’Reflexo’ da Disney traz a primeira heroína plus size e discute aceitação e empoderamento

Arte
há 11 meses

O mundo é um lugar rico e diversificado e cada um é belo à sua maneira. E para incentivar as diferenças e promover o amor próprio e a aceitação, a Disney acaba de lançar seu primeiro curta-metragem comovente e empoderador, Reflexo, destacando uma heroína plus size.

Sobre a animação empoderadora

Bianca, uma jovem bailarina que lida com dismorfia corporal, é retratada dançando no escuro em frente a espelhos que começam a engoli-la, refletindo suas lutas com a imagem corporal e sua baixa autoestima.

A animação mostra então a garotinha destruindo esses espelhos, dançando de qualquer jeito e explodindo através deles em uma chuva de luz. Em essência, a garotinha plus size luta contra seu próprio reflexo, superando a dúvida e o medo, canalizando sua força interior para desenvolver sua autoconfiança.

O curta triunfante, dirigido por Hillary Bradfield, artista da Animação Disney que já trabalhou em Encanto, faz parte de uma série experimental lançada pelos Estúdios de Animação da Walt Disney para tratar de questões como imagem corporal e autoestima.

Sobre o Transtorno Dismórfico Corporal

Dismorfia Corporal (BDD, na sigla em inglês) é uma condição de saúde mental na qual a pessoa se preocupa obsessivamente com falhas em sua aparência física, muitas vezes imperceptíveis para os outros. Quem sofre dessa doença desenvolve rotinas e comportamentos compulsivos, como o uso excessivo de espelhos ou passa a evitá-los completamente. Pessoas com essa condição também podem se isolar para evitar situações em que sua aparência possa causar ansiedade ou constrangimento. Esse problema é mais comum em adolescentes e adultos jovens.

A Disney já foi criticada por seus fãs

Há tempos os fãs da Disney pedem ao estúdio a criação de personagens principais plus size, com um post viral em 2015 retratando enormes mudanças em personagens da Disney. Um ano depois, um YouTuber exigiu a criação de uma princesa pluz size, acusando o filme A Pequena Sereia da Disney de criar a vilã Úrsula acima do peso.

Além disso, no ano passado, a gigante do entretenimento foi criticada por impor padrões de beleza irrealistas ao público jovem, após apresentar um personagem com proporções exageradas em uma de suas animações intitulada Trabalho Interno.

Os esforços anteriores da Disney para fazer as crianças se sentirem bem consigo mesmas

Na verdade, a Disney se esforçou para melhorar a diversidade de seus personagens nos últimos anos. O protagonista do filme Encanto, de 2021, sobre uma família com poderes mágicos, na verdade foi inspirado em uma carta enviada à empresa por uma criança de 9 anos, pedindo a criação de uma personagem que usasse óculos como ela.

Os fãs estão encantados e cheios de elogios pela reviravolta na cultura

A animação deixou os fãs em lágrimas, pois a Disney nunca havia apresentado uma protagonista plus size antes em seus 85 anos de história de produção de filmes. Esses personagens nunca foram tratados como heróis, mas sim como vilões ou figurantes.

Na verdade, uma das espectadoras desejou que o filme tivesse sido feito quando ela ainda era criança. “Eu, com 16 anos, precisava desse curta da Disney, antes de deixar o balé, por não querer mais ser a garota gorda da aula. Estou feliz porque os pequenos terão isso...”, tuitou.

O curta pode levantar um novo debate

Por outro lado, a discussão sobre retratar personagens com sobrepeso ou obesos de uma forma positiva está acirrada. Enquanto muitos lutam pelo movimento de aceitação da gordura, outros se preocupam que a normalização dos corpos plus size possa levar um número crescente de pessoas a subestimar seu peso, pondo em risco sua saúde.

Qual é a sua animação preferida da Disney? Adoraríamos saber sua opinião.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados