Incrível
Incrível

Menina emociona apresentadora Maju Coutinho e dá uma lição sobre representatividade

Um vídeo que viralizou nas redes sociais recentemente emocionou a apresentadora Maju Coutinho, do “Jornal Hoje”, da TV Globo. Nas imagens, a âncora estava lendo uma notícia no ar, quando a pequena Alice, de 2 anos, começou a apontar para o cabelo e o vestido amarelo da jornalista e a dizer, toda animada: “Olha o meu cabelo aqui! Aqui é meu cabelo, olha! E o meu vestido é amarelo! Yellow, yellow!”

Maju não conteve a emoção e respostou o vídeo no próprio Instagram. “Não dá para resistir. Olha a fala dessa pequena”, escreveu na rede social.

Nós, do Incrível.club, consideramos essa história um belo exemplo de que a representatividade importa — e muito! A seguir, queremos falar sobre a importância da fala dessa pequena brasileira e mostrar por que as imagens geraram tanta repercussão.

Repercussão

O pai da Alice, responsável pela filmagem, disse que a reação da filha foi “linda” no momento em que ela viu Maju na televisão e decidiu filmá-la espontaneamente. O vídeo foi colocado nas redes sociais, mas a família não esperava tamanha repercussão.

Depois que a própria Maju postou as imagens no Instagram, diversas pessoas comentaram sobre a importância da representatividade na televisão, incluindo famosas.

“Linda! Se vendo representada!”, comentou a apresentadora do GNT Astrid Fontenelle. “É isso que importa”, escreveu a apresentadora da rede Globo Fernanda Gentil. “Maju! É tão isso! Tão inspiradora!”, completou a cantora Paula Lima.

Nenhuma das falas, no entanto, tem tanta força quanto a que foi dita pela própria fã mirim da apresentadora: “Gosto da Maju, porque meu cabelinho é igual ao dela, é muito lindo!” Isso porque, por muito tempo, o referencial de beleza da mídia e, indo mais além, o referencial de padrão de indivíduo “perfeito” sempre esteve ligado a pessoas de pele mais clara. Cabelos lisos eram considerados bonitos, enquanto cabelos cacheados ou crespos, não.

Foi, entre outras coisas, o fato de que as mulheres negras não costumavam ser representadas em novelas, telejornais e comerciais que levou (e ainda leva) muitas delas a recorrer a tratamentos agressivos para alisar os fios. E é justamente a representatividade — com mais e mais mulheres belíssimas aparecendo com seus cabelos crespos e cacheados na mídia — que está fazendo garotas mais jovens se sentirem orgulhosas (e divas) com suas próprias madeixas. Tal como a pequena Alice. E não é à toa que hoje, a transição capilar é tão valorizada e popular.

Representatividade importa

Resumindo, o vídeo é emocionante porque conseguimos ver que a sociedade está mudando e que as mulheres das novas gerações tendem a ser, cada vez mais, representadas pela mídia. Meninas negras vão olhar para outras mulheres com características e traços parecidos e se sentir inspiradas. Consequentemente, vão se sentir melhor com elas próprias. E é assim que tem de ser; afinal, toda mulher é dona de uma beleza única e especial.

A história da pequena Alice nos lembra outros casos importantes em que a representatividade fez com que as pessoas se sentissem pertencentes e valorizadas. Um dos exemplos mais incríveis deste ano foi a escalação da atriz Halle Bailey para interpretar a pequena sereia, da Disney.

Após o anúncio de que uma atriz negra representaria a personagem, diversas mulheres foram às redes sociais dizendo que passaram a infância toda sem ver princesas da Disney negras. Hoje, as meninas já podem se inspirar em Tiana, Moana e Ariel. O que, por sua vez, leva a reações emocionantes e inspiradoras como esta:

A representatividade derruba todas as barreiras. Outro exemplo disso é o do brasileiro Matias que, aos 4 anos, ainda não conhecia a saga Star Wars. O garoto, no entanto, ficou feliz ao encontrar nas lojas um boneco parecido com ele, representando Finn, um dos protagonistas de Star Wars: Episódio VII — O Despertar da Força.

O mais legal dessa história é que a mãe, Jaciana Melquiades, postou a foto do garoto nas redes sociais e o próprio ator John Boyega compartilhou a imagem, em 2016. “Representatividade construindo pontes. É isso! Matias viu o John Boyega. John Boyega viu o Matias”, escreveu Jaciana.

Você se lembra de mais algum caso em que a representatividade teve um papel muito importante? Conte ao Incrível.club nos comentários.

Compartilhar este artigo