O que acontece com seu corpo se ficar 8 horas por dia sentado

Saúde
há 11 meses

As pessoas passam cada vez mais tempo sentadas. O dia começa com uma espiada no Facebook, muitas vezes pelo notebook, passa pelo trabalho na frente de um computador e termina com o retorno para casa, para assistir a séries de TV ou jogar jogos...no computador. Só que ficar muito tempo sentado causa problemas muito sérios. Por isso esperamos que, depois de ler este post, você sinta vontade de se levantar e dar um passo em direção a um estilo de vida mais ativo.

1. Carga na coluna vertebral

No Incrível.club lemos o livro “Levante-se! Por que sua cadeira está matando você e o que você pode fazer sobre isso” (Get Up!: Why Your Chair is Killing You and What You Can Do About It) e queremos compartilhar os resultados de muitos anos de pesquisa de James Levin, o autor da obra, que compara o estilo de vida dos sedentários com o alcoolismo, pois considera ambos vícios.

Segundo os cientistas, cada britânico passa em média 14 horas por dia sentado. E é provável que a nossa média não esteja longe dessa triste estatística.

Já professor Galen Krantz, da Universidade da Califórnia, EUA considera que permanecer por muito tempo sentado é uma postura corporal absolutamente antinatural. Não é à toa que a coluna vertebral tem o formato de S, característica que a ajuda a suportar grandes cargas. No entando, na posição sentada, o S se transforma em C. A pessoa se inclina, os músculos abdominais e laterais se enfraquecem e, sem praticar exercícios regulares, não consegue fortalecer a coluna e o abdômen para lidarem com a tarefa de sustentar o corpo.

Quando você está sentado, toda a carga vai para a pelve e para a coluna vertebral, fazendo com que a pressão sobre os discos intervertebrais aumente. Devido à tensão constante, as vértebras cervicais acabam sendo comprimidas, o que provoca uma diminuição da intensidade do fluxo sanguíneo para o cérebro. Como consequência, começam a aparecer sintomas como dores de cabeça e deficiência visual.

A coluna vertebral é um tipo de armadura que ajuda a proteger os órgãos internos, por isso é muito importante que sempre esteja direita e que não sofra com muitas cargas.

2. Sistema cardiovascular

Uma das consequências mais graves de um estilo de vida sedentário é o alto risco de desenvolver doenças cardiovasculares: doença cardíaca coronária ou hipertensão crônica. Devido ao estilo de vida passivo, os músculos diminuem, o suprimento sanguíneo piora e o tônus dos vasos sanguíneos diminui.

A falta de atividade física é uma das principais causas da arteriosclerose precoce (densificação dos vasos sanguíneos, por causa da deposição de placas de colesterol). O equilíbrio entre a ingestão de oxigênio e o seu consumo se altera. O coração precisa de mais oxigênio do que recebe pelo sangue.

Um estudo em larga escala envolvendo mais de 17.000 pessoas e que durou mais de 13 anos mostrou que as pessoas que têm um estilo de vida sedentário são 54% mais propensas a morrer de ataque cardíaco.

3. Varizes

As pessoas que passam o dia inteiro sentadas sofrem de má circulação nas extremidades inferiores, o que leva à formação de varizes, problema que as mulheres são mais predispostas a sofrer.

Uma das razões desse fenômeno, além do fator hereditário, é que as mulheres muitas vezes se sentam com as pernas cruzadas. Então os vasos sanguíneos acabam sendo comprimidos e o sangue fica estrangulado em certos lugares.

Os problemas de circulação também são perigosos, porque podem levar à formação de coágulos sanguíneos, que podem obstruir facilmente um vasos sanguíneos vitais para o coração, pulmões e cérebro.

4. Obesidade

O excesso de peso é um dos efeitos mais comuns de um estilo de vida sedentário. O metabolismo diminui e há uma redução da quantidade de calorias queimadas, cujo excesso acaba sendo depositado no corpo na forma de gordura.

Assim que uma pessoa se senta, seu corpo diminui a queima de gordura em 90%, ocorre uma diminuição dos níveis de insulina e a pressão sanguínea aumenta. Nos últimos 50 anos, uma vez que a maioria dos trabalhos se tornou sedentária, as pessoas gastam muito menos calorias.

Quando trabalha em pé, você queima aproximadamente 35% mais calorias do que se estivesse sentado. E de acordo com a lei do equilíbrio energético, esse é um fator chave para perder ou manter o peso.

5. Músculos e ossos

Devido à tendência de se encurvar e da pouca mobilidade, os músculos tornam-se fracos e flácidos. Esse processo afeta em primeiro lugar os músculos abdominais e as nádegas.

Outra consequência possível de um estilo de vida sedentário é a osteoporose. A verdade é que, na posição sentada, os ossos não experimentam nenhuma dificuldade para sustentar o corpo. Com o tempo, isso leva a uma perda de força, a estrutura do tecido ósseo se torna mais porosa e os ossos ficam mais frágeis e quebradiços.

6. O sistema digestivo

Em 2011, foi demonstrado que ficar sentado por muito tempo durante apenas um dia leva a uma diminuição do nível de consumo de insulina pelas células. Como resultado, existe uma maior predisposição ao diabetes e a outras doenças.

O estilo de vida sedentário pode provocar ainda uma das doenças mais desagradáveis: constipação crônica e, em casos especialmente graves, hemorróidas.

7. Envelhecimento

Segundo artigo científico publicado na revista The Lancet, a inatividade é responsável por uma taxa alarmante de mortalidade: 5,3 milhões de pessoas por ano são vítimas da chamada hipocinesia (redução da capacidade de movimentar-se), superando, inclusive, o número de pessoas que morrem por conta de problemas causados pelo consumo de cigarro — 5 milhões.

Os telômeros, localizados nas extremidades dos cromossomos, responsáveis por protegê-los de danos, encurtam-se à medida que o corpo envelhece. Foi demonstrado que, num estilo de vida sedentário, os telômeros encurtam mais rapidamente do que nos corpos ativos. Isso faz com que o processo de envelhecimento se acelere visivelmente.

O preço do nosso conforto é muito alto: cada hora sentado nos custa duas horas de vida.

8. Trastornos mentais e ansiedade

O estilo de vida sedentário também afeta negativamente a saúde mental. As pessoas que não enfrentam nenhuma carga física são mais propensas à depressão e ansiedade. As cadeiras em que nos sentamos se tornam nossas ilhas de alienação e solidão.

Estudos demonstraram que uma pessoa que passa todo o tempo sentada, não gera endorfinas suficientes, pois essas substâncias são liberadas durante as demandas esportivas e os exercícios físicos. Esses hormônios ajudam a melhorar o humor, favorecendo a sensação de felicidade e relaxamento .

Além disso, os esportes têm um impacto na produção do hormônio serotonina, cujo desequilíbrio pode levar à depressão e afetar a memória e o apetite. Por outro lado, trabalhar o corpo ajuda a melhorar a auto-estima e a aumentar a autoconfiança.

9. Insônia

Um estilo de vida sedentário pode causar problemas com o sono. Quando ficamos sentados constantemente, nosso corpo interpreta isso como... descanso contínuo, mesmo que haja intensa atividade cerebral.

E se você esteve “descansando” o dia todo, seu corpo decide que já não necessita mais relaxar e descansar, o que significa que não precisa mais dormir. O exercício regular, portanto, ajuda a eliminar a insônia e melhora a qualidade do sono.

10. Impotência sexual

No caso dos homens, o estilo de vida sedentário pode provocar disfunção erétil, prostatite e desequilíbrio hormonal.

Quando os homens passam muitas horas sentados na mesma posição, a circulação de sangue na pélvis piora significativamente, o que leva ao desenvolvimento de processos inflamatórios, os quais podem levar a problemas mais sérios

Um estilo de vida sedentário faz com que os depósitos de gordura aumentem, levando a uma alteração do equilíbrio hormonal. No tecido adiposo, são formados hormônios femininos chamados estrogênios, que causam o aumento do abdômen nos homens. E não é fácil se livrar da barriga depois.

Então, o que fazer?

Em algumas empresas, os funcionários são motivados a caminhar mais: os filtros de água e os lixos são colocados longe das mesas de trabalho. Jogos infantis como o pebolim e o tênis nos escritórios são uma ótima maneira de incentivar o movimento, assim como reuniões e workshops sobre esse tema.

Pesquisadores e médicos recomendam o seguinte:

  • Caminhe com maior frequência.
  • Nos transportes públicos, não se apresse em sentar.
  • No escritório, aproxime-se de seus colegas, em vez de lhes telefonar ou escrever.
  • Permaneça em pé nas reuniões de trabalho quando for possível. Dê uma volta no almoço, coma fora do escritório.
  • Em vez de usar elevador ou escada rolante, use as escadas comuns.
  • Faça pausas durante o trabalho e siga uma rotina de treino simples.
  • Em trajetos curtos, em vez do carro, prefira ir a pé ou de bicicleta.

Depois de ler nosso post, você sentiu vontade de se levantar da cadeira? Ou talvez tenha feito isso já na metade da leitura. Conte para nossa equipe nos comentários.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados