las. Às vezes, as palavras causam danos irreparáveis.
  • Especialistas afirmam que se a pessoa não quer aceitar as desculpas sinceras, significa que ela realmente não faz questão e não precisa daquilo. Mesmo assim, tente se colocar no lugar do outro e entender sua trajetória de vida e sua dor, mesmo que o tenha provocado. Você não apenas será um amigo ou colega mais atencioso, como terá mais chances de fazer com que a outra pessoa se sinta ouvida, protegida, segura e respeitada.

Viu como pedir desculpas não é tão difícil? Vamos colocar em prática essas atitudes e tornar o mundo mais empático e tolerante. Aproveite e conte para gente o que você achou desse passo a passo :)