Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

13 Hábitos estranhos dos chineses que o mundo ocidental nunca vai entender

É bastante normal estranharmos algumas características culturais de pessoas de outros países. Mas é normal, também, que as pessoas de países vizinhos, em geral, tenham hábitos e tradições um pouco mais parecidos entre si do que em relação a nações mais distantes. Nesse sentido, a China é um dos países cujos hábitos mais causam curiosidade nas pessoas do mundo ocidental.

Calças abertas infantis, o “biquíni de Pequim” e as nádegas falsas são apenas algumas das características que costumam gerar estranheza. E não podemos evitar de nos perguntar o óbvio: qual o sentido desses hábitos? Calma que iremos explicar.

Incrível.club estudou os hábitos culturais mais estranhos do povo chinês e procurou buscar suas origens. E, claro, também preparamos um bônus que vai mostrar como descer de um prédio de cinco andares em questão de segundos.

1. “Biquíni de Pequim”

Quando começa o verão na China, os homens saem às ruas de barriga de fora, sem vergonha. E não há restrição de idade; tanto os jovens quanto os mais velhos agem da mesma forma. A moda masculina do verão ganhou o singelo apelido de “biquíni de Pequim”. E se espalhou não só pela capital, mas também pelo país inteiro. Podemos identificar três razões para o fenômeno. Primeiro, os chineses acreditam que, dessa forma, o corpo vai poder “respirar” melhor. Em segundo lugar, essa demonstração de barriguinhas mais avantajadas é, na verdade, uma mensagem para as pessoas à volta de que podem consumir uma quantidade “decente” de calorias sem medo de serem felizes. E o terceiro motivo vem da medicina chinesa. De acordo com a tradição, é preciso liberar a energia “Chi” para que circule livremente pelos órgãos internos.

Só não sabemos qual desses motivos é o determinante. Mas uma coisa é clara: esse hábito já está enraizado na vida dos chineses e não é bem visto pelas autoridades. O governo local da cidade de Jinan, por exemplo, avalia criar um projeto de lei para proibir a tendência, que não é positiva para a imagem da cidade e afasta muitos turistas.

2. Longas unhas nos homens

Para nós, ocidentais, unhas longas estão associadas ou a mulheres ou, no caso dos homens, à falta de higiene. Mas os chineses não veem a coisa dessa forma. Eles preferem não cortar as unhas e deixá-las crescer. A questão remete à longa história do país, já que, há muitas gerações, ter unhas grandes era sinônimo de riqueza. Somente os ricos podiam deixá-las crescer, justamente porque exerciam trabalhos intelectuais, que não envolviam as mãos. E as unhas curtas eram um sinal de trabalho físico árduo, associado aos trabalhadores rurais. Hoje em dia, alguns homens deixam as unhas de todos os dedos crescerem, e outros, somente a do mindinho — ou dedo mínimo. Dizem que o hábito dá sorte.

3. Nádegas falsas

Aparentemente, as chinesas estão incomodadas com o legado das irmãs Kardashian e de suas nádegas avantajadas. Os bumbuns falsos estão ganhando popularidade entre as garotas. Então, se não tiver o corpo desejado, não se preocupe, os fabricantes de nádegas postiças têm a solução. Com o enriquecimento do país e a popularização do mercado da beleza e da cosmética, as chinesas perderam o medo de cuidar do próprio visual. E não se incomodam de adquirir diferentes “acessórios” para melhorar a imagem.

4. E panturrilhas falsas

Em vez de ir para a academia e deixar as panturrilhas evidentes e torneadas, você também pode simplesmente aproveitar mais uma invenção chinesa, as panturrilhas “postiças”.

Esse truque simples vem fazendo um enorme sucesso entre as garotas do país asiático: elas conseguem aumentar os músculos da panturrilha em apenas alguns minutos e sem muito esforço. O importante é tomar cuidado para não deixar “uma parte da perna” cair no momento mais inoportuno.

5. Tiras adesivas para as pálpebras

É evidente que os asiáticos têm a anatomia dos olhos bem diferente dos ocidentais. Mas toda moda que remete ao ocidente faz muito sucesso na China. Muitas meninas sonham em ter olhos maiores para exibir aquele “olhar 43”. Para isso, qualquer estratégia é válida: das tiras adesivas à blefaroplastia (cirurgia para levantamento das pálpebras). Essa última, no entanto, vai custar um pouco mais, como é de se imaginar. Já o kit para correção do côncavo (região onde a pálpebra móvel faz uma dobra) é bem mais barato e, além disso, oferece menos riscos à saúde de forma que qualquer pessoa pode atingir o resultado desejado.

6. “Pés de lótus”

Essa tradição começou em um passado muito distante, quando certas mulheres jovens da aristocracia tinham seus pés amarrados de maneira bastante rígida, de forma que eram impedidos de crescer e tinham a forma modificada. Os pequenos pés ganharam o belo nome de “pés de lótus”. Acreditava-se que quanto menor o tamanho dos pés, mais “valiosa” seria a noiva. Até os dias de hoje, na China, é possível encontrar mulheres com os pés deformados usando calçados especiais, conhecidos como “sapatos de lótus”.

7. Thai Chi e o “passo para trás”

O Tai Chi Chuan, ou Tai Chi, é uma atividade física que visa à melhoria da saúde — a prática é conhecida como uma forma de meditação em movimento. Consiste em uma sequência de movimentos lentos que podem ser realizados por pessoas de qualquer faixa etária. Uma das características dessa arte marcial é justamente o “passo para trás”. Muitas vezes é possível ver, em parques e praças, aulas em grupos, nas quais pessoas idosas se movimentam em sincronia, de costas. Às vezes, os movimentos das pernas são acompanhados também de gestos com a mão e de palmas. Acredita-se que essa prática alivie a tensão dos músculos das costas e da lombar. O Tai Chi requer uma alta atividade cerebral, o que o torna uma excelente forma de prevenção contra a demência senil.

8. Adultos milionários que tomam leite materno

Na China não é costume dar leite materno aos bebês; as mães dão preferência ao leite de fórmula. Isso contribuiu para uma superstição que existe até hoje. De acordo com ela, amamentar é prejudicial à saúde e à forma física das mães. Acredita-se também que o leite deixa de apresentar qualquer benefício nutricional quando a criança completa quatro meses.

Mas parar de produzir leite não é algo automático. Por isso, muitas mães tentam “extrair” o melhor da situação, vendendo-o em diferentes estabelecimentos e sites especializados. Como resultado, o leite materno se tornou popular entre os ricaços, que o incluem em suas dietas. Eles acreditam em suas altas concentrações de vitaminas e microelementos. Esse não é um dos serviços mais baratos. O preço é de cerca de 22 dólares (cerca de 80 reais) por 250 ml.

9. Mahjong na piscina

Na cidade de Chongqing há um parque aquático diferente. Ali, joga-se Mahjong em mesas dentro das piscinas. Esse jogo de tabuleiro surgiu na década de 1920 e, rapidamente, ganhou status nacional. Em 1998, o Majiang, como também é chamado o jogo chinês, foi reconhecido oficialmente como um tipo de esporte.

10. Nadar entre as algas

A cidade de Qingdao é banhada pelo mar Amarelo. Com a chegada do verão, toda a costa é invadida por um tapete de algas verdes. Todos os anos, o governo local tenta resolver a situação, mas, até agora, não obteve sucesso. Mas, para os chineses esse não é um obstáculo. Para escapar do calor, eles não se importam de tomar banho entre as algas.

11. Pessoas cobertas de areia

Os chineses se escondem do sol de várias formas, algumas bem inusitadas. Não se surpreenda se vir na praia alguma pessoa coberta, do pescoço aos pés, de areia. Esse é um ritual de verão normal para os locais. Geralmente, eles usam um guarda-sol ou máscaras especiais para se proteger do sol e evitar queimaduras no rosto. A curiosidade é que os chineses usam seus guarda-sóis para se proteger dos raios ultravioleta com mais frequência do que os próprios guarda-chuvas nos dias chuvosos.

12. Competições de comer melancia e tigelas refrescantes

Os chineses amam tanto melancias que estão dispostos a comê-las até em concursos inusitados. Alguns são capazes de devorar a fruta em questão de segundos como, por exemplo, este soldado chinês. A fruta possui diversas utilidades. Devido ao pequeno tamanho em que são produzidas no país asiático, costumam ser usadas, depois de devoradas, como tigelas. Os chineses garantem que, no verão, comer arroz dentro desse prato improvisado é refrescante.

13. Calças abertas para crianças

Os turistas que vão à China se deparam com mais essa peculiaridade cultural. No verão, as crianças usam calças com buracos na parte de trás, conhecidas como Kai dang ku. Essas peças começaram a se difundir durante as Seis Dinastias (entre os anos de 220 e 280). Na época, a matéria prima era a seda e elas eram presas, na cintura, com um cinto ou elástico.

Hoje em dia, essas mesmas calças são feitas de tecidos diferentes: há opções quentes de inverno e outras mais leves, para o verão. Além disso, elas são usadas exatamente da mesma forma que as calças normais. O motivo dessa moda é muito simples: praticidade. A criança pode fazer suas necessidades em qualquer lugar, basta abrir a peça e se agachar. Esse fator é prático na fase em que começam a aprender a usar o vaso. Aparentemente, os pequenos não se importam muito com as pessoas à volta. Como toda tradição, no entanto, essa também vem sendo ameaçada. Nos últimos 10 anos, mais pais passaram a vestir seus filhos com fraldas comuns.

Bônus: escorregador de emergência

Apesar de parecer estranha, essa invenção, um escorregador paralelo à escada, é muito útil. O criador, Zhou Miaorong, pensou em uma forma de sair de um edifício em casos de emergência e da forma mais rápida possível — o que é complicado no caso de pessoas de mais idade. Foi daí que surgiu a ideia do escorregador. São necessários apenas 14 segundos para descer do quinto andar de um prédio.

E você, aprecia os hábitos chineses? Adota algum em sua vida? Qual sua opinião sobre esse incrível e milenar país?