Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Como são a vida e os costumes das mulheres árabes

3-15
73k

É difícil generalizar qualquer coisa quando se fala do mundo árabe, especialmente no que diz respeito à cultura. A variedade de povos, costumes e grau de aceitação do mundo ocidental é enorme. Os Emirados Árabes, por exemplo, são um país em que vários costumes ocidentais são aceitos; já o Iêmem é um país fechado, onde prevalecem regras mais rígidas.

A poligamia e os haréns, a ausência de educação e de direitos, o brilho de diamantes e a paranja ou burca. A vida das esposas muçulmanas carrega uma grande quantidade de estereótipos para os estrangeiros. Muitos deles, claro, não passam de mito enquanto outros são verdadeiros em boa parte dos países.

Neste post, falamos um pouco dessa questão.

Casamento contratual

  • A verdade é que metade dos casamentos em muitos países árabes ainda se baseia na vontade dos pais. Muitos têm certeza de que ninguém leva em conta a opinião da garota. Na verdade, não é assim. Se a mulher não gostar do noivo, ela tem o direito de rejeitar a proposta de ser sua esposa.
  • O contrato de casamento tem de ser necessariamente assinado. Ao contrário do restante do mundo, nos países árabes mais restritivos, essa regra é seguida à risca.
  • As mulheres raramente se casam com homens gentis, pois, ao se casar, os maridos podem expulsá-las do país, por exemplo. Os homens têm uma posição mais privilegiada, podem se casar com cristãs ou judias, mas, neste caso, as mulheres não obtêm cidadania. Em caso de divórcio, as crianças ficam com o pai.
  • A idade para se casar. Na maioria dos países árabes, a idade mínima para o casamento entre homens e mulheres é 18 anos. Por exemplo, os cidadãos da Tunísia podem se casar quando completarem 18 anos, mas na verdade a idade média das noivas é de 25 anos e a dos noivos, 30. Em alguns países continuam a ocorrer casamentos numa idade bem menor. Por exemplo, mais de metade das mulheres na Arábia Saudita e no Iêmen se casa antes de completar 18 anos de idade.

Como os casamentos são celebrados

Em diferentes países, os costumes não são os mesmos, mas muitas vezes a noiva e o noivo árabes celebram o casamento separadamente.

O casamento masculino não pode ser celebrado no mesmo dia do casamento da noiva e é realizado de uma maneira tradicional: chá, café, jantar e apenas uma celebração que não dura mais de 4 horas. O casamento da noiva é mais luxuoso: salas grandes, garçons e artistas famosos.

  • O casamento feminino é um bom motivo para a mulher mostrar seus diamantes, sapatos de designers e vestidos de festa, já que, normalmente, essa beleza fica escondida sob lenços e hijabs (abayas), por isso para esses casamentos apenas mulheres são convidadas. Os homens estão proibidos de participar da cerimônia. Os funcionários que atendem são apenas mulheres, incluindo cantoras, fotógrafas e DJs. Se convidarem um cantor famoso, ele não verá nem noiva nem as convidadas. Ele cantará atrás de uma persiana ou em uma sala separada com transmissão para a sala em que a noiva e as convidadas estiverem.
  • A chegada do marido é notificada com antecedência, para que todas as damas troquem as roupas e se cubram com abayas. Se o marido chegar com seus irmãos ou seu pai, então a noiva também de se cobrir com a abaya branca, já que parentes do sexo masculino não devem ver sua beleza.
  • Não é de bom tom dar de presente de casamento dinheiro ou utensílios domésticos. A noiva recebe joias de presente.

Poligamia

  • A maioria dos casamentos é monogâmico. Nem todos os homens árabes querem ser polígamos. O Islã permite ter até quatro esposas, mas cada uma delas deve ter sua própria casa, presentes, atenção e jóias e tudo deve ser do mesmo nível para todas. Ter várias esposas é um privilégio dos xeiques e dos ricos e, aliás, nem todos fazem questão disso.
  • O primeiro casamento é o mais importante. Mesmo que o homem se case várias vezes, o primeiro é "o grande casamento". É considerado o principal e a esposa, "a maior" delas.
  • Se o marido se casou com mais de uma mulher, as outras cônjuges devem aceitar isso. Elas têm de obedecer a vontade do homem e não mostrar nenhuma emoção. Normalmente, todas as esposas vivem em suas casas e raramente se veem.

Divórcio

  • Se o homem quiser se divorciar de sua esposa, de acordo com um costume antigo, ele poderia dizer "vá embora" três vezes. Depois disso, a mulher tem de deixar sua casa carregando apenas as coisas que estiver usando naquele momento, por isso as mulheres usam sempre todas as suas jóias. Na verdade, os divórcios por iniciativa dos homens raramente acontecem. Além disso, em caso de divórcio, as crianças ficam com o pai.
  • Uma mulher pode se divorciar, se seu marido não a mantém bem. A estas declarações, os tribunais prestam muita atenção e muitas vezes as aceitam. No mundo árabe, o homem expressa seu amor não com flores, mas com ouro e jóias. Por exemplo, ele é obrigado a levar sua esposa ao restaurante, comprar presentes e roupas caras. Se tiver várias esposas, deve dar a mesma atenção e presentes para cada uma delas.
  • Em outros casos, será muito difícil conseguir se divorciar, porque muitas vezes os tribunais ditam uma resolução com uma ideia preconcebida até o último momento apoiando o marido.

Direitos das mulheres

Apesar dos estereótipos existentes, as mulheres árabes são muito respeitadas pelos homens. Elas não devem passar nenhuma necessidade.

  • As mulheres árabes foram as primeiras a obter o direito de se casar por vontade própria, divorciar e ter propriedades. Isso já tinha acontecido no século VII. As leis muçulmanas consideravam o casamento entre um homem e uma mulher como um contrato que só poderia entrar em vigor com o acordo de ambas as partes. Além disso, durante um tempo, foi aprovado que as mulheres tinham o direito de possuir propriedades e de dispor da riqueza da família ou do que ela ganhara.
  • Há dias da semana só das mulheres. Uma vez por semana, todas as praias, spas e casas de estética dos Emirados Árabes atendem apenas às mulheres. O acesso dos homens é proibido.
  • No entanto, a mulher de um marido muçulmano tem de fazer tudo com a permissão dele. Para ir a algum lugar, tem de avisá-lo e receber sua aprovação.

Roupa

  • As mulheres têm de esconder o corpo com roupas longas, largas e o rosto, com um véu. Elas podem se vestir de diferentes maneiras: minissaias, calças jeans e shorts. Muitas garotas que conhecem a moda atual podem até invejar a moda das mulheres árabes. Mas, ao sair à rua, as mulheres têm de vestir um manto de seda que cubra seu corpo até os tornozelos e o rosto deve ser coberto com um lenço. Uma vez que sua beleza só pertence a seu marido, os outros homens não têm permissão para vê-la. Há exceções, como as cerimônias para mulheres, casamentos, em que não há homens e elas podem estrear seus vestidos feitos por estilistas. Embora nem todos os lugares adotem esse costume, as mulheres têm de cobrir a cabeça em quase todos os países árabes.
  • O Kuwait é o país árabe onde as mulheres mais se vestem como ocidentais. No entanto, elas têm que ser muito discretas e fechadas.
  • Em contraste com o Kuwait, existem países como o Iêmen e o Sudão, onde os costumes antigos ainda continuam e as mulheres são obrigadas a usar um manto preto para cobri-las completamente da cabeça aos pés.

Educação e trabalho

Não é proibido que uma mulher queira estudar. Muitas mulheres inclusive vão para o exterior para isso. Por exemplo, na Jordânia, o analfabetismo das mulheres é de 14%. Nos Emirados Árabes 77% das mulheres completaram o ensino médio e 75% estudam na Universidade Al Ain, em Abu Dhabi.

  • A gestão do trabalho doméstico depende das mulheres. No entanto, nos países ricos essa obrigação é deixada para as empregadas e a tarefa principal das esposas é ter filhos e cuidar deles.
  • Existem oportunidades de trabalho. Nos Emirados Árabes, 2% das mulheres ocupam cargos de gerência, 20% ocupam cargos administrativos e representam 35% da força de trabalho do país. Além disso, nesse país, as mulheres podem ocupar cargos como juiz e trabalhar em escritórios governamentais, por exemplo, na polícia. No Parlamento da Tunísia, mais de 26% dos membros são mulheres. Mas não é tão simples assim, já que o fato de que em muitos países árabes a mulher não pode trabalhar sem a autorização de seu marido ou tutor.
3-15
73k