Incrível

Especialistas dão 10 dicas para você escapar dos truques usados pelos restaurantes

6-34
16k

Existem determinadas técnicas usadas por alguns restaurantes para fazer com que os clientes gastem mais durante as refeições. Às vezes, você pode acabar sendo convencido a pagar por um prato um valor muito acima do que ele realmente vale. Em outros casos, a pessoa acaba pagando por um volume maior de comida do que ela está acostumada a ingerir. O mais surpreendente em relação a isso é que, bem debaixo do nariz de seus clientes, inúmeros estabelecimentos lançam mão de estratégias para que as pessoas gastem mais do que haviam planejado. Pois é, ao sair para comer fora, você pode ser vítima de manipulações.

Nós, do Incrível.club, queremos que nossos leitores sempre façam bons negócios. Por isso, resolvemos listar os truques mais usados por restaurantes para ludibriar seus clientes.

1. A ilusão de Delboeuf

Especialistas dão 10 dicas para você escapar dos truques usados pelos restaurantes

Talvez você já tenha visto ilustrações mostrando dois objetos do mesmo tamanho, mas que parecem diferentes. Os restaurantes costumam recorrer muito a esse tipo de ilusão: diante de refeições servidas em pratos grandes, os clientes são levados a pensar que estão comendo bastante, ainda que a mesma quantidade de comida coubesse facilmente em um prato menor. Por outro lado, o fato de haver muito espaço vazio no prato pode levar o consumidor a pensar que ainda precisa comer mais. E o contrário também acontece: muitos restaurantes de buffet livre disponibilizam pratos pequenos para que os clientes sejam levados a comer menos.

2. Truques nas porções

Digamos que você tome refrigerante quando sai para comer fora. A maioria dos clientes está acostumada a receber esse tipo de bebida em copos altos, achando que assim estão consumindo o máximo do produto. Porém, o ideal seria o restaurante usar copos largos, ainda que mais baixos, para que a relação fosse mais vantajosa para o cliente. Em outras palavras, se você tiver direito a refil da bebida, não hesite em utilizá-lo.

3. Fazer a comida parecer mais cara do que realmente é

Via de regra, os pratos parecem ganhar um sabor relativamente melhor quando usamos talheres de prata, e não de plástico, apesar de o alimento ser exatamente o mesmo. Quanto mais classe na apresentação de uma refeição, mais gostosa pensamos que ela é.

4. Cobrança por serviços “opcionais”

Em alguns estabelecimentos e países, é hábito deixar uma gorjeta para o garçom quando o serviço oferecido foi excelente. O que talvez você não saiba é que alguns restaurantes já inserem uma cobrança “opcional” pelo serviço em sua conta. E enquanto alguns clientes se sentem constrangidos demais para questionar se deveriam estar pagando menos, a maioria nem sequer percebe a cobrança extra e acaba dando mais uma gorjeta ao garçom. Em alguns casos, os funcionários do estabelecimento são orientados a pedir a gorjeta só depois que o cliente já pagou a conta com a taxa adicional de serviço.

5. “Reciclagem” do pão oferecido gratuitamente

Muitos funcionários de restaurantes admitem o costume: se o cliente não consumir todo o pão do couvert que é servido gratuitamente, o alimento será guardado e reaquecido para voltar às mesas no dia seguinte. Alguns estabelecimentos, no entanto, apostam em uma saída mais criativa, usando o pão para fazer torradas, croutons ou produtos similares.

6. Truques no cardápio

Na hora de escolher o que irão comer, muitos clientes dão apenas uma olhada rápida no menu. Porém, é preciso ficar esperto, pois muitos restaurantes recorrem a truques para manipulá-los. Pratos mais caros costumam estar no topo da lista, ou então são mostrados de maneira destacada. Além disso, os preços costumam aparecer sem o sinal de cifrão, já que ele chama mais atenção do consumidor para o valor.

7. Compra e venda de alimentos congelados

Muita gente gosta da praticidade de pedir comida, em vez de preparar toda uma refeição partindo do zero... e o mesmo se aplica no caso de certos restaurantes. Algumas redes de estabelecimentos já admitiram que, ao longo dos anos, encomendaram pratos congelados aos fornecedores. No restaurante, o prato é apenas aquecido e servido ao cliente. Em outras palavras, você já pode ter pagado caro por um prato congelado de alta qualidade.

8. Tocar música clássica

O tipo de música que toca no restaurante tem mais importância do que você pode pensar. Música clássica, por exemplo, teria a capacidade de fazer as pessoas se sentirem financeiramente bem-sucedidas, deixando-as mais à vontade para continuar fazendo pedidos aos garçons.

9. Dar cores artificiais aos alimentos

salmão é um alimento delicioso e saudável, o que faz dele um pedido popular em diversos restaurantes. Por isso, os estabelecimentos precisam comprar dos fornecedores grandes quantidades do peixe. E para atender à demanda, muitos recorrem a salmões de criadouros que, em vários casos, alimentam os animais com produtos de baixa qualidade, o que acaba dando à carne uma coloração acinzentada. Por isso, são inúmeros os restaurantes que optam por tingir o salmão, deixando-o com uma aparência mais fresca que a original.

10. Batizar pratos com nomes “especiais”

Quando o cardápio conta com nomes “descolados” nos pratos, acaba ajudando na fidelização do cliente. Boa parte das hamburguerias, por exemplo, vende sanduíches parecidos, mas em cada estabelecimento eles têm nomes bem diferentes. Você vai comer hambúrguer em seu lugar preferido porque, de alguma maneira, se identifica com ele. Quando vamos a um restaurante, pagamos não apenas pela comida, mas também pela experiência. Nomes coloridos, às vezes em idiomas estrangeiros, também tendem a aumentar as vendas em até um terço. “Chicken Française” soa mais chique do que “costeletas de frango”.... e não vamos nem mencionar o fato de que a expressão “Chicken Française” nem sequer existe em francês.

Você já descobriu outras estratégias adotadas por lanchonetes e restaurantes para fazer com que os clientes gastem mais? Não deixe de comentar e participar da discussão!

Imagem de capa Pixabay
6-34
16k