Tubarões que cospem o estômago fora e 28 fatos interessantes para a semana do tubarão

Animais
há 6 meses

Alguns tubarões têm a misteriosa capacidade de cuspir o estômago fora e puxá-lo de volta para o lugar. Ah, isso seria muito útil! A maioria das espécies ingere grandes quantidades de comida. Mas o problema é que não conseguem digerir tudo e precisam encontrar uma maneira de se livrar de coisas como conchas e bicos de tartarugas marinhas, penas e ossos de pássaros, garras de lagosta e coisas assim. Então essas criaturas incríveis vomitam de propósito o estômago, junto com tudo que tem dentro. Depois que terminam, puxam seu principal órgão digestivo de volta para dentro. E todo esse processo geralmente não leva mais do que um segundo!

Algumas espécies de tubarões, como o branco ou o mako, têm um sistema especial de aquecimento dos olhos. A retina aquece os olhos e o cérebro. Isso não apenas os ajuda a detectar melhor os movimentos, como também melhora a resolução. Quanto ao tubarão-mako, essa espécie frequentemente se desloca verticalmente por diferentes temperaturas.

Ao contrário da maioria das pessoas com apenas uma mandíbula móvel, os tubarões podem mover livremente as mandíbulas inferior e superior. Isso lhes permite controlar melhor a refeição e mastigá-la de maneira mais rápida e completa. Isso é tão... Tranquilizante! Esses animais dão à luz um grande número de filhotes de uma só vez. Depende da espécie, é claro. Mas, digamos, o tubarão azul é famoso por gerar mais de 130 filhotes de uma só vez!

O grande branco tem a mordida mais forte do que a maioria dos felinos selvagens. Esse caçador subaquático de 6 m de comprimento pode produzir uma força de mais de 275 kg/cm². Essa é uma mordida quatro vezes mais forte do que a de um leão ou tigre! Os humanos chegam a desprezíveis 10 a 15 kg/cm², então não estão MESMO nesse páreo!

O tubarão-gato se defende engolindo grandes quantidades de água. Então, o corpo dele fica com o dobro do tamanho normal, o que afasta o perigo potencial. Os tubarões podem desenvolver mais de 50.000 dentes durante a vida. Porém, nem todos os dentes são iguais. Os mais fortes e maiores ficam na frente. E os mais próximos da parte de trás são menores e não tão fortes. Mas se os dianteiros estiverem danificados, esses mais fracos podem substituí-los. Isso é possível porque os dentes dos tubarões não são tão enraizados quanto os dos humanos e podem se mover.

pele desses animais tem a mesma textura de uma lixa. Ela é feita de escamas parecidas com minúsculos dentinhos, que apontam para a cauda. Isso ajuda a reduzir o atrito que acontece quando esses bichos se movem na água. O tubarão-baleia conta com uma pele extremamente grossa. Em alguns lugares do corpo, pode ter 15 cm de espessura e é uma das mais resistentes do mundo animal. Os cientistas precisam fazer um grande esforço se quiserem obter a amostra de sangue dessa criatura.

Os tubarões têm um olfato incrível. Mas, além disso, usam um sentido a mais para detectar outros animais. Eles possuem poros especiais ao redor da cabeça, perto das narinas e sob o focinho. São órgãos especiais, algo como uma segunda visão. Cada animal gera um minúsculo campo elétrico. Graças a esses poros, cada indivíduo pode localizar esses campos elétricos e descobrir onde estão os outros companheiros. Os ouvidos incrivelmente aguçados são outro diferencial. Essas criaturas conseguem ouvir sua refeição em potencial a cerca de 915 m de distância. Também podem captar sons de baixa frequência, como os produzidos pela contração do tecido muscular de um peixe.

Os tubarões existem há mais de 400 milhões de anos. Isso significa que passaram por quatro de cinco extinções em massa. Isso os torna muito mais antigos do que o Monte Everest, humanos, dinossauros e até árvores! Eles remontam ao período em que os recifes de coral estavam apenas começando a se formar!

Algumas espécies podem pular da água, como o grande branco ou o tubarão-elefante, que podem saltar mais de 2 m e meio no ar. Essa manobra lhes permite apanhar animais como focas ou aves marinhas. Mas, a menos que você esteja na África do Sul, provavelmente não os verá saindo da água.

Os esqueletos dos tubarões são feitos de músculos e cartilagem, que são mais leves e duas vezes menos densos que os ossos. Isso torna esses animais mais flexíveis e lhes permite fazer curvas fechadas quando estão perseguindo suas presas.

Os tubarões-martelo têm uma cabeça de formato tão estranho por uma razão. Graças a ela, essas criaturas têm uma visão incrível de 360 ​​graus. Os olhos ficam um pouco inclinados para a frente e possibilitam um campo de visão sobreposto.

As mandíbulas aterrorizantes do tubarão-duende ficam presas a ligamentos elásticos. Elas podem se catapultar do focinho por até 8 cm, assim o animal consegue projetar sua boca para a frente para pegar outras criaturas marinhas.

Os tubarões não dormem como nós. Algumas espécies precisam nadar o tempo todo. Caso contrário, a água para de fluir pelas guelras e eles não conseguem mais respirar. Outros descansam, mas não entram em um estado inconsciente, e sim em períodos especiais de repouso. Essas criaturas não têm pálpebras. É por isso que os olhos permanecem sempre abertos. E as pupilas monitoram os arredores. A boca também é mantida aberta para que a água possa passar pelas guelras.

Os tubarões podem viajar distâncias notavelmente longas sem a necessidade de descanso. Tudo graças ao seu padrão bizarro de sono. Por exemplo, os grandes brancos podem nadar distâncias de mais de 3.200 km sem parar para comer ou descansar. E como não morrem de fome? Eles usam a gordura armazenada no fígado. Aliás, esse órgão pode compor até um terço do peso corporal deles!

Ao contrário da crença popular, são animais que NÃO conseguem nadar de ré. Suas caudas os impulsionam para a frente e as nadadeiras peitorais os ajudam a manter o equilíbrio e girar. Isso significa que, anatomicamente, não são capazes de se mover em nenhuma direção que não seja para a frente.

Os tubarões não têm cordas vocais e não conseguem produzir sons para a comunicação com os outros ou para expressar suas emoções. É por isso que precisam usar movimentos corporais, como torcer o corpo ou virar em torno de si. Eles vivem em todos os oceanos do mundo. Mas várias espécies também habitam rios e lagos de água doce. Por exemplo, os de cabeça-chata foram encontrados em rios tropicais. Há espécies que também são conhecidas pela capacidade de nadar na água doce e na salgada.

O tubarão-lanterna-anão é o menor que existe. Esse animal único não cresce mais do que 20 cm. Mas compensa seu tamanho minúsculo de outras maneiras. Por exemplo, alguns de seus órgãos emitem luz. E o fato de habitar águas rasas o ajuda a se camuflar sob os raios de sol.

Tubarões-azuis comem muito — geralmente mais do que precisam. Alguns desses alimentos podem permanecer não digeridos por semanas até que sejam necessários para obter energia.

Os tubarões têm algo que se parece com uma língua. Esse órgão é chamado de basihyal. Trata-se da parte frontal da cartilagem que vai do peito até a boca. Ela não se move e é praticamente inútil. Essa chamada “língua” não participa do processo de alimentação e não é coberta de papilas gustativas. Seu único uso na verdade pode ser apoiar alguns dos ossos que conectam as guelras.

Existem centenas de espécies de tubarões no mundo — mais precisamente, cerca de 500. Algumas são bem bizarras. Basta olhar para o tubarão-duende, o tubarão-elefante ou o tubarão-charuto! Todas variam em tamanho, de vários centímetros a dezenas de metros de comprimento. E também vivem em ambientes absolutamente diferentes.

Tubarões-tigre comem tudo o que conseguem com suas mandíbulas. Algumas das coisas mais estranhas que já mastigaram foram câmeras de vídeo, sacos de dinheiro, placas de carros (de quase todos os estados dos EUA), coleiras de cachorro... e por aí vai!

Cada tubarão-baleia tem um desenho padrão único na pele. As manchas e listras podem ser usadas para identificar cada indivíduo, assim como as impressões digitais nas pessoas.

O tubarão-albafar pode mergulhar a uma profundidade tão grande quanto cinco edifícios Empire State. Os tubarões bebês são chamados de filhotes. Quando nascem ou eclodem, já estão totalmente nutridos. E se escolherem nadar para longe da sua mamãe, não precisam caçar para se alimentar por várias semanas pelo menos. Oh, oh. Alguém disse Baby Shark?

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados