Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Uma especialista em linguagem ensinou sua cachorrinha a se comunicar com palavras usando botões

5-12
514

Christina Hunger é uma especialista em linguagem que acredita realmente que todos nós podemos nos comunicar, não importa como. Graças ao seu conhecimento e amor pelos cães, ela decidiu ensinar para sua cadelinha Stella uma nova forma de comunicação, e os resultados provam, mais uma vez, que os cães são animais muito inteligentes. Além disso, as descobertas de Christina com seu fiel animal de estimação podem servir de base para novos estudos e descobertas.

Incrível.club deseja compartilhar com você todo o processo de aprendizado de Stella e seu progresso comunicacional. Ao longo do post, você encontrará vários vídeos que mostram como a cachorrinha aprendeu a “dizer” palavras.

Se os cães podem entender o que lhes dizemos, também podem se comunicar com palavras?

Christina, como especialista em linguagem, ao adotar Stella se perguntou, junto com seu noivo Jake, e sabendo que os cães entendem as palavras, se eles poderiam se comunicar de outra maneira. Por isso, ela pensou em usar a Comunicação Alternativa e Aumentativa, uma estratégia usada quando as crianças têm problemas de comunicação verbal. Para tanto, usa-se um dispositivo que contém um ícone que representa uma letra ou palavra diferente. A criança, quando quer dizer alguma coisa, pressiona o botão e a palavra é reproduzida automaticamente.

Sim, é possível, os cães podem se comunicar de uma maneira mais clara e simples com os seres humanos

A forma de comunicação que todos conhecemos sobre cães é por meio de latidos, gemidos, pulos e até sorrisos. O que eles não podem fazer é produzir precisamente palavras como fazem as pessoas. Por esse motivo, Christina e o marido, pouco a pouco, começaram a ensinar Stella a “dizer” quando queria sair.

Para isso, os dois criaram uma campainha do tamanho perfeito para as patas da cachorra que, quando pressionada, dizia “sair”. Cada vez que ia passear, o casal dizia “sair” e pressionava o botão com os pés antes de abrir a porta da casa para que Stella entendesse a dinâmica. Depois de algumas semanas, ela já entendia e, toda vez que queria sair, olhava para o botão e latia para pouco tempo depois “dizer” sua primeira palavra pisando no botão.

O passo seguinte: aprender mais palavras do dia a dia

Stella ’dizendo’ “Tchau não” à sua dona que saía para trabalhar

Com o passar do tempo, Stella aperfeiçoou sua capacidade de dizer “sair”, mas Christina não parou por aí. Ela e seu parceiro programaram mais botões para aumentar o vocabulário expressivo de seu cão. Palavras como comer, água, brincar, caminhar, não, vem, ajuda, tchau, e a frase eu te amo, faziam parte do repertório. No dia a dia, Christina se sentava com Stella para lhe ensinar as novas palavras usando os botões, como faria em qualquer terapia de linguagem.

Stella não para de “dizer” palavras

Depois que Stella aprendeu a lidar bem com o sistema de comunicação, nem Christina nem Jake conseguiram detê-la. Quando queria brincar, tocava repetidamente o botão “brincar”. Assim como os de “comer” “água”, “caminhar” quando queria dar um passeio e até dizer “tchau” se os amigos de seus donos iam embora depois de visitá-los.

Pouco depois, com mais tempo usando esse sistema, Stella aprendeu duas palavras ao mesmo tempo. Por exemplo, “não comer” quando demoravam muito tempo para alimentá-la, ou também “venha” para pedir ajuda aos seus donos de outro lugar da casa. No entanto, a coisa mais impressionante para Christina foi um dia em que eles esqueceram de alimentar Stella na hora certa, e ela imediatamente lhes disse “não amar” e se afastou deles.

O desenvolvimento deste novo sistema de comunicação continua melhorando a cada dia

Até o momento, Stella já conhece mais de 15 palavras, simples e compostas, que ela sabe usar sozinha. Mas isso, para Christina, não é uma surpresa, pois existem estudos que comprovam que os cães podem aprender até 165 palavras ao longo da vida.

Assim são os botões que Stella usa para se comunicar

A princípio, os botões foram distribuídos por toda a casa. O de “sair”, por exemplo, estava perto da porta. Mas, com a evolução das habilidades de Stella, quando ela começou a combinar as palavras, Christina percebeu que sua cachorra caminhava muito para poder se comunicar, então decidiu criar um painel móvel para juntar todos os botões. Hoje, o dispositivo está distribuído em três linhas de 5 botões cada. Entre eles, há espaço suficiente para Stella se mover e não pressionar algum por engano.

Stella ’dizendo’ “Bola feliz que eu quero lá fora” para pedir que Christina brinque com ela

A inteligência de Stella surpreende Christina e seu marido Jake todos os dias

Stella afirmando que o noivo de Christina estava do lado de fora “dizendo” “Jake do lado de fora”

Pequenos avanços como, ao querer dizer duas palavras, Stella usar suas duas patas, são detalhes que incentivam sua dona a desenvolver ainda mais esse meio de comunicação entre elas. Além disso, Stella é capaz de processar o que lhe dizem e responder e também sabe quando pressionar os botões, ou seja, ela quase sempre diz o que quer quando sabe que Christina ou Jake estão de olho nela.

Bônus: A prova de que Stella sabe comunicar-se muito bem

“Água”

“Tchau”

“Comer”

“Stella quer brincar lá fora”

O que você acha dessa ideia engenhosa para melhorar a comunicação entre cães e humanos? Acredita que isso poderia quebrar a barreira da comunicação entre os dois? Conte para a gente nos comentários.

5-12
514