Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

11 Peculiaridades das casas em diversos países que deixam os turistas bastante confusos

O lar é aquele lugar onde podemos, finalmente, relaxar e desfrutar de aconchego e tranquilidade. O conceito de “conforto”, no entanto, varia de cultura para cultura. E o que pode ser agradável em um país pode ser visto como desconfortável em outro.

Nós, do Incrível.club, ficamos curiosos para saber quais as características dos lares em diferentes países. Alguns detalhes vistos como “normais” para os locais em certas nações deixam os turistas bastante surpresos e confusos. Por isso, resolvemos mostrar os diversos casos a você. Acompanhe!

1. Os apartamentos coreanos possuem porta-sapatos na sala

Na maioria dos apartamentos coreanos, especialmente nos novos, a entrada é, digamos, peculiar. Ao abrir a porta, entra-se diretamente na sala, que está geralmente conectada à cozinha. Na sala, você pode encontrar o armário para colocar os casacos e um lugar para deixar os sapatos, mas o espaço alocado normalmente é bem pequeno. Apartamentos mais econômicos muitas vezes disponibilizam apenas um pequeno quadrado na porta de entrada, onde os sapatos podem ser deixados. Claramente, esse planejamento não agrada a todos. Por isso há novos projetos de design sendo desenvolvidos, tais como o da foto abaixo: para criar o efeito de uma área separada, o espaço é cercado por paredes semitransparentes.

2. Na Escandinávia há casas ecológicas

O termo “casa passiva” (Passivhaus, em alemão) surgiu pela primeira vez na Alemanha, mas a tendência rapidamente se espalhou para os países escandinavos: sempre que possível, engenheiros e arquitetos optam por construir essas casas, consideradas ecológicas. O diferencial delas é que, durante o planejamento, levam-se em conta alguns fatores como sistemas de economia de energia, painéis solares e outros mais. Como resultado, a manutenção de tais casas pode custar até 75% menos do que a das convencionais.

3. Na Polônia, as varandas são decoradas com diversos tipos de flores, menos uma

Na Polônia, é comum ver as varandas decoradas com diversas flores, menos uma: os crisântemos. Varandas com crisântemos são, claramente, de casas de estrangeiros. Para os poloneses, essas flores têm um significado especial. Elas são vendidas sobretudo na véspera do 1º de novembro ( dia de Todos os Santos), que é quando os locais prestam homenagens aos falecidos. Por isso, remetem ao luto.

4. Os holandeses gostam de exibir o interior de suas casas através das enormes janelas

Se você vir uma casa com cortinas grossas e fechadas nos países baixos, não tenha dúvida: ela pertence a um estrangeiro. Não faz muito sol no país, e chuvas são recorrentes. Por isso, as grandes janelas, que já se tornaram um símbolo local, facilitam a entrada dos poucos raios solares. Além disso, um holandês tradicional diria que não tem nada a esconder. Aliás, pelo contrário: ele tende a querer mostrar o quão aconchegante é o seu lar. Esse princípio diz muito sobre os traços da cultura local: em geral, os holandeses são pessoas mais abertas e diretas. As grandes janelas são uma característica das salas; nos quartos, a situação é diferente. Além das plantas e flores exibidas na beirada das janelas, os locais também gostam de expor obras de arte ou pequenas decorações que possam refletir seu gosto em termos de cultura.

5. Os pisos de mármore na Itália ajudam durante o verão

Na Itália, muitos apartamentos têm pisos de pedra não apenas na sala ou no corredor, mas também nos outros cômodos. E o tipo de material varia: granito, mármore e outros materiais “frios”. Durante o verão, esses revestimentos funcionam como uma espécie de “ar condicionado”, ajudando a equilibrar a temperatura nos meses de maior calor. Evidentemente, nos meses de frio, essa escolha pode causar o efeito contrário. A maioria dos apartamentos e casas não possui aquecimento central e, por isso, é comum sentir bastante frio nas áreas internas dos imóveis.

6. No Japão, não é estranho encontrar pias nas varandas

Os lares japoneses são realmente bastante incomuns para a mentalidade ocidental. E aqui está um bom exemplo. É normal encontrar pequenas pias nas varandas, que têm o propósito de facilitar o cuidado com as plantas cultivadas nas casas. Contudo, essa é uma característica praticamente exclusiva das famílias mais abastadas, já que o tema “economia de água” é levado muito a sério na Terra do Sol Nascente.

7. Os israelenses apreciam apartamentos com salas de segurança

Em Israel, há dois critérios que pesam muito na escolha de um lar. Primeiro, a presença de um “quarto de segurança”, onde seja possível se proteger caso comece alguma guerra ou haja um atentado. Nas casas antigas, havia verdadeiros “bunkers” para essa finalidade. Mas as construções de hoje substituíram esses bunkers por cômodos dentro do próprio apartamento. Eles contam com paredes reforçadas, portas revestidas com ferro e cortinas impenetráveis nas janelas. O segundo critério é o posicionamento das janelas. Sobreviver ao calor de Israel sem um ar condicionado é possível somente caso haja janelas posicionadas estrategicamente para criar uma corrente de ar. Por isso, apartamentos com janelas estrategicamente posicionadas são altamente valorizados no país.

8. Os franceses gostam de morar nas regiões centrais, mesmo que em imóveis pequenos

As regiões centrais das cidades francesas praticamente não possuem imóveis novos, apenas prédios históricos. Por isso, os apartamentos geralmente são pequenos e pouco confortáveis. Mesmo assim, viver no centro é algo visto com bons olhos, mesmo que seja preciso sacrificar um pouco do espaço. E, independentemente do tamanho do imóvel, é importante servir petiscos. Essa é uma tradição “sagrada” dos franceses. Por isso, é essencial que haja um espaço para fazer esse tipo de agrado para os hóspedes.

9. As janelas dos quartos indianos são especiais

Na Índia, as famílias mais ligadas à religião adotam uma prática curiosa: as janelas dos quartos onde dormem mulheres têm vista para um pequeno pátio interno. De acordo com os livros religiosos, mulheres não devem olhar pelas janelas voltadas para a rua, pois pedestres podem vê-las. Pior ainda se esses pedestres forem homens.

10. No México, as pessoas amam as casas coloridas

A principal característica das casas mexicanas são os desenhos coloridos e vibrantes — tanto na fachada como no interior. Esse padrão arquitetônico é uma espécie de símbolo nacional. Outro traço, comum de casas mais ricas, é criar o máximo de espaço aberto possível nos quintais ou pátios. As combinações de rosa e laranja, bordô e azul e verde e rosa são muito frequentes no design de diversas construções mexicanas, independentemente da classe social do proprietário.

11. O chuveiro fixo americano não agrada todos os turistas

Comum também no Brasil, o chuveiro fixo adotado nos Estados Unidos causa desconforto para aqueles que não estão acostumados com essa realidade. O chuveiro móvel, adotado em muitas regiões do mundo, permite limpar melhor o corpo quando não se deseja lavar a cabeça. Além disso, esse modelo é bastante útil para limpar o box ou até mesmo para dar banho em bebês e crianças. Por isso, muitos estrangeiros pouco acostumados a esse sistema acabam fazendo obras em suas casas para instalar o sistema europeu de chuveiro móvel preso a uma espécie de barra. Outra questão é que a temperatura e pressão da água são regulados com a mesma válvula. Ou seja, quanto mais se puxa a torneira, maior o fluxo e mais quente sai a água.

Você já viveu ou vive no exterior? O que encontrou de diferente em relação ao nosso país? Em sua opinião, é possível se acostumar a essas diferenças?

Compartilhar este artigo