Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Segundo estudo, irmãos mais novos são os mais engraçados da família

Segundo estudo, irmãos mais novos são os mais engraçados da família

Alguns especialistas dizem que o nosso superpoder é justamente a nossa individualidade. Saber que ninguém é como nós é uma maneira de nos sentirmos únicos e poderosos. No entanto, quem cresce ao lado de irmãos sente isso de uma maneira um pouco diferente. Existem muitos fatores que nos influenciam o tempo todo, mas, segundo alguns psicólogos, a ordem de nascimento dos filhos em uma família é um dos mais importantes.

Incrível.club sabe que em toda família com muitos filhos sempre existe o mais sério, o mais estudioso, o mais preguiçoso e, obviamente, o mais engraçado. Mas, segundo especialistas, é o irmão mais novo que possui este último atributo.

A ordem de nascimento molda as personalidades

O psicoterapeuta Alfred Adler sugeriu que a ordem de nascimento dos irmãos em uma família tem impacto em nossas vidas e tem um papel importante na formação de nossas personalidades. Embora as crianças de uma mesma família cresçam em um mesmo ambiente, as condições psicológicas de cada filho são individuais por causa da ordem de nascimento.

O mais novo é o mais brincalhão

Muitos pesquisadores se interessaram por essa nova teoria. Um estudo recente sobre esse tema foi conduzido por uma empresa britânica de pesquisa de mercado chamada YouGov. No total, 1.782 pessoas com 18 anos ou mais participaram do estudo. Foi pedido que elas se comparassem com seus irmãos em diferentes parâmetros, como o mais responsável, o mais descontraído, o mais divertido, entre outros.

O estudo mostrou que uma das diferenças mais drásticas estava na percepção de ser engraçado. As crianças mais novas apresentaram uma tendência a dizer que eram mais engraçadas que seus irmãos (46%), além de mais relaxadas (47%) e descontraídas (42%). As crianças mais velhas, por outro lado, se sentem mais responsáveis (54%), mais organizadas (54%) e mais bem-sucedidas (38%).

Os outros filhos também têm características especiais

Os pesquisadores que desenvolveram a teoria sugeriram que toda criança procura um subgrupo em sua família, e é nele que a personalidade da criança toma forma. Nesse sentido, os filhos primogênitos têm o privilégio de encontrar seu subgrupo primeiro, e geralmente ele vem acompanhado do papel de mais responsável e mais consciente, uma forma de agradar os pais e também de se sentirem responsáveis pelos irmãos mais novos.

Os filhos mais novos, portanto, estão constantemente tentando resistir ao “status” mais elevado do filho mais velho, buscando assim formas alternativas de autoexpressão. Como não podem ser tão responsáveis e obedientes — sua natureza não é essa —, tentam se destacar de outras maneiras. Em geral, eles se tornam mais emotivos, criativos e engraçados.

O filho do meio não tem o privilégio de ser o filho único, como o mais velho foi por um tempo, e também não recebe a mesma atenção que o irmão mais novo. Essa dinâmica normalmente faz ele sentir uma espécie de inveja dos outros. Portanto, é mais provável que ele seja o rebelde da família. No entanto, ele aprende algumas habilidades valiosas que o ajudam a conviver facilmente com outras pessoas, de maneira que geralmente se mostra alguém mais sociável fora da família.

O caso de um filho único é um pouco diferente. Essas crianças costumam ter toda a atenção dos pais e não precisam compartilhá-la com ninguém, é por isso que muitas acabam mimadas. Ao mesmo tempo, elas recebem todo o apoio de que precisam e costumam estar cercadas de pessoas mais velhas, por isso costumam ser inteligentes e motivadas. Alguns especialistas defendem que é por isso que elas tendem a ser bem-sucedidas no futuro.

Você tem irmãos? Quantos? Você é o mais velho, o do meio ou o mais novo? As características apresentadas acima se apresentam na sua família? Compartilhe nos comentários para vermos se as ideias dos especialistas são realmente corretas.

Compartilhar este artigo