17+ Histórias com um final tão inesperado que são dignas do cinema

Certamente, todo mundo tem pelo menos algumas histórias de vida engraçadas para contar, embora no momento em que tudo aconteceu a situação não parecesse tão divertida assim. Claro, tirar o melhor de cada acontecimento é sempre a opção mais saudável, e os protagonistas do nosso artigo de hoje fizeram exatamente isso ao transformar suas experiências em relatos divertidos.

Nós, do Incrível.club, nos divertimos bastante lendo os relatos inusitados e com finais inesperados dos internautas, e estamos prontos para compartilhá-los com você. Acompanhe!

  • Cerca de 20 anos atrás, fui com alguns amigos conhecer o palácio Peterhof, em São Petersburgo. Uma hora começou a me dar muita fome, mas não tinha nenhuma barraca de alimentos ou lojinha para comer no local. Foi então que vi um monte de pessoas se aglomerando ao redor de uma mulher, que estava organizando vários sanduíches e bolinhos para vender. Me aproximei e comecei a escolher o que iria comprar. Em seguida, a senhora levantou seus olhos para mim e disse:
    — O que você deseja?
    — Eu ainda não me decidi. Os bolinhos são de quê?
    Naquele momento, todos os outros “clientes” se viraram para mim com um olhar pouco amigável, e um falou:
    — Somos um grupo de excursão. Não atrapalhe o nosso almoço, por favor. © ImperiaMakarova / Pikabu
  • Ontem, ao chegar na entrada do meu prédio, vi uma vizinha. Uma mulher bonita, tenho uma quedinha por ela. Estava parada com algumas sacolas pesadas. Então, me ofereci para ajudá-la a levar suas compras até seu apartamento, e ela concordou com um sorriso. Subimos até sua porta, e a vizinha me disse:
    — Muito obrigada, nem sei como agradecê-lo!
    — Não há de que, ajudei como aqueles cuidadores.
    — Cuidadores?
    — Bem, sim, eles ajudam os idosos a fazer qualquer coisa de bom grado.
    Depois disso, o olhar dela deixou bem claro que o que eu tinha dito foi um fiasco. © X***E / Pikabu
  • Entrei no elevador e pressionei o botão do andar. As portas se fecharam, mas o elevador ficou parado. Pressionei o botão mais uma vez. O elevador não se mexia. Comecei a apertar o botão rapidamente, depois com força, depois fiquei pressionando sem parar — nenhuma mudança. Então, liguei para o porteiro:
    — O que aconteceu?
    — O elevador não está se movendo!
    — Você está em qual andar?
    — No primeiro.
    — E quer ir para qual?
    — Para o décimo sétimo!
    — Bem, aperte no botão de número 17.
    — Estou apertando, mas ele não se mexe!
    — O senhor está apertando no botão de número 1.
    — Desculpe... Dia pesado hoje no trabalho. © CivicValor / Pikabu
  • Trabalho com documentos em um escritório de advocacia. Muitos deles são bastante sérios: formulários, contratos... No geral, muito entediante. Um dia, um cara veio até mim. Cerca de 40 anos, alto e de aparência severa. Me entregou alguns documentos. Eu, sem olhar, perguntei: “O senhor assinou todos eles? Não esqueceu de nada?” Ele respondeu: “Sim, claro”, se virou e foi embora. Então, olhei os documentos e comecei a rir para todo o escritório ouvir! No lugar das assinaturas tinham desenhos de soizinhos! Pensei que o cara estava brincando, mas ele tinha um solzinho como assinatura no documento de identidade. De início eu não entendi, mas depois vi o sobrenome dele: Sol. Foi divertido! Agradeço a ele pelo senso de humor e pela assinatura nada entediante. © Palata № 6 / VK
  • Sou advogado. Tinha uma juíza na comarca que era daquele tipo de pessoa com uma visão de mundo à la “coach”: “Tudo é nosso, vamos construir um novo mundo”. Bem, assim foi o meu primeiro caso com ela. A sessão de julgamento estava em andamento. Tudo muito sério. Depoimentos, moções, opiniões de especialistas... Quando, do nada, a juíza se levantou e alegremente declarou recesso. Para fazer exercícios. O promotor suspirou, praguejou, corou, mas teve de aceitar. Mais tarde, colegas já experientes me contaram que é sempre assim com essa juíza. © Anna / Bash.im
  • O meu ex-marido paga uma boa pensão alimentícia, leva o meu filho para passear no final de semana, viaja com ele nas férias, participa das reuniões de pais e o leva na escola quando estou no trabalho. Se eu soubesse que ele seria uma pessoa tão boa assim, teria me divorciado dele muito antes. © unknown author / Bash.im
  • Eu congestionei a saída do supermercado: estava empurrando o carrinho e com a outra mão levando meu filho de 1 ano e meio andando bem lentamente. Um cara atrás de mim disse, irritado: “Moça, você não poderia andar um pouco mais rápido?” Na hora, não consegui pensar em nada melhor do que começar a cantar: “Floresciam macieiras e pereiras, pairavam névoas sobre o rio...” Espero que ele, pelo menos, tenha ficado um pouco mais alegre depois disso! © Podslushano / Ideer
