Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

3 Razões pelas quais somos mais amáveis com estranhos do que com aqueles que amamos

Nosso comportamento muda de acordo com as pessoas com as quais estamos conversando. E geralmente não temos consciência disso. Existe até mesmo um estudo científico que explica os mecanismos ocultos que “controlam” aquilo que fazemos e dizemos. Após três décadas de pesquisa sobre o assunto, a professora de Psicologia Deborah South Richardson descobriu por que nosso comportamento varia dependendo das pessoas ao nosso redor e o que leva a essas mudanças.

Nós, do Incrível.club, procuramos descobrir por que muitas vezes somos mais gentis com estranhos do que com pessoas que amamos.

Achamos que nosso relacionamento é forte o suficiente para suportar características negativas

Seja no trabalho ou na escola, por exemplo, muitas vezes precisamos fazer de conta que tudo está bem diante dos outros e, assim, ter um comportamento mais educado. E isso simplesmente porque queremos parecer gentis e cultos. Mas quando chegamos em casa ou estamos na companhia de pessoas próximas, relaxamos imediatamente.

Nos sentimos mais confortáveis para liberar as emoções com as pessoas que amamos. E o fato de ser “autêntico” significa mostrar todos os nossos lados, incluindo o lado ruim. E um estudo confirma que somos propensos a liberar inconscientemente nossa raiva diante de pessoas das quais nos sentimos mais próximos, porque acreditamos que o relacionamento com elas é forte o suficiente para suportar isso. Quanto mais nos aproximamos de alguém e quanto mais confiança estabelecemos, mais sentimos que podemos explorar os limites desse relacionamento.

Nos sentimos menos seguros diante de desconhecidos

Quando conhecemos pessoas novas, não mostramos nossas nuances verdadeiras. Essas pessoas simplesmente não conseguem ver a versão real de nós até chegarmos ao ponto em que desenvolvemos uma conexão mais profunda com elas. Mesmo que algo esteja nos incomodando nessas pessoas, não seremos verdadeiros porque não estamos relaxados, já que, em geral, não temos ideia de como responderão.

O mesmo não vale para as pessoas mais próximas. Ao contrário, quando nossos entes queridos fazem algo que achamos irritante, nos sentimos confortáveis o suficiente para trazer isso à tona. De fato, por estarmos muito próximos de nossos familiares ou de amigos, é mais provável que estejamos atentos sobre as coisas que não apreciamos neles. Com essas pessoas, desenvolvemos um tipo de relacionamento que tende a resistir a eventuais desentendimentos.

Não toleramos as qualidades negativas das pessoas com quem passamos mais tempo

Você não começa a odiar certas características do seu companheiro de quarto, de sua família ou de seu melhor amigo de repente, do nada. O que está acontecendo é que parou de tolerar coisas que já não apreciava neles no início. Quanto mais tempo você passa com alguém, menos tolerante se torna em relação às suas peculiaridades negativas.

Isso não acontece com estranhos porque você não passou ainda tempo suficiente com eles para desenvolver essa intolerância. Mesmo que algo o incomode, você não dirá simplesmente porque sabe que não precisará ficar tempo suficiente com essas pessoas para que isso importe.

Como impedir esse tipo de comportamento

Como você pode ver, há uma razão pela qual tratamos as pessoas que amamos menos gentilmente do que estranhos. Agora que sabemos por que nos comportamos de tal maneira com nossos entes queridos, vamos ver o que podemos fazer para evitar atritos:

  • Faça uma pausa deles quando necessário. Se passarmos muito tempo com as pessoas que amamos, podemos nos sentir cada vez menos tolerantes com suas peculiaridades. Passar algum tempo longe dessas pessoas nos permitirá refletir sobre o relacionamento sob uma nova perspectiva e apreciar as coisas boas que todos possuem.
  • Passe algum tempo com seus entes queridos na companhia de outras pessoas. Quando estamos na companhia de terceiros, acabamos tendo um comportamento mais educado e gentil. Então, por que não usar isso a nosso favor? Traga uma pessoa não muito próxima para participar da conversa e você se policiará para ser mais polido.

Quando aprendemos por que nos comportamos dessa maneira, podemos controlar nossas reações diante de familiares e amigos.

Você já tratou estranhos melhor do que as pessoas que ama? Conhece mais estratégias que possam ajudar as pessoas a evitar esse tipo de comportamento? Deixe sua opinião na área de comentários.

Imagem de capa Coco / Pixar
Compartilhar este artigo