Incrível
Incrível

Comentários para o artigo «19 Histórias da infância que explicam melhor do que psicólogos de onde surgiram nossos complexos»

Receber notificações
Eu tinha sete anos e estava na casa da minha avó. Eu não tinha levado nada que pudesse escrever ou desenhar, mas meu primo - alguns meses mais novo que eu) tinha levado.

Ele entrou em um dos quartos e desenhou um "M" gigante na parede.

Tempos depois minha avó entrou no quarto e automaticamente começou a me acusar, dizendo que EU havia desenhado na parede. Eu não era a única crianca na casa, embora nos dos fôssemos os mais novos. Havia outros 5 primos mais velhos lá, mas ainda assim ela ME acusou.

Ela acreditou quando eu disse que não fui eu, pois eu provei isso. Minha mãe e minha irmã alegaram que eu não havia levado nada, enquanto o eu primo havia feito.

Hoje, eu não acredito em minha avó. Na verdade, eu a evito. Não gosto sequer de ir a sua casa, embora eu vá com minha família.

Tenho 16 anos hoje. 14 anos foi a segunda vez que toquei no assunto. Minha mãe me mandou esquecer, que ela não havia feito por mal.

Eu queria fazer o que ela me disse, mas ainda me dói muito o que ela me disse, a sua acusação .

Eu nunca havia causados problemas na casa dela antes...
-
2
Resposta
Que triste ?
-
-
Resposta
Realmente é muito triste os traumas que " ganhamos" na infância. Eu fui criada por avós e tios paternos. Minha irmã e eu éramos tratadas como empregadas da casa. Tínhamos quatro primos que moravam com a gente e tinham tratamento completamente diferente.

Tudo oque os adultos e as crianças faziam era pra ofender e humilhar os duas. Éramos as bastardas, rejeitadas e filhas de uma sem juízo na boca deles. Foi com eles que aprendi os piores nomes que se pode ofender uma pessoa.

Mas oque me fez perder a confiança de vez na humanidade foi o fato de não acreditarem em mim quando eu disse que meu tio estava molestando minha irmã e eu ???

Fui tratada como uma mentirosa e como eles mesmo disseram, uma vagabunda como minha mae. Eu tinha apenas 8 anos quando tudo começou, minha mãe havia acabado de falecer, aguentei as investidas dele até os 11 quando resolvi falar pra todos e ninguém acreditou em mim

????

Hj tenho 37 anos, sou mãe de família e não consigo confiar em ninguém. Tenho uma autoestima muito abalada e meus relacionamentos sempre foram muito conturbados. Mas hj tenho um marido maravilhoso que me ama e me respeita
-
3
Resposta
Tive um irmão, 08 anos mais velho, que foi criado por primos do meu pai e veio morar conosco quando eu estava com 11 anos. Eu o amava porque tenho duas irmãs mais velhas e ele era o único “menino”. Na primeira semana em que se mudou pra nossa casa, abusou de mim...passei a ter medo de chegar perto dele...resumo: contei às minhas irmãs e mãe, nenhuma acreditou em mim e pediu para eu passar uma borracha em tudo o que aconteceu e seguir em frente. Hoje, falo disso numa boa depois de ter feito terapia, antes disso, vomitava TODAS as vezes em que o via.

Digo tive um irmão porque não o considero, não tenho contato e não sei nada de sua vida, além de que está em seu 5º Casamento..

Sempre tive e tenho problemas de confiança por conta disso que resumi em poucas linhas.
-
3
Resposta
Quando eu tinha lá meus 7 anos, meus pais começaram a brigar muito: meu pai não sabia controlar a raiva e quando ficara irritado descontava toda seu descontentamento em mim e na mimha irmã. Ele dizia que minha mãe nos educava mal e quando íamos sair para algum lugar e ele não gostava das roupas que vestiamos, diziamos que minha mãe nos vestia mal e que estávamos feias. Sempre que não fazemos as coisas do jeito que ele quer, fica bravo, grita, põe a culpa em mim na minha mãe e irmã e sai para beber e só volta bem tarde na madrugada e depois volta dando beijos e abraços para recompensar as coisas ruins que diz. Por causa dessas coisas que disse na minha infância, hoje tenho baixa autoestima e problemas para me aceitar.
-
2
Resposta
Ative as notificações para ver novas respostas aos seus comentários