Incrível
Incrível

Como a morte da esposa fez Rick Moranis deixar uma carreira de sucesso para se dedicar aos filhos

Se tem uma música capaz de nos transportar diretamente para os anos 80, é a faixa principal da trilha sonora de Os Caça-Fantasmas. Basta ouvi-la para que surjam em nossa mente lembranças do ator Bill Murray usando o icônico uniforme marrom e sua mochila para acabar com a festa de qualquer criatura sobrenatural. Outro dos inesquecíveis rostos daquela produção é o de Rick Moranis, o contador, que era um dos grandes comediantes da época. Porém, ele precisou se afastar paulatinamente das telonas por conta de um inesperado diagnóstico.

O time do Incrível.club se perguntava como um ator tão bem-sucedido podia ter deixado de fazer filmes. E a resposta para a dúvida traz consigo uma história trágica, mas também marcada por um gesto de amor questionado por muita gente.

Quando um artista é dono de grande talento, mais cedo ou mais tarde acaba atingindo uma fatia considerável do público. Moranis, oriundo de Toronto, Canadá, começou sua carreira como DJ em 1970. Na época, ele usava o nome “Rick Allan” e trabalhava em três emissoras de rádio locais. Seis anos depois, ele estreava na TV, mais especificamente no programa 90 minutes Live, no qual aparecia regularmente apresentando situações cômicas.

O nome do famoso ficou mais conhecido em 1980, quando ele começou a trabalhar em Second City TV. Na atração da televisão canadense, Rick atuava em quadros de comédia dando vida a diferentes personagens, destacando-se por uma imitação de Woody Allen, entre outras. O programa deu tão certo que passou a ser co-produzido nos Estados Unidos. E foi assim que o ator chegou aos lares de um número muito superior de famílias.

Os Caça-Fantasmas foi um divisor de águas na vida de Moranis. Ele integrou o elenco como o contador Louis Tully, mas o curioso é que o primeiro escalado para o papel tinha sido John Candy, conhecido de Moranis desde os tempos de Second City TV e com quem o nosso herói tinha feito uma grande amizade. Por algum motivo, Candy abriu mão do trabalho e, pessoalmente, convocou o amigo para que ficasse em seu lugar e interpretasse Louis.

Moranis não conseguia simplesmente atuar. Desde o início de sua carreira, ele gostava de escrever seus próprios diálogos, e a coisa não foi diferente em Os Caça-Fantasmas. E o resto é história: o filme foi a comédia de melhor bilheteria em 1984, sendo ainda indicada a dois Oscars (de melhor canção original e melhores efeitos especiais).

Como ser bem-sucedido e formar uma família

Paralelamente ao auge de sua carreira, em 1986 Moranis casou com Ann Belsky, uma maquiadora e figurinista também nascida no Canadá. Ao longo dos anos posteriores, além de ter seus dois filhos (cujos nomes foram mantidos em sigilo por um bom tempo), ele continuou trabalhando em filmes que marcaram época.

Em 1987, o astro atuou em S.O.S.: Tem um Louco Solto no Espaço, paródia de Star Wars dirigida por Mel Brooks. Em 1989, ele voltou à pele de Louis Tully em Os Caça-Fantasmas 2 e ainda lançou um longa por meio do qual tornou-se um rosto conhecido para muita gente: Querida, Encolhi as Crianças. Tudo ia muito bem até que, em 1991, a esposa do ator recebeu uma péssima notícia enquanto o marido rodava Querida, Estiquei o Bebê. Foi quando a vida do famoso começou a mudar.

A vida de Ann foi tomada por um diagnóstico grave e, pouco tempo depois, ela faleceu. Com dois filhos pequenos, Rick passou a aceitar apenas projetos desenvolvidos perto de sua casa. A vontade do ator era ver os meninos crescendo em um ambiente acolhedor, mas viajar o tempo todo para gravar cenas o impediria de contribuir com aquele estilo de vida.

Nos anos seguintes ele ainda integrou o elenco de alguns projetos cinematográficos, sendo que seu último filme de grande sucesso foi Os Flintstones — O Filme, em 1994, no qual interpretou Barney. Em 1997, chegava aos cinemas seu último filme, Querida, Encolhi a Gente. Depois disso, passamos um bom tempo sem ver o astro em novas produções.

“Sou pai solteiro, e é difícil demais conciliar a criação dos meus filhos com as viagens exigidas pelos filmes. Por isso, resolvi fazer uma pausa. E essa pausa virou uma pausa mais longa. No fim das contas, percebi que não sentia falta de nada”, disse em 2005 durante uma entrevista. Rick Moranis deixou Hollywood para passar a se dedicar aos filhos em tempo integral.

Para uma pessoa tão acostumada a estar diante dos holofotes e rodeado de estrelas, adotar uma vida mais solitária e privada representou uma tremenda mudança. “Eu sentia saudades das pessoas e da sensação renovadora de fazer algo totalmente diferente a cada dia. Criar filhos e ser um pai que fica em casa, sobretudo pai solteiro, é algo bastante repetitivo”.

Ele foi de dividir seu dia a dia com atores do quilate de Steve Martin e Bill Murray a se encarregar de afazeres domésticos e demais tarefas comuns ao cotidiano infantil. Ainda que muita gente tenha ficado surpresa com a decisão, Moranis não se arrependeu em nada, pois diz ter encontrado “muita alegria e recompensas em outros lugares”. Para o ator, a escolha representou apenas um “ajuste” feito em seu cotidiano.

O afastamento das câmeras “não foi uma decisão formal”, segundo contou ele em uma entrevista mais recente. “Tudo começou no ano em que rejeitei um filme rodado fora da cidade no momento de início do ano escolar. Mas tive a sorte de poder continuar ganhando a vida escrevendo e fazendo dublagens em Manhattan”.

Moranis não apenas passou a se dedicar às dublagens e ao trabalho como roteirista, mas também escreveu artigos opinativos para o The New York Times durante vários anos e se aprofundou em uma de suas outras paixões: a música country. Em 2006, ele lançou o álbum The Agoraphobic Cowboy, indicado ao Grammy. Já em 2013 veio outro trabalho, este intitulado My Mother’s Brisket & Other Love Songs.

Apesar de ter trabalhado na indústria do cinema e ficado tão conhecido, Moranis sempre optou por expor o mínimo possível de sua vida íntima. O costume continua até os dias atuais, uma vez que o ator evita redes sociais e prefere manter uma vida mais voltada para dentro do que para fora. Entretanto, em 2021 ele abriu uma exceção e gravou um comercial com Ryan Reynolds, nos dando a oportunidade de vê-lo atuar por mais alguns minutos

Em sua última entrevista, concedida no ano de 2015, Moranis disse: “Não me arrependo de absolutamente nada. Minha vida é maravilhosa”. Aparecer no YouTube ao lado de Reynolds seis anos depois talvez seja um indício de que é possível para o ator voltar a nos brindar com suas performances nas telonas. Afinal de contas, os filhos dele já estão crescidos. Será que ele irá encolher alguma outra coisa para fazer o mundo sorrir? Perguntar não arranca pedaço...

Qual o filme que mais marcou a sua infância? Deixe um comentário contando que sensação teve ao vê-lo pela primeira vez!

Incrível/Crianças/Como a morte da esposa fez Rick Moranis deixar uma carreira de sucesso para se dedicar aos filhos
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos