Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Benefícios de se colocar na altura da criança quando for conversar (atitude à qual muitos famosos já aderiram)

A maioria de nós já viu algum pai ou mãe se abaixar para falar com uma criança, principalmente na hora de repreender uma birra ou simplesmente para explicar algo. Parece bobo, mas escutar o que o seu pequeno tem a lhe dizer na mesma altura dele é um jeito carinhoso e lúdico para que se sinta confortável na hora das conversas mais duras.

Incrível.club ama dar dicas para melhorar a interação familiar. Para isso, selecionamos neste post 10 benefícios extraordinários para a educação das crianças que vão ajudar na comunicação e ainda tornam as conversas mais prazerosas. Entenda como funciona e adote em casa com seu pequeno.

O surgimento da escuta ativa

Os primeiros estudos que citaram a famosa “escuta ativa” foram realizados em meados da década de 50 pelos especialistas em Psicologia Carl Rogers e Richard E. Farson. Anos depois, o também profissional de Psicologia Thomas Gordon, aperfeiçoou a técnica que o tornou pioneiro nesse e em outros métodos de resolução de conflitos entre pais e filhos. Ele escreveu o manual Parent Effectiveness Training.

1. Como você pode fazer isso?

Listamos alguns passos simples para os papais e mamães principiantes:

1. Olhe nos olhos do pequeno. Isso é essencial para mostrar que está interessado no que ele diz;

2. Promova a igualdade quando você se abaixa, evitando falar de cima;

3. Demostre verbalmente que se importa: “Entendo como se sente. Já passei pela mesma sensação várias vezes”;

4. Dê foco, largue telefones, computadores e assemelhados; nesse momento a conversa com ele é a coisa mais importante;

5. Mostre que você também pode errar, peça desculpa se necessário; isso te torna humano e você não perderá a autoridade;

6. Escute a criança sem interrupções; não aparente falta de paciência. O que ele diz é importante;

7. Solicite a opinião da criança e leve isso em conta. Ela ficará feliz em fazer parte das decisões;

8. Evite mentir para a crianças, lembre-se de que você é um exemplo para ela. Para explicar alguma coisa difícil, você pode adaptar a explicação de uma forma que a criança entenda com mais facilidade;

9. Dizer como se sente é importante e não é demonstração de fraqueza. Isso ajuda a criança a entender como se expressar;

10. Não tenha pressa; acompanhe cada conquista do seu pequeno e comemore com ele cada vitória.

2. A escuta ativa promove a autoestima

A técnica trabalha e estabelece empatia, reforça os laços afetivos e desenvolve uma boa autoestima, coisa muito importante para o ser em formação. Esse tipo de conversa desenvolve adultos que saberão como merecem ser tratados pelas demais pessoas. Quando uma criança cresce em meio a gritos e agressões verbais ou físicas, está mais propensa a aceitar relacionamentos abusivos.

3. Ajuda a criança a se expressar

Saber falar com a criança a ajuda a se expressar, um aprendizado que é muito importante ao longo de toda a sua vida. Ela entende que pode confiar nos pais e que é possível conversar de tudo com eles. Já um pequeno que cresce em meio ao terror das ameaças e castigos físicos pode ter dificuldade de explicar o que sente e acabar sendo agressivo ou malcriado, sem entender bem o porquê.

4. Ensina a enfrentar os medos

A criança pode ter um episódio de desobediência e o que geralmente fazemos é dar um castigo. Mas que tal tentar entender o porquê da birra para ir à escola ou para escovar os dentes? Com isso, você pode se surpreender com o que vai descobrir. Talvez um medo de se dar mal na prova ou uma dor de dente possa ser a resposta para o problema e isso torna tudo mais fácil de ser resolvido.

5. Trabalha a noção de igualdade

ato de se abaixar para conversar, por si, já mostra que os pais têm o interesse em ver a situação do mesmo ponto de vista da criança. Esse modo de interagir a deixa mais confortável para conversar e mais segura de si. Muitos pais nem têm a noção de que em pé, a criança pode nem ao menos entender o que estão falando. Aprender a tratar todos como iguais é algo imprescindível para a vida adulta dos pequenos.

6. Promove a inteligência emocional

O contato visual na mesma altura demostra que estamos focados no que eles falam. Isso ajuda você a trabalhar a chamada inteligência emocional, que nada mais é do que lidar com as emoções. Com esse gesto, você aprenderá a entender seu filho não só pelo que ele fala, mas também pelo que não fala, mas demostra emocionalmente.

7. Gera o aprendizado da empatia

Quando temos esse tipo de postura com nossos filhos, os ensinamos a se colocar no lugar do outro. Muitas vezes, as crianças mais pequenas têm dificuldade de entender o mundo dos adultos, que trabalha mais a fala. A criança é muito mais emocional e tem uma percepção de mundo mais sutil e diferente dos pais.

8. Ensina a respeitar o outro

Quando as crianças conseguem expressar o que sentem, é quase imediata a iniciação do movimento de reflexão de seus atos. Além disso, quando conseguem entender que os pais estão no mesmo nível delas, se tornam menos ansiosas. Aprendem a enfrentar os desafios com mais firmeza, a respeitar as diferenças e a entender que existem pessoas que podem pensar diferente delas.

9. A escuta ativa não significa não impor limites

É importante entender que esse modelo de educação de forma alguma é permissivo ou incentiva a não dar limites à criança. Educar sem fraquejar, dizendo não quando for necessário, é importante para a educação dos baixinhos. Ouvir é tentar entender o pequeno de forma que ele se sinta confiante para se abrir e preparado para receber uma negativa, se necessário.

10. Ajuda na concentração na hora de conversar e receber ordens e conselhos

escuta ativa valoriza a opinião da criança, sem autoritarismo. Esse modo de se comunicar com os pequenos traz confiança e ajuda a entender melhor as ordens e conselho que recebe. Quando você explica que escovar os dentes é importante para não haver cárie, por exemplo, o pequeno entende e assimila melhor o que diz. Isso é muito diferente de usar um “porque eu estou mandando!”

Gostou das dicas e desse jeito de se comunicar com os pequenos? Já conhecia? Usa algum outro método para lidar com os filhos? Conte para nós nos comentários.