Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Leitores do Incrível compartilharam relatos sobre momentos em que foram pegos de surpresa ao julgar uma pessoa apenas se baseando pela aparência

Todos nós sabemos que aquele famoso ditado “Não julgue um livro pela capa” é quase uma verdade absoluta em nossas vidas. Quem nunca julgou uma pessoa apenas se baseando na aparência dela, embora isso seja muito errado? Livrar-se de pensamentos assim não é fácil, e os estereótipos parecem um fantasma que nos assombram constantemente, fazendo-nos ter uma opinião distorcida sobre o outro apenas por causa de sua aparência.

Incrível.club publicou recentemente histórias sobre pessoas que quebraram todos os padrões, e nossos leitores compartilharam situações em que eles próprios quebraram a cara por julgar pessoas apenas se baseando na aparência delas. Confira!

  • Uma vez estava em frente a uma joalheria admirando a vitrine quando chegou um senhor com uma calça velha de retalhos, sandálias, todo desleixado e sujo. Ele se aproximou da vendedora e pediu que ela lhe mostrasse um anel de diamantes. O homem acabou comprando o anel como presente de casamento para sua filha. Fui nocauteada! © Таццяна Турпакова / Facebook
  • Trabalho em uma instituição de caridade infantil na Irlanda. Não muito tempo atrás, uma senhora idosa veio ao nosso escritório central — uma velhinha indefesa com uma bolsa esportiva nos ombros. Ela disse: “Trabalhei minha vida inteira e em breve morrerei. Não tenho filhos. Separei um pouco de dinheiro para mim e meus sobrinhos e quero doar o resto para as crianças. Não confio em bancos. Não quero que eles fiquem com meu dinheiro depois da minha morte” — e despejou 300 mil euros em dinheiro vivo na mesa. Todo mundo que estava ali ficou em choque. © Lina Ianushevych / Facebook
  • Há alguns anos, estava na fila para comprar um shawarma e o atendente estava conversando com um estudante, que aparentava ser um indiano, em um inglês perfeito. Fiquei tão chocado! Então, após conversar com esse atendente, descobri que ele era professor de inglês. © Goran Montenegro / Facebook
  • Minha mãe quebrou acidentalmente um açucareiro de vidro que era uma herança de família. Ela ficou muito chateada. Embora fosse simples, ainda o usava. Eu e minha filha decidimos ir procurar por um igual em uma feira de artefatos antigos. Caminhamos por muito tempo, mas conseguimos encontrar. De repente, vi uma cena: um homem idoso com a barba por fazer e o cabelo todo desgrenhado sentado lendo Shakespeare. “Olha”, eu disse à minha filha. Ao que ela perguntou: “O que foi?” “Ele está lendo Shakespeare no idioma original. Isso foi um choque para ambas... © Михаил Таптыков / Facebook
  • Trabalho como manicure em um salão há 45 anos. Um dia, estava de bom humor passando pela recepção e começou a tocar uma música no rádio. Bem, ela foi naturalmente acompanhada pelos meus vocais e uma dancinha ridícula. Nunca vou esquecer a cara da administradora: “Marina, você gosta dos Rolling Stones?” E quem é que não gosta? © Марина Пуговкина / Facebook
  • Uma vez meu pai estava de férias em Sochi [Rússia] e, por coincidência, meu primo também estava lá com amigos. Eles decidiram voltar juntos de carro. No caminho, o carro saiu da pista e acabou ficando atolado. De repente, um veículo parou e uns caras com uma aparência estranha saíram de dentro. O coração deles ficou na boca nesse momento. Sem dizer uma única palavra, os caras desatolaram o carro e foram embora. © Наталия Ясная / Facebook
  • Meu marido e eu somos artesãos. Trabalhamos reformando objetos antigos para lhes dar uma segunda vida. Nós recebemos muito bem pelo nosso trabalho. Um dia, meu marido decidiu comprar dois celulares, já que estávamos precisando. Chegamos na loja faltando 20 minutos para fechar. Todos os funcionários já estavam relaxados. Um deles veio até nós e disse: “O que vocês estão fazendo aqui? Se aquecendo do frio com a desculpa de estar olhando os aparelhos?” — e saiu com um ar de arrogância. Apesar disso, não ficamos com raiva. Outro vendedor veio nos atender, pedimos para pegar dois telefones. O cara que nos destratou, ao ver meu marido tirar um maço de dinheiro do casaco sujo, apenas disse: “Nossa!” © Татьяна Коваш / Facebook
  • Recentemente, estava fazendo compras com minha convidada de Liverpool em um supermercado na Rússia. Imagine minha surpresa quando um funcionário começou a falar em inglês com ela em inglês fluente. Acontece que o cara sabia quatro idiomas, tinha dois cursos superiores, já morou nos Estados Unidos e se mudou para a Rússia por causa da namorada. Nunca julgue o livro pela capa. © Мэри Мартыновна / Facebook
