10 Formas de identificar um manipulador emocional e como evitar cair em suas armadilhas

Com a intenção de ganhar algum tipo de benefício ou assumir o controle, certas pessoas são capazes de manipular emocionalmente outros indivíduos, usando estratégias desonestas ou exploradoras. Claro que, em algum momento da vida, todos nós podemos manipular um pouco, mas quando a coisa se torna costumeira, precisamos ficar atentos e saber lidar com a situação de modo a evitar que saiamos prejudicados e a interromper os ciclos que alimentam o manipulador.

Nós, do Incrível.club, preparamos uma lista com as técnicas geralmente usadas por manipuladores emocionais para que você saiba identificá-las.

1. Não querem fazer algo por mais que digam o contrário, e depois evitam o confronto direto

Quando uma pessoa diz “não” a um pedido, mas o faz de forma indireta e depois evita encarar a própria recusa, o quadro pode configurar um comportamento passivo-agressivo. Indivíduos com personalidade manipuladora tendem a ser pessimistas e ressentidos, optando por expressar seus conflitos por meio de uma raiva disfarçada de atitudes como procrastinação, teimosia e ineficiência.

O ideal é fazer com que a pessoa que apresenta um comportamento passivo-agressivo veja que ela é responsável pelos próprios erros. E é fundamental que deixemos de jogar a culpa em nós mesmos se for o caso e coloquemos as nossas necessidades em primeiro lugar. Por outro lado, é necessário evitar entrar nos jogos daquela mente manipuladora. Além disso, convém não confrontar a situação com base na raiva, e sim pensar em nossa própria saúde e felicidade.

2. O manipulador faz com que as outras pessoas se sintam envergonhadas para que, assim, seja procurado em busca de apoio

A manipulação pode acabar se tornando um tipo de intimidação social e emocional, tomando, por exemplo, a forma de um abuso intelectual. Em situações assim, alguém assume o papel de especialista no assunto, enquanto a outra pessoa, sentindo-se envergonhada, tende a acabar procurando o manipulador para obter algum tipo de informação.

Para reagir a isso, é melhor não entrar nos jogos de poder. Quando as atitudes e as palavras deixam de nos afetar, o manipulador termina sentindo vergonha pelo próprio comportamento. Se alguém insistir em citar repetidamente determinado erro do seu passado, você precisará fazer com que essa pessoa veja que aquilo não importa mais.

3. Distorcem fatos para fazer com que as outras pessoas duvidem da própria percepção, memória e do próprio juízo

Quando alguém altera os fatos, fazendo com que a outra pessoa chegue ao ponto de desconfiar da própria memória e questione seus próprios instintos, provoca uma sensação de incerteza e insegurança. Manipulações desse tipo minam tanto a confiança quanto o senso de realidade da vítima, levando-a até mesmo a confundir o que é verdade e o que não é.

Um dos sinais de que se está sob esse tipo de manipulação emocional é justamente quando surgem o questionamento e as dúvidas a respeito do que se pensa e do que se faz. Diante de tal situação, é bom confiar em seus critérios, demonstrar segurança e identificar aquelas pessoas em quem é possível confiar para falar sobre o caso. Às vezes, é preciso ter ajuda de um profissional.

4. Pressionam e dão pouco ou nenhum tempo para decisões

manipulação emocional pode acontecer em todo tipo de situação, sendo inclusive uma estratégia de vendas e em negociações. Nesses casos, o manipulador se aproveita da fragilidade de uma pessoa e exerce pressão sobre ela, sem considerar se aquele indivíduo está ou não pronto para tomar uma decisão.

Diante disso, é muito útil aprender a detectar essas táticas. Quando alguém demonstra agir com tal intuito, o melhor é manter distância, tentar ganhar tempo e consultar outras opções e opiniões. As decisões importantes requerem tempo, e só podem ser tomadas durante um estado emocional de calma.

5. Se aproximam rápido demais

Outra tática frequentemente usada pelo manipulador emocional é fazer com que a outra pessoa se sinta especial a ponto de compartilhar com ele todos os seus segredos. Contudo, quando alguém demonstra um excesso de confiança antes de nos conhecer melhor, é possível que, na realidade, essa pessoa esteja tentando farejar nossas fraquezas para poder usá-las contra nós.

6. Assumem a postura de vítima

De forma consciente ou não, a pessoa pode se colocar no papel de vítima. O manipulador se caracteriza por agir passivamente, evitando problemas e culpando os outros por tudo de ruim que acontece e por ter uma visão pessimista do ambiente à sua volta. Entretanto, é preciso levar em conta que isso costuma ser um mecanismo de proteção diante de sinais de medo ou de ansiedade.

Quando um indivíduo apresenta esse tipo de padrão de comportamento, o ideal é não o julgar nem criticar, e sim demonstrar respeito. É preferível ter uma conversa sincera para entender o outro e evitar a desmotivação. Além disso, oferecer apoio e orientação para que a pessoa questione a própria responsabilidade diante do que acontece também ajuda.

7. Tentam fazer com que as pessoas sintam pena por expressar as próprias inquietações

Com o objetivo de tentar controlar ou influenciar nas escolhas, os manipuladores podem fazer com que aquela pessoa se sinta culpada por expressar as próprias preocupações. Além disso, eles tendem a agir de forma agressiva ou a tentar confundir para criar uma discussão.

Nos casos em que se expressar é também um ato de coragem, a vergonha não deve funcionar como uma desculpa que limita a comunicação. Muito pelo contrário: a questão é fazer valer os próprios sentimentos e valores pessoais.

8. Parece que estão brincando quando, na verdade, estão dizendo algo grosseiro ou cruel

Para tentar plantar a semente da dúvida e da hesitação, o manipulador emocional pode recorrer a comentários cruéis disfarçados de sarcasmo ou fingir que está dizendo algo desagradável apenas por brincadeira. Na realidade, essas pessoas são inseguras e costumam ter baixa autoestima. Por isso, de forma respeitosa e educada, precisamos fazer valer os nossos direitos, deixando claro que também merecemos ser tratados com respeito e dignidade.

9. Gostam de “dar gelo”

Às vezes, o manipulador emocional usa o próprio silêncio como recurso, ou simplesmente castiga determinada pessoa ignorando-a. É possível também que ele crie um desequilíbrio de poder, estimulando o desejo de aprovação e de proximidade enquanto faz justamente o contrário, desaprovando e afastando-se.

Apesar de certas situações exigirem tempo para que possam ser encaradas com calma, a decisão de “dar um gelo” em alguém envolve não apenas o silêncio, mas pode implicar também um isolamento emocional e físico escondidos sob a má gestão da comunicação, até porque os problemas não irão desaparecer por conta própria. Nesse sentido, falar sobre as emoções é justamente o que deve ser feito.

10. Se aproveitam das inseguranças e dos sentimentos alheios

Aquelas pessoas que mais convivem conosco são justamente as que passam a conhecer nossas fraquezas. E é possível que o manipulador use nossos pontos fracos para nos ferir ou nos controlar, sempre ressaltando nossas vulnerabilidades. Esses indivíduos tendem ainda a usar os sentimentos contra nós, fazendo com que o alvo da manipulação se sinta culpado por suas emoções.

Em casos assim, você não deve tentar derrotar o manipulador, e sim ficar ciente das respostas que deseja dar, pedir desculpas se necessário e estabelecer limites. Lembre-se do quanto a saúde emocional é importante, e que procurar um especialista pode ser uma das soluções para dar fim a esse tipo de comportamento.

Você já viveu algo parecido ao lidar com uma pessoa manipuladora. Como encarou a situação? Deixe um comentário com o seu relato!

Compartilhar este artigo