Incrível
Incrível

20 Seguidores revelaram as maiores vergonhas que já passaram e não souberam onde enfiar a cara

Alguns micos preferimos guardar a sete chaves, não é mesmo? Porém, outros tantos seria um verdadeiro pecado não compartilhar com os demais. Por isso, reunimos as histórias que nossos seguidores compartilharam conosco sobre os maiores micos que já passaram — e não souberam onde enfiar a cara. Confira só!

  • Um moço fazia pequenos reparos nas casas na cidade em que eu morava. Um dia, um cano da cozinha do meu trabalho estourou e nenhum dos prestadores podia ir resolver. Chamei esse moço, e ele foi na hora. Agradeci mil vezes pela disponibilidade em ter ido tão rápido e ter resolvido o problema. Como um novo agradecimento, resolvi mencionar o nome dele enquanto saía: “Muito obrigada, Chapolin!” Ele não entendeu muito bem, respondeu “Por nada” e foi embora. Mais tarde, me dei conta de que o nome dele era Aladin, e não Chapolin. ©️Izabelle Martins/ Facebook
  • Dei um fora educado em um amigo que estava a fim de mim. Disse a ele que eu já tinha namorado e que se chamava Rafael. Eu nunca namorei ninguém chamado Rafael. Um mês depois, comecei a namorar um rapaz chamado Magnum. Fui a uma festa e encontrei esse amigo que tinha me paquerado, mas ele cumprimentou meu namorado o chamando de Rafael. ©️Aline Canazart/ Facebook
  • Sentei ao lado de um homem em uma viagem de trem. Ele usava um chapéu de peão de rodeio. Não sei como isto aconteceu, mas passado um tempo, acordei com a cabeça no ombro dele. Quando olhei, tinha uma rodela de baba na camisa do rapaz. Eu queria “pular do trem”. Hahahaha ©️Neia Ferraz/ Facebook
  • Eu e meu esposo fomos padrinhos, mas entramos no altar errado. Como só conhecíamos os noivos, apenas no meio da celebração percebemos que não eram os nossos noivos. O jeito foi sair à francesa pela lateral e aguardar o momento com os noivos certos. Só fico imaginando o álbum de fotos deles. ©️Girassol Girassol/ Facebook
  • No segundo encontro de namoro, ele pegou o carro do pai para darmos uma volta. Eu não estava bem da barriga, mas não queria perder esse encontro. Soltei gases a noite toda. Fiquei tão sem graça porque ele tentava disfarçar que não estava sentindo. Não aguentei, pedi para abaixar o vidro e me desculpei, pois não estava conseguindo controlar. Ele me levou na farmácia e comprou remédio. Detalhe é que eu gargalhava de nervoso e soltava ainda mais. Eu brinco que foi isso que fez ele se apaixonar, porque estamos juntos há 12 anos. ©️Gilvana Gaia/ Facebook
  • Fui à loja de calçados com a minha mãe e olhamos todos os sapatos possíveis. Falei para o vendedor que queria olhar outros modelos que estavam do outro lado. Dei com a cara na prateleira. Era um espelho refletindo as mesmas prateleiras e eu não tinha percebido. Até hoje, não passo em frente àquela loja — e olha que isso já faz 40 anos. ©️Teresa Ribeiro/ Facebook
  • Passei a usar uma cinta que parecia um short quando tive meu segundo filho. Um dia, precisei ir ao shopping para pagar uma conta, então coloquei ela e uma saia. Por causa da cinta, não senti que a saia desceu. Só percebi quando caiu tudo e me assustei. Um senhor viu e, no susto, também tentou segurar a saia. Ele ficou sem graça e eu mais ainda. Saí pelo estacionamento e nem paguei a conta. ©️Suzana Silva/ Facebook
  • Estava esperando a minha vez para uma sessão com a psicóloga. Quando ia entrar na sala, um rapaz estava saindo. Olhei, achei bonito e comentei: “Bonito esse seu paciente anterior, hein?” Ela respondeu: “Ah não, é meu namorado!” Pedi milhões de desculpas, ambas rimos muito, mas eu considerei seriamente “pular pela janela do consultório”. ©️Marilya Souza/ Facebook
  • Eu sou gordinha, estou bem com isso, mas, uma vez, estava com meus filhos na fila do açougue e a atendente falou alto: “Senhora, preferencial é aqui na frente!” Eu respondi, baixinho: “Não estou grávida” Ela, em tom mais alto: “Ô, boba, aproveita. Com uma barriga dessas dá para passar!” ©️Luciana Santos/ Facebook
  • Um rapaz passou meses me ligando, puxando assunto, mas, na época, não queria nenhum tipo de relacionamento. Ele insistiu tanto que resolvi aceitar o convite para uma pizza. Pedi para me buscar, ele me ligou, disse que já estava me aguardando. Saí pela porta, vi o carro preto, entrei, coloquei o cinto de segurança. Quando olhei para o lado, vi que não era ele. Comecei a gritar pedindo socorro e dizendo que tinha alguém querendo me sequestrar. Do nada, escutei alguém batendo no vidro e dizendo: “Princesaaaa, carruagem errada”. A minha cara foi no chão, pedi desculpas ao senhor, dono da tal carruagem errada. ©️Mara Iglesias/ Facebook
  • Um dia, comentei com meu patrão que queria uma muda de primavera. Depois de um mês, ele apareceu na loja com duas mudas de primavera, que ele tinha acabado de comprar em uma viagem. Quando me mostrou, logo peguei e agradeci pelas mudinhas. Ele ficou sem reação. Então percebi que não eram para mim. Pai amado, quase enfartei de vergonha. ©️Milena Lopes/ Facebook
  • Fui ao velório da tia de um amigo (pelo menos eu achava que era a tia). Entrei e esbarrei com ele próximo ao caixão. Disse-lhe que sentia muito pela perda, etc, então soltei uma pérola: “Que dó, fulano, mas e sua mãe, como está?” Ele respondeu: “Minha mãe? Minha mãe está aí, no caixão”. 😳 ©️Rose Fávero/ Facebook
  • Eu levei meu namorado novo para apresentar para a família. Meu primo olhou para cara dele e disse: “Cara, você me lembra aquela antiga novela das oito da TV Globo”. Meu namorado, todo feliz, perguntou: “Ah é, qual?” Meu primo respondeu: “A PRÓXIMA VÍTIMA!” Eu não sabia se ria ou se chorava. ©️Cristina Migliavacca/ Facebook
  • Comecei a namorar e tive que cumprir o difícil papel de apresentar meu novo namorado aos amigos e familiares: “Oi, mãe, esse é o Paulo”. Meu namorado se chama Roberto, não sei quem é Paulo, mas falei isso pelo menos umas dez vezes. Meu cérebro simplesmente achou que ele tinha cara de Paulo. Eu ficava muito sem graça, mas ele fazia piadas e diminuía minha vergonha. ©️Luciana Santos/ Facebook
  • A minha vó olhou para o meu namorado, que hoje é meu esposo, e disse: “Nossaaaaa, Micheli! Agora você arrumou um homem grande!” Isso porque ele é alto. ©️Mih Burani/ Facebook
  • Tive um bebê e uma amiga deu uma roupinha bem “extravagante”. A roupinha era para quando a bebê já estivesse maiorzinha. Alguns meses depois, minha amiga veio visitar e eu quis colocar a roupinha para que ela ficasse feliz. Coloquei, falei para minha mãe (na frente da minha irmã que tinha 7 anos): “Ai, não gostei dessa roupa! Que horrorosa, nunca mais vou colocar nela, tadinha”. Quando minha amiga chegou, ela disse: “A roupinha que dei já está servindo!” Eu: “Sim, viu que linda que ela está?” Minha irmã: “Linda? Mas você falou que era horrorosa antes da sua amiga chegar”. Eu: “Imagina! Você está enganada, como eu ia dizer isso?!” Minha irmã: “Falou sim! Falou que nunca mais ia colocar essa roupa nela, tadinha”. Eu tentei desconversar, mas acho que minha amiga percebeu. ©️Vane Peres/ Facebook
  • Quando estava indo ao banco, olhei de longe e identifiquei uma conhecida na calçada, de costas. Cheguei de fininho, por trás, cobri os olhos dela e soltei: “Adivinha quem é?” Tirei as mãos dos olhos dela e ela não me reconheceu. Eu também não reconheci, pois não era quem eu estava pensando. ©️Carolina Chukst/ Facebook
  • Estava andando distraída com meu fone de ouvido, escutando uma musiquinha, indo até à estação de trem e pegando os papéis que me davam. Um rapaz me estirou a mão, fui pegar o tal papel e ficou aquela briga: eu pegava e ele puxava. Até que percebi que ela era um vendedor de bilhetes de trem, e não um panfleteiro. Deve ter me achado louca. ©️Maria R. Dias/ Facebook

  • Quando minha filha tinha 4 anos, recebi, na mesma manhã: um rapaz que veio trazer um móvel que comprei; depois, o entregador de água; e, em seguida, o entregador de gás. Minha filha disparou, na frente dele: “Nossa, mãe, como entra homem nessa casa, né?” ©️Sueli Cercal Folador/ Facebook
  • Eu não sabia o que era adoçante e a aeromoça me perguntou se eu queria açúcar ou adoçante no café. Perguntei o que era adoçante e ela respondeu: “O senhor é diabético?” Respondi: “Não, sou do Rio de Janeiro”. ©️John Vegas/ Facebook

O que achou das histórias? Qual foi o maior mico que você já passou? Compartilhe sua história conosco nos comentários. 😉

Incrível/Gente/20 Seguidores revelaram as maiores vergonhas que já passaram e não souberam onde enfiar a cara
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos