Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

7 Problemas psicológicos com que todos deveriam lidar antes de ter filhos

8-1-
543

Problemas psicológicos envolvendo autoestima, carreira e até mesmo questões entre casais podem afetar consideravelmente um recém-nascido, segundo sugere um estudo. Por tal motivo, é fundamental resolver todas essas nuances antes de tomar a decisão de ter um filho.

Nós, do Incrível.club, analisamos alguns dos problemas psicológicos mais cruciais que o pretendente a pai ou a mãe deve resolver. Será que você está pronto para falar sobre eles?

1. Já ter filhos, mas continuar querendo ter mais

Uma mulher falou sobre os detalhes de seu “vício” em bebês. Ela já era mãe de cinco e tinha consciência de que a idade a impediria de continuar dando à luz, mas simplesmente não conseguia parar de pensar no assunto. O que pode estar por trás disso é o desejo de preencher o vazio interior e de “substituir” uma infância infeliz. Considerando esse aspecto, ter cada vez mais filhos pode não algo saudável, podendo representar um problema que deve ser tratado com a ajuda de um especialista.

2. Achar que ter um bebê vai salvar o relacionamento

67% dos casais relataram uma redução no nível de satisfação com o casamento após o nascimento do primeiro filho. Essa diminuição do grau de felicidade tende a ocorrer cerca de seis meses após o parto no caso das mulheres e por volta do nono mês depois do nascimento do filho, entre os homens. Logo, se você estiver pensando que se tornar pai ou mãe irá salvar seu casamento, é melhor reconsiderar.

3. Ter na carreira sua maior prioridade

O foco excessivo no trabalho por parte dos pais afeta negativamente os filhos. Em circunstâncias assim, as crianças tendem a se sentir emocionalmente negligenciadas, como se elas se tornassem invisíveis. O resultado do quadro pode ser uma criança sentindo-se culpada e com baixa autoestima.

4. Não estar satisfeito com sua própria vida

De acordo com a Universidade Estadual de Michigan, nos Estados Unidos, crianças pequenas aprendem imitando o comportamento dos pais. O que significa que seu filho será bem parecido com você, e isso torna fundamental que os pais passem uma imagem de autoconfiança, de pessoas com objetivos e desejos. Do contrário, a criança pode acabar copiando o modo incerto de enxergar a vida, dificultando o processo de perseguir as próprias metas.

5. Sentir-se infantilizado

Muito usado pelos psicólogos, o termo infantilismo é aplicado em relação a pessoas que agem como crianças, apesar de serem adultas. São indivíduos geralmente guiados pelas emoções, não pela razão. Ter filhos requer autocontrole e paciência, sem falar no fato de que, como acabamos de explicar, as crianças tendem a copiar o comportamento das pessoas ao seu redor. Portanto, precisam ter o exemplo de alguém emocionalmente estável.

6. Lutar contra o estresse e a ansiedade

Um estudo apontou que as emoções negativas dos pais têm o potencial para afetar negativamente o desenvolvimento da criança. Especialistas acreditam que a maior influência acontece no primeiro ano de vida do bebê. Consequentemente, o pequeno pode adquirir os comportamentos indesejados e o mau humor dos pais. Logo, podemos dizer que a regra é simples: sua felicidade deixa seu filho feliz.

7. Esperar perfeição em todos os aspectos da vida

Em boa parte das vezes, o perfeccionismo é causado pelo medo de errar, pela sensação de indignidade, pela baixa autoestima e por experiências adversas vividas na infância. Os próprios pais devem lidar muito bem com essa questão psicológica, tendo em vista que, em determinadas situações, a criança não vai obedecer, resistindo a executar tarefas como fazer a lição de casa. Mãe e pai precisam estar preparados para, por exemplo, repetir a mesma coisa várias vezes ou lavar as paredes sujas com comida ou com rabiscos. E está tudo bem com isso!

Você já precisou lidar com alguma das questões mencionadas neste post? Em sua opinião, qual o maior desafio na vida de quem quer ter um filho? Comente!

8-1-
543