Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

20+ Clientes que podem tirar do sério até as pessoas mais pacientes

Há mais de 100 anos, Harry Gordon Selfridge — proprietário da cadeia de supermercados inglesa de mesmo nome — disseminou o mantra comercial “o cliente tem sempre razão”. Ele queria que seus compradores soubessem que seriam tratados com respeito e justiça. Mas, assim como outras frases de efeito, esse clichê ganhou uma nova definição com o tempo.

Qualquer pessoa que tenha trabalho com comércio, ou na indústria de serviços, pode contar dezenas de histórias sobre clientes inadequados ou que, no mínimo, tenham feito uso do mantra centenário da forma errada. Nós, do Incrível.club, decidimos que está na hora de quebrar paradigmas e, por isso, escolhemos as melhores histórias para olhar para a situação sob uma outra perspectiva. Acompanhe!

  • Trabalho na sede de uma grande rede de supermercados. Sou responsável pelos equipamentos e, muitas vezes, recebo as cartas de reclamações das outras filiais. Uma recente: uma senhora entrou com um processo contra o estabelecimento por ter sido atingida pelo carrinho de compras de outro cliente. A essência da queixa era por não termos placas indicando o limite de velocidade máxima dos carrinhos dentro do mercado. © “Подслушано” / VK
  • Um homem tentou devolver uma televisão alegando que não funcionava. Tivemos de negar, pois a TV estava quebrada e coberta de grama e lama. Ele, depois, admitiu que a havia jogado pela janela. Além disso, nem vendíamos aquela marca. © jmelville / Twitter
  • Vendemos couves recheadas na área de frios do mercado. Estão semicozidas, então é preciso esquentá-las por alguns minutos antes do consumo. Uma vez um senhor reclamou que não havia gostado do produto: disse que sentia o arroz crocante no dente. Achei estranho, pois ninguém havia reclamado até então. Perguntei por quanto tempo ele as havia cozinhado, e o homem, surpreso, me respondeu: “Ah, achei que já estavam prontas para comer”. Esclareci, ele ficou vermelho e foi embora. © “Подслушано” / VK
  • Uma cliente me perguntou, muito brava, por que uma jaqueta e uma calça, de mesma estampa, tinham preços diferentes. Repeti a pergunta, mostrando que eu não tinha entendido, quando, na verdade, só queria que ela a escutasse vindo de outra pessoa em voz alta mais uma vez. © nimakittyrawr / Twitter
  • Trabalho em uma livraria. Uma mulher reclamou para mim que havia uma criança mexendo nos livros com efeitos sonoros por 30 minutos e que alguns pais simplesmente não sabiam educar os filhos. Depois de uns 15 minutos, ela finalmente foi resolver o problema e viu que o “malfeitor” era o próprio filho, que não parava quieto. © ZacharyLoeser / Twitter
  • Faço decorações para bolos. Recentemente, uma cliente me enviou a foto de um salto alto, que deveria estar presente no doce. Preparamos tudo e imprimimos a imagem do sapato no bolo. Quando foi buscar o pedido, a cliente se revoltou, gritou com o gerente e ameaçou voltar reforços. Tivemos de chamar a polícia. O problema foi que ela queria uma versão comestível de um sapato, não apenas a foto impressa. O motivo da confusão foi que, na hora da encomenda, ela não sabia a diferença entre 2D e 3D. © missingno__ / Reddit
  • Sou encanador. Um homem ligou e, com a voz tremendo, pediu por um desconto na instalação de um piso quente. Dizia que não tinha dinheiro, que realmente precisava e coisas do tipo. Eu acatei: “Envie por e-mail a planta do apartamento, vamos analisar e ofereceremos um desconto”. Mandou as informações: o apartamento tinha 250 m², uma sala de cinema e três banheiros. © admiralAM / Pikabu
  • Trabalho em uma loja de computadores. Um rapaz quase lançou o laptop em mim, exigindo o dinheiro de volta, alegando que o aparelho não ligava. Tirei-o da caixa, montei-o e o conectei à tomada. O cliente esbravejou: “Por que você ligou na tomada se aqui diz que é tecnologia sem fio?” © _nea102_ / Twitter
  • Uma senhora pagou pela gasolina e, logo depois, voltou indignada dizendo que o medidor do painel mostrava que o tanque ainda estava vazio. Quando fui verificar, descobri que ela olhava para o voltímetro e não para o indicador de combustível. © jramos1914 / Twitter
  • Trabalhava em um restaurante há alguns anos. Um dia, duas mulheres estavam bebendo sangria quando, de repente, encontraram o ex-namorado de uma delas com uma nova namorada. A moça ficou tão nervosa, que levantou e jogou a bebida no casal. Quando entreguei a conta, essa mulher se recusou a pagar pelo drink dizendo que não o havia bebido. © 19111 / Reddit
  • Um cliente me pediu para verificar uma chaleira elétrica. Logo após ligá-la, explodiu. O resultado foi uma queimadura grave no meu braço. Enquanto cuidava da ferida, que doía bastante, o rapaz ainda teve a coragem de perguntar: “Então, pode me mostrar outra chaleira?” © “Подслушано” / VK
  • Vendia fitas cassetes muito tempo atrás. Não consigo nem contar a quantidade de vezes que clientes pediram a devolução do dinheiro por não terem gostado do filme. © Ixtl / Reddit
  • Trabalhava em uma loja de roupas aquáticas esportivas bastante caras e, por isso, o desconto máximo que podíamos oferecer era de 20% na compra de duas mercadorias. Uma vez um rapaz insistiu por muito tempo que merecia o desconto porque ele havia comprado um par de botas, isto é, “dois” itens. © akihiro2dx / Reddit
  • Trabalhava em um mercado. Um dia uma mulher alegou que o ketchup “Heinz” que ela havia comprado tinha coloração marrom em vez de vermelha. Foi preciso entrar em contato com o fabricante da marca, mas eles confirmaram que não vendiam mais produtos com tal coloração. Pensei, então, em verificar a data de fabricação e, para minha surpresa, a data indicada era dezembro de 1987! © steve2294 / Reddit
  • Eu era vendedor em uma loja de roupas infantis. Adorava os clientes que mediam as crianças por peso ou indicavam a altura aproximada com as mãos. Mas, na maioria das vezes, me mostravam fotos no telefone. Como dá para escolher o tamanho certo por foto?! © “Подслушано” / VK
  • Trabalho em banco. Fui abordado por um cliente furioso que queria saber por que o cartão dele não funcionava. Verifiquei e expliquei: “Bom, senhor, o seu saldo está negativo, já atingiu o limite do cheque especial”. Ele respondeu: “Não quero saber o meu saldo, sua anta, quero entender por que meu cartão foi bloqueado”. © linc0lnpark / Twitter
  • Disse a uma mulher que o vestido longo e branco, da coleção de noivas, que ela queria levar, não seria a melhor opção para usar no casamento do filho. Ignorou e comprou. Duas semanas depois, voltou furiosa dizendo que ninguém da loja a avisou que essa seria uma má ideia. © hattiewynter / Twitter
  • Fui chamado para fazer uma sessão de fotos do interior de um hotel novo. Cheguei e comecei a trabalhar. Durante o processo, a gerente se aproximou e perguntou: “Olha, visto que você já está aqui, não poderia tirar umas fotos dos funcionários para o site?” Quis esclarecer: “Por um valor adicional?” — “Não, imagina, são apenas cinco pessoas. Por favor, vamos tentar entrar em um acordo, você já está aqui mesmo!” Não quis fazer drama por coisa pouca. Enquanto acatava o pedido, mais pessoas apareceram, assim como o chef do restaurante. A gerente veio falar comigo novamente: “Então, estamos organizando um banquete de casamento agora, será que você não poderia vir fotografar o evento rapidinho... você já está aqui mesmo”. “Sem problemas, mas vou cobrar um valor adicional”. — “Como assim? Por quê? Você já está aqui mesmo, o que custa?” Foi preciso recusar, e isso os deixou bastante indignados. Mas, pensando bem, não sei por que não aceitei. Afinal, “eu já estava lá mesmo”. © Alexograf / Pikabu

Na sua opinião, após ler as histórias que compartilhamos, será que dá para entender o ponto de vista dos clientes? Como você agiria em tais situações? Se tiver passado por alguma experiência similar, deixe o seu comentário.

Compartilhar este artigo