Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

8 Detalhes que não notamos em Frozen, mas que são mais significativos do que pensamos

2-2-
59k

Em 2013, Frozen conquistou o coração de muitos e obteve os maiores ganhos de bilheteria em comparação com outros filmes de animação. Toda criança canta “Let It Go” desde então, e o hype de Frozen provavelmente ultrapassou todas as barreiras. Pode parecer mais um filme sobre princesas cantando, mas, se olharmos mais profundamente, é cuidadosamente pensado e real, o que o torna uma verdadeira obra-prima.

Aqui, no Incrível.club, fizemos uma pequena pesquisa sobre esse filme de sucesso e descobrimos tantos detalhes fascinantes que é realmente impossível não se apaixonar por ele. Mas cuidado: spoilers do primeiro filme estão por vir!

1. Perfeitamente imperfeito: personagens que conquistam rapidamente nossos corações

Não se pode negar que os personagens de Frozen têm personalidades marcantes. Ninguém é incrivelmente perfeito, todos lutam contra seus próprios demônios, têm ambições e medos — e é por isso que não tem como não simpatizar com eles.

Anna é apaixonada por doces e comida em geral, e é tão engraçada e desajeitada que é impossível não adorá-la. Ela é tão parecida com as meninas reais que qualquer uma pode se identificar com ela. De mente aberta e atenciosa, ela mantém o vínculo com a irmã e acredita nela mais do que ninguém.

Elsa tem uma personalidade muito complicada e passou a vida tentando estar de acordo com as regras nas quais nunca conseguia se encaixar. Ela foi criada vendo suas forças como fraquezas e sua excentricidade como algo que deveria ser vergonhoso, anulado, como muitas pessoas hoje em dia.

Elsa é uma personagem dramática que tinha muito mais responsabilidades do que qualquer garota poderia suportar. Sua luta consigo mesma e com os outros era sua maneira de perceber que ela não está sozinha e que se encaixa, o que é realmente de partir o coração.

2. Um manipulador nos enganou e nós nem percebemos...

Hans é um típico manipulador que “reflete” qualquer pessoa com quem ele se comunica, comportando-se de maneira diferente com pessoas diferentes. Com Anna ele é engraçado e brincalhão, e usa as palavras que ela quer ouvir. Ele é corajoso com os soldados, gentil com os cidadãos e malicioso com o Duque de Weaseltown.

Hans se tornar um personagem mau não é uma reviravolta irracional. Ele era mau desde o começo e não apenas enganou Anna, como todos nós também.

Existem muitos pequenos detalhes que estavam realmente revelando sua natureza. Enquanto cantava “I’ve Found My Place” (que em tradução literal seria “Encontrei meu lugar”), ele não aponta para Anna, mas para Arendelle. Você se lembra daquele momento em que Hans “salvou” Elsa em seu castelo? Ele queria que parecesse que ele a salvou, mas antes de mudar a direção da besta, ele notou o candelabro e sabia onde alvejar para parecer um herói, mas ainda assim, matá-la.

3. O extremamente cativante “Let It Go” é, na verdade, fatídico

Elsa deveria ser , mas os diretores mudaram completamente sua personalidade quando ouviram a música “Let It Go”. Eles viram o personagem de uma perspectiva diferente e gostaram tanto da música que não queriam mudar. Então, em vez disso, eles mudaram a personagem, e foi assim que ganhamos nossa Elsa.

Mas não é só por isso que a música é crucial para Elsa — é também o momento exato em que ela se torna ela mesma. Antes disso, ela estava constantemente se esforçando para ser o tipo de garota que seus pais queriam ver — ela até se vestia e penteava o cabelo exatamente como sua mãe costumava fazer. Mas, quando escapa, passa a agir de maneira autêntica.

Ela se livra das luvas e da pesada capa de coroação que simbolizam seu passado e as expectativas que ela estava tentando seguir, e que a sobrecarregavam enquanto subia lentamente a montanha. Depois de livrar-se do “peso”, ela começa a correr em direção a seu eu futuro, muda seu vestido e faz seu próprio penteado, e então o novo dia começa, literalmente.

Os poderes de Elsa também refletem seus sentimentos. Quando ela está confiante, é linda e é capaz de criar coisas incríveis (incluindo bonecos de neve vivos, castelos e vestidos). Quando ela tem medo, ocorre o contrário, e suas criações não são tão belas. Quando ela está perdida e desesperada, há uma tempestade de neve. No final do filme, quando Hans diz a Elsa que Anna morreu, a tempestade de neve de repente se interrompe porque Elsa para de sentir qualquer coisa.

4. Frozen quebra as regras de um conto de fadas tradicional

Frozen definitivamente desafia os padrões, incluindo os que a Disney sempre seguiu. Embora existam alguns clichês no filme, muitos deles são mais tarde desafiados e questionados.

  • O “príncipe perfeito” (Hans) acaba sendo mau, e essa posição vai para Kristoff, que definitivamente está longe de ser perfeito;
  • Os personagens mais fortes são de mulheres que mostram que podem se defender sozinhas;
  • Anna definitivamente não tem a “perfeição real” e se comporta mais como uma garota comum, e Elsa literalmente fecha a porta para o conceito de “princesa perfeita”, decidindo ser ela mesma, em vez de se submeter aos padrões.

5. É uma história sobre portas e luvas

O filme está cheio de portas, que são barreiras que representam o isolamento, o bloqueio, a falta de oportunidades. As portas aparecem e são mencionadas com muita frequência no filme, portanto, mencionaremos aqui apenas as mais importantes.

Primeiramente, a porta do quarto de Elsa separou as meninas por anos e acabou com a proximidade das irmãs. Além disso, havia os portões do castelo que trancavam Anna dentro. Elsa fecha a porta no final de “Let It Go” e os portões do castelo se fecham na frente de Kristoff quando ele traz Anna de volta, pensando que a está deixando para sempre. Hans também fecha a porta ao deixar Anna morrer.

Não é de se admirar que Anna estivesse disposta a abrir todas as portas! Hans e o amor deles foi a primeira “porta aberta” que ela teve, o que explica por que Anna se apaixonou tão rápido. E sim, é exatamente assim que a música é chamada — “Love Is an Open Door” (“O Amor é uma porta aberta”).

Outro símbolo são as luvas. Elas aparecem quando o pai de Elsa dá um par de luvas a ela com a orientação para que ela “se esconda, não sinta, não mostre”, e é basicamente isso que as luvas significam. Elas ilustram que muitas vezes há algo escondido. No caso de Elsa, eram seus poderes e também ela mesma. Ela as usava o tempo todo, tentando se encaixar e ser uma boa garota, até escapar. Ela decidiu não se esconder mais e tirou as luvas.

Surpreendentemente, Elsa não é a única a usar luvas no filme. E além dela, quem usa luvas é... Hans! Ele as usou durante quase todo o filme, ilustrando que escondia sua personalidade e suas intenções o tempo todo. O único momento em que ele as tira e mostra sua verdadeira personalidade é quando revela suas reais intenções a Anna. Antes de sair da sala onde ele deixou Anna para morrer, ele usou as luvas novamente.

6. Olaf é muito mais do que um boneco de neve pateta

Anna e Elsa construíram Olaf juntos quando eram crianças, e ele é um símbolo da inocência e do amor que nutrem uma pela outra. É por isso que ele é tão infantil e engraçado! Ele se quebra quando Elsa acidentalmente acerta Anna com seus poderes o que acarreta a separação delas.

A música inteira “Do You Want to Build a Snowman?” (“Você quer construir um boneco de neve?”, em tradução literal) é sobre como Anna quer restaurar a proximidade delas, e embora seja de partir o coração, sabemos que Elsa também queria construir o boneco de neve durante todos esses anos  e é realmente a primeira coisa que ela faz quando escapa, finalmente se sentindo livre.

Há também um momento muito importante no filme em que Elsa vê Olaf em seu castelo, quando ela percebe que pode criar algo muito bom, engraçado e vivo.

7. Até mesmo as cores têm significados

As cores refletem a situação, as personalidades e sentimentos dos personagens. Por exemplo, Anna tem cabelos ruivos e geralmente usa cores verdes ou “quentes”, enquanto os cabelos de Elsa são brancos e ela está sempre em tons de azul, uma cor fria, representando o “frio”. As roupas da coroação das irmãs são na verdade das cores nacionais de Arendelle: roxo e verde.

O que é ainda mais interessante é que o castelo de gelo de Elsa muda de cor de acordo com o humor dela. É azul quando ela está calma e feliz, vermelho, quando está assustada e amarelo, quando está brava.

8. Há detalhes mais profundos por trás das irmãs cantoras

Sim, o filme fala sobre o amor entre 2 irmãs, mas há ainda mais coisas implícitas que Frozen pode nos ensinar:

  • Kristoff e Anna nos mostram que encontrar o amor exige tempo e esforço, e isso quer dizer superar as dificuldades juntos e permanecer um com o outro durante fases mais difíceis;
  • Com Elsa, os problemas de saúde mental são retratados. Durante a coroação, as mãos de Elsa tremem e ela provavelmente sofre de distúrbios de ansiedade e ataques de pânico. Entretanto, Elsa é um exemplo positivo de alguém que faz o seu melhor, mostrando que pessoas com transtornos mentais não são “loucas”;
  • O filme também é sobre autoaceitação e como é importante ser você mesmo.

A partir de agora, passamos a ver a obra de uma perspectiva diferente, já que aprendemos muito mais sobre as mensagens que Frozen nos passa. Frozen II chega às telas em apenas alguns dias... Você assistirá conosco? Não se esqueça de dar sua opinião nos comentários!

2-2-
59k