  • Estou namorando um rapaz há 7 meses. Uma vez, ele me enviou uma mensagem: “Querida, venha à feira” (eu moro perto de uma). Ao chegar, ele pegou a minha mão e me levou em uma loja que vendia vestidos. Me mostrou três peças e perguntou qual delas comprar. Escolhi a que mais tinha gostado. Ele pegou o vestido, foi até o provador, entregou para a mãe e disse: “Aqui mãe, prove este”. E foi assim que ele me apresentou à sua mãe. © Podslushano / Ideer
  • Hoje, eu e a minha esposa chegamos na entrada do nosso prédio com as mãos cheias segurando sacolas, nossas chaves e as mãos dos nossos filhos. Eu, então, interfonei. Ficamos lá parados esperando, conversando. Comecei a me perguntar por que será que estavam demorando tanto para abrir o portão. O problema é que todo mundo que poderia abrir para a gente estava conosco do lado de fora do prédio. © drannuk / Pikabu
  • Uma vez, uma amiga ficou hospedada na minha casa com o seu noivo estrangeiro. O inglês dela se limitava a saber falar “I love you” (“eu amo você”, em inglês), então eles estavam me esperando chegar do trabalho ansiosos para que eu pudesse traduzir tudo que eles queriam dizer um ao outro. Agora veja só: eu passo o dia inteiro traduzindo do russo para o inglês e vice-versa no trabalho, e em vez de descansar ao chegar em casa, continuaria a traduzir de um idioma para o outro. E foi assim por sete dias seguidos. No oitavo já estava tão acostumada que quando o noivo saía da sala e eu e a minha amiga continuávamos a conversar em russo, eu automaticamente me virava para o meu gato e reclamava com ele em inglês. © Janna Sigoshina / Facebook
  • Hoje de manhã um cara me ligou. Ele estava chorando. Desculpou-se pela discussão horrível que tinha tido na noite anterior com uma voz cheia de remorso. Prometeu nunca mais brigar comigo e me pediu para que voltasse um pouco mais cedo do trabalho porque ele tinha planejado fazer um jantar à luz de velas e comprado um presente para mim para consertar as coisas. Fiquei emocionada com a atitude dele e escutando tudo aquilo. O negócio é que eu não tenho ideia de quem ele era. Foi uma ligação errada, mas o sentimento foi legal. © Rose Cruz / Quora
  • Eu tinha 16 anos na época. Na véspera da Páscoa, o meu pai saiu à noite para trabalhar e me pediu para pintar os ovos. Eu nunca tinha feito isso antes e decidi procurar instruções na Internet. As orientações eram mais ou menos assim: “Dilua a tinta em um copo, mergulhe o ovo dentro, espere cinco minutos e ele está pronto”. Segui todos os passos rigorosamente, organizei os ovos pintados na mesa de Páscoa e fui dormir cheio de orgulho. Meu pai chegou na manhã seguinte, me chamou à mesa, batemos um ovo no outro para remover a casca e um deles quebrou e esparramou. Papai perguntou: “Você cozinhou os ovos?”, e eu respondi: “Não, isso não estava nas instruções”. © Gurman / Pikabu
  • Fui a um dentista novo e o reconheci como um antigo colega de classe. Ele estava bastante diferente: calvo e com uma barriga saliente. Me sentindo bem com minha evolução no tempo, eu disse: “Você foi da minha turma”. Sem pensar duas vezes, ele respondeu: “Ah é? E você ensinava que matéria?” © Raisa Krapivnitskaya / Facebook
  • Quando eu era criança, uma tia veio para ficar supostamente por uma ou duas semanas na minha casa. Mas acabou ficando por quase um ano. Ela redecorou o meu quarto e até colocou fotografias dela. © slams-head-on-desk / Reddit

Bônus

  • Uma vez, muitos anos atrás, eu estava grávida e andando na rua. O caminho estava marcado pela neve suja e escura, e fora dele tudo estava branco. Vi uma mulher saindo de um mercado com uma bolsa amarela e com alguns ramos de cebolinha pendendo para fora. A cor verde viva do vegetal era hipnotizante e lembrava o verão. Eu simplesmente não conseguia desviar os meus olhos, observando o movimento dos ramos com os passos da mulher e os flocos de neve caindo sobre eles. Ela se virou, me encarou e, ao ver uma grávida observando atentamente seus vegetais, me convenceu a comê-los com pão preto, apesar de eu não ser muito fã de cebolinha. Nós paramos em um beco e, como dois malfeitores, ficamos comendo cebolinha com pão preto e dando boas risadas. © dharmaraja / Pikabu

Qual a situação mais inusitada que já aconteceu com você e acabou se transformando em uma história engraçada? Compartilhe seus relatos com a gente na seção de comentários.

Imagem de capa Podslushano / Ideer
Compartilhar este artigo