  • Tenho uma loja de chapéus no centro da cidade. A história aconteceu lá no começo dos anos 2000, quando tinha acabado de abrir. Uma vez, entraram dois gêmeos mal-encarados e com tatuagens. Eles olharam os produtos e foram embora. Depois disso, vieram mais algumas vezes. Eu ficava pensando por que aqueles caras precisavam de chapéus. Mas falei com ambos profissionalmente. Um dia, eles entraram e finalmente compraram algo. Acabei descobrindo que são acrobatas muito famosos fora do país, além de serem muito simpáticos, inteligentes e modestos. Os dois se tornaram clientes fiéis. E quando acidentalmente vi em um de seus shows o que faziam com meus chapéus, ganharam mais ainda meu respeito. © Лиза Шанте / Facebook
  • Estava com uma amiga em Viena. Fomos à joalharia Frey Wille pouco antes de fechar. Ficamos lá admirando as joias e conversando com uma vendedora. De repente ela disse: “Friedrich Wille, o dono, está vindo para cá!” Bem, ficamos curiosas para vê-lo. Chegou, então, um velhote alto... em sua bicicleta. Sem seguranças, sem limusine. Conseguimos seu autógrafo e conversamos um pouco com ele. © Yulia Dmitrieva / Facebook
  • Durante o horário de almoço, uma colega e eu decidimos ir até uma loja. No meio do caminho, fomos abordados por dois policiais que pediram nossos documentos. Estávamos sem identidade, então demos os passes do trabalho. Eles ficaram surpresos e perguntaram em choque: “Vocês são bibliotecárias?” E lá estávamos nós, 20 poucos anos, usando vestidos, maquiagem, salto... Eles provavelmente pensavam que só senhoras idosas eram bibliotecárias. © Елизавета Катина / Facebook
  • Meu tio estava andando na rua quando ouviu um barulho alto de freio de carro. Uma Ferrari tinha acabado de estacionar. Ele achou que sairia um empresário de dentro, mas quando a porta abriu, na verdade era uma velhinha com as pernas trêmulas. © Ксения Азарова / Facebook
  • Havia uma menina que trabalhava como faxineira em nossa escola. Quando dava problema nos computadores, ela colocava a vassoura de lado e resolvia o problema antes que o técnico de informática chegasse. © Victoria Vladimirova / Facebook
  • Estava de férias com meu marido em Interlaken, Suíça. Tomávamos café da manhã todos os dias no mesmo café, era um lugar muito aconchegante. Sempre víamos uma senhora com um casaco de pele esfarrapado, luvas rasgadas e sujas e um chapéu horrível. Ela se sentava em uma das mesas e bebia chá, e foi assim todo dia durante os 10 dias que estive lá. Em um dos últimos, chamamos o garçom e nos oferecemos para pagar o café da manhã dela. Ele olhou para nós e disse: “Ela é a proprietária deste café e de toda uma rede, tanto aqui quanto em Zurique”. É isso... © Daniel Ravid / Facebook
  • Outro dia, um taxista bateu no meu carro em um semáforo. Já desci do carro com ódio, antecipando várias horas de estresse e que provavelmente ouviria baboseiras sobre mulheres sendo motoristas. Já estava pronta para o barraco, porém, chegando lá, era um senhorzinho muito simpático, que assumiu a culpa e ainda me deu uma barra de chocolate. © Helen Sights / Facebook
  • Estava com três amigas em Tiblissi, Geórgia. Havia uns três rapazes locais que pareciam estar dando em cima da gente, mas não queríamos nada com eles. No fim, os caras apenas queriam nos mostrar lugares bonitos para que nos apaixonássemos pela Geórgia como eles. Nos levaram em uma das cachoeiras mais belas que já vi, que não era um ponto turístico. Os georgianos estão entre os povos mais simpáticos e hospitaleiros que já conheci. © Ольга Волохова / Facebook
  • Estávamos fazendo uma reforma no apartamento e um homem estava colocando o piso para nós. Minha mãe e eu achamos que ele não parecia ser um ladrilhador, nem pedreiro. Então lhe perguntamos o que fazia da vida. Ele respondeu: “Amanhã mostrarei”. No dia seguinte, o homem chegou com um violino na reforma. Ficamos surpresas, ele na verdade era músico e tocava muito bem! E tocou para mim e minha mãe, nós choramos de alegria. © Лика Дараган / Facebook
  • Uma vez, fiz uma escala em Moscou. Estava muito cansada, minha filha tinha um ano e meio e era muito ativa. Eu estava sentada em uma cadeira no aeroporto tentando ficar acordada. Havia um grupo de estrangeiros por perto e eles me viram lutando contra o sono. Adormeci por cerca de 20 minutos. Acordei apavorada — pensei que tinham me roubado tudo e levado minha filha. Quando abri os olhos, duas pessoas estavam perto de mim com minha filha tagarelando. Uma delas perguntou: “Conseguiu descansar?” Acenei positivamente com a cabeça. Elas me trouxeram um pouco de água e disseram que precisavam ir, que já estavam atrasadas para o voo delas, mas não podiam me deixar sozinha. © Вера Депрем / Facebook

Você já se sentiu julgado baseado apenas em estereótipos? Como lida com essas situações? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo