O que teria acontecido se o Titanic tivesse encontrado o Kraken e não um iceberg?

Animais
há 7 meses

Eram apenas algumas horas antes da meia-noite. Alguns dos 2.200 passageiros de um grande transatlântico luxuoso ainda estavam festejando nos belos lounges de primeira classe. O resto estava dormindo em suas camas. Alguns deles — em cabines espaçosas cheias de pinturas e decoradas com esculturas ornamentais.

Outros — em quartos minúsculos abaixo do nível do mar. Todas essas pessoas tinham apenas uma coisa em comum — naquela fria noite de abril, todas elas estavam indo de Southampton, na Inglaterra, para Nova York.

O navio era chamado de Titanic e, naquele momento, era considerado inafundável. No início da jornada, o navio quase colidiu com o navio a vapor New York. Felizmente, o Titanic conseguiu passar pelo outro navio com alguns metros de sobra. Os passageiros soltaram juntos um suspiro que encheu o convés do navio. Mal sabiam eles o que os esperava em um futuro próximo.

Vários dias depois, quando o navio já estava no Oceano Atlântico Norte a 595 km de distância de Newfoundland, o inimaginável aconteceu. Por volta das vinte e três horas e quarenta minutos do dia 14 de abril, aqueles que ainda estavam acordados foram derrubados por alguma força misteriosa e poderosa. Passageiros que já estavam em suas camas foram jogados ao chão. Gritos e confusão total.

Meses antes de o desastre acontecer, um pedaço gigantesco de gelo havia se separado de uma geleira no sudoeste da Groenlândia. Se formou da neve que havia caído há cerca de 100.000 anos — quando mamutes ainda vagavam pelo planeta.

Quando o iceberg começou a sua jornada, era uma coisa enorme. Quase 520 metros de comprimento, e pesava 75 milhões de toneladas! Mas então, flutuou muito mais ao sul do que o normal — bem na área em que o Titanic precisava atravessar a caminho da América do Norte

Mesmo depois de derreter na água por meses, o iceberg ainda pesava impressionantes um milhão e meio de toneladas. Sua parte superior elevava-se sobre a água por quase 30 metros. Mesmo assim, parecia inofensivo ao lado do enorme transatlântico — mas apenas à primeira vista.

O que as pessoas viam era apenas uma pequena parte de um pedaço enorme de gelo. A maior parte de qualquer iceberg fica escondida sob a superfície, com apenas um décimo visível acima da água. “O iceberg do Titanic” não foi uma exceção.

No momento em que colidiu com ele, o navio foi condenado. Incapaz de desviar seu curso, ele colidiu com o gelo, rompendo pelo menos cinco de seus compartimentos do casco. Eles imediatamente começaram a se encher de água, que, então, inundou cada compartimento, um por um.

A frente do navio começou a afundar, elevando a parte de trás quase verticalmente no ar. E então, com um rugido ensurdecedor, o navio quebrou ao meio... O resto é história.
Mas, e se o que sabemos sobre o desastre não for verdade? E se o navio não tivesse sido destruído por um iceberg? E se tivesse sido algo mais traiçoeiro e muito mais vivo que afundasse o Titanic?!

Muito, muito abaixo da superfície, nas profundezas escuras do oceano, uma sombra se esconde. Imagine uma criatura enorme: “redonda, chata e cheia de braços” — ou melhor, tentáculos poderosos. Assemelha-se a uma lula gigante ou polvo — mas muito, muito maior. Suas descrições vão de “até 10 navios” a “2,4 quilômetros de comprimento”.

Há rumores de que marinheiros azarados às vezes confundem o monstro marinho com uma ilha. Mas, em vez de pisar em terra firme, eles são arrastados para o oceano! Essas pessoas encontram o Kraken — uma criatura lendária temida por todos que partem em uma viagem marítima.

Normalmente, o Kraken assombra os mares ao largo das costas da Noruega, passando pela Islândia e até a Groenlândia. Quem sabe o que levou a besta mais longe de casa? As águas do Atlântico Norte também são frias, e a criatura se sente bem — e curiosa. Uma vez que percebe o Titanic, o navio não tem como escapar da sua atenção.

Está escuro, é por isso que aqueles no transatlântico não percebem os primeiros sinais de alarme. A água ao redor do navio começa a borbulhar. Se você esticar os ouvidos, poderá ouvir sons borbulhantes bizarros. Se esticar os olhos, poderá ver milhares de peixes e águas-vivas subindo à superfície! Eles sentem haver acontecendo algo lá embaixo.

Mas, mesmo que alguém no Titanic percebesse essa atividade, não teria tempo de sair do caminho da besta horrível. Seu tamanho enorme e tentáculos superlongos e fortes o transformam em um predador do qual você não pode escapar.

Um garoto de 9 anos de pé no convés não sabe nada sobre o monstro marinho. Ele está apenas observando inúmeras pequenas ilhas saindo do mar — muito, muito lentamente. O garoto não entende por quê, mas todo o sangue em seu corpo de repente esfria.

Centenas de peixes minúsculos estão pulando nas piscinas entre esses “bancos de areia”. Mas logo, eles rolam para a água pelas laterais da coisa gigantesca. Vários pontos afiados aparecem acima da superfície — o garoto intrigado acha que eles parecem chifres.

Eles ficam cada vez mais grossos quanto mais altos sobem. Em breve, estão se elevando sobre o enorme Titanic, superando o navio! Esses chifres são os temidos braços do Kraken.

O garoto está paralisado pelo medo. Mas então, ele vê o olho do monstro — é tão grande quanto um elefante! Isso faz com que o garoto volte a si e se afaste, gritando como se não houvesse amanhã. O grito do garoto atrai as pessoas. Elas se reúnem ao lado do navio, tentando identificar o que tanto assustou a criança. E então, elas veem.

Primeiramente um, depois mais e mais passageiros e tripulantes se inclinam sobre o corrimão para dar uma olhada melhor. Eles não estão sendo descuidados — estão apenas em choque. Na verdade, é difícil acreditar em seus olhos quando dizem que uma besta terrível está prestes a atacar o navio em que você está! Além disso, está escuro, e ninguém pode ver claramente o que é essa enorme sombra escura.

Mas os próximos minutos provam que não é uma miragem: de repente, a criatura levanta um de seus braços monstruosos e o estica em direção à embarcação! Pode muito bem ser mais longo do que todo o casco!
As mulheres começam a gritar e desmaiar, os homens parecem estar igualmente aterrorizados. Aqueles que conseguiram manter a cabeça em ordem, pegam as crianças e correm buscando abrigo.

É quando o primeiro golpe poderoso sacode o navio. O Kraken esperou o suficiente — está pronto para a ação. O pânico toma conta das pessoas a bordo do Titanic. Correndo sem rumo e gritando, elas criam um caos que deixa a besta ainda mais interessada.

Normalmente, o monstro só quer não ser incomodado. Ele descansa no fundo do oceano, usando seus longos tentáculos para se fixar ao fundo e caçar comida preguiçosamente. Ele só sobe à superfície quando o tempo está excepcionalmente quente — ou quando é perturbado. O Titanic provavelmente é tão grande e barulhento que interrompeu o sono da criatura.

Quando a besta chega à superfície e vê um grande barco brilhante — uau! — a coisa hipnotiza a criatura. Ela estende um de seus tentáculos para tocar a construção incomum. O material é duro, e a besta se pergunta se a coisa vai quebrar quando espremida. Sem perder muito tempo, ela envolve vários braços ao redor do navio e tenta esmagá-lo.

Criaturas minúsculas indo de um lado para o outro, caindo ao mar e fazendo barulhos agudos irritantes começam a irritar o Kraken. Ele está ficando bravo. Fazendo com que ele solte o navio, o monstro circunda o Titanic várias vezes, preparando-se para o próximo ataque.

Desta vez, o ataque é muito mais forte. Dobra o metal e o torna quebradiço. Mais um movimento de um tentáculo hábil — e o navio começa a se encher de água. O Kraken recua — como se quisesse aproveitar os resultados de seus esforços. Mas então, percebe que o navio está tentando acelerar em tentativas fúteis de ganhar alguma distância do monstro.

As pessoas a bordo do Titanic suspiram de alívio: a besta não está à vista. Mal sabem elas que o Kraken nunca deixa seus brinquedos escaparem. O navio está começando a desacelerar. Sua parte traseira está se levantando lentamente, e parte da frente está descendo debaixo d’água.

Passageiros e tripulantes estão caindo no convés. A maioria deles está com muito medo de fazer qualquer barulho — é por isso que tudo está acontecendo em um silêncio quase completo e sinistro.

Até que o navio se quebra em duas partes sob seu próprio peso.
O acidente é tão poderoso que assusta até mesmo o Kraken! Assustada, a besta mergulha de volta no oceano, o que cria um enorme redemoinho fervente naquele local. A sucção está arrastando o que resta do Titanic para as profundezas do oceano.

Mas o mais trágico aqui? O Kraken nem está interessado nas pessoas a bordo do navio! Esta criatura se contenta em mastigar peixes — ela não precisa de presas maiores. É a curiosidade do animal que agora está puxando o enorme navio para o fundo. O majestoso transatlântico tem alguma esperança? Acho que você sabe a resposta.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados