A história real de uma sogra que tratou a nora como uma encubadora e pagou por isso

Crianças
há 5 meses

Comemorei meu vigésimo quinto aniversário quando estava grávida de sete meses. Era primavera, estava quente. Eu estava desejando comer carne, então decidimos fazer um churrasco. Eu, meu marido, minha melhor amiga e o marido dela — esse era nosso grupo inicial. Os pais do meu marido me ligaram para me parabenizar e, acabou que eles se juntaram a nós.

Meus sogros não vieram de mãos vazias, minha sogra se gabou de ter trazido presentes para mim. Os presentes eram um conjunto de chupetas e uma bomba de tirar leite. Lembre-se, era meu aniversário. Vinte e cinco anos de idade. Chupetas e uma bomba de tirar leite.

— Pra que isso? Por que não um berço? Você teria comprado um, trazido para cá e dado ao bebê no aniversário dele", disse minha amiga à minha sogra.

— O que tem de errado nisso? Logo tudo isso será útil, minha sogra começou a se fazer de boba.

— Natasha, quando for comprar presentes para sua sogra, leve uma roupa para o dia do enterro, pois também será útil algum dia — continuou minha amiga.

— Que falta de educação! Filho!

— Mas foi exatamente isso que você disse também, mamãe. Você deveria dar outro pacote de fraldas para minha esposa — o meu marido não defendeu a mãe.

Meus sogros foram embora imediatamente, pois não queriam ouvir mais umas verdades. Meu sogro, é claro, tentou levar o filho para conversar, mas meu marido não foi. Ele disse que a mãe sabia o que estava fazendo quando comprou esses presentes, portanto, a culpa era dela.

Dois meses e meio depois, dei à luz minha filha. Eu não consegui produzir leite, então alimentava minha filha com uma fórmula especial, a bomba de tirar leite não era útil e minha filha não gostava de chupetas. Dei os presentes da minha sogra para quem precisava.

Minha sogra veio sozinha e não trouxe nada quando veio conhecer a neta. Ela disse que já havia dado presentes para a neta — aquelas mesmas chupetas e a bomba de tirar leite.

— A senhora deve estar está confusa, mãe, esses foram presentes para a Natasha, disse meu marido.

— Ela não gostou, então foi um presente para minha neta, respondeu minha sogra de forma irônica.

Quanto mais tempo eu e meu marido ficávamos casados, mais ele se surpreendia com o comportamento de sua mãe. Ela ficava cada vez pior, comportando-se de uma forma cada vez mais feia. Essa declaração de que os presentes para a menina já haviam sido dados foi a gota d’água para meu marido. Ele mandou a mãe embora e nunca mais a convidou para ir lá em casa. Qualquer tentativa de reaproximação é cortada.

Meu sogro ainda nos visita, ele sempre vem ver a neta. Imagino que a cada vinda deva ser uma “ladainha” com minha sogra dizendo que não tem neta e que eu a separei do filho. Talvez se ela tivesse ter se comportado normalmente e não ter me dado chupetas de presente de aniversário. E daí se eu estava grávida? Era o meu aniversário, não o do bebê.

Adme.media publica este texto com a permissão do autor do canal “Not Noodles”.

E se você quiser continuar lendo mais como a relação familiar pode ser tão complicada, aqui está uma texto profundo sobre como é difícil cortar laços tóxicos com a família.

Comentários

Receber notificações

Primeiro: que artigo horrível. Só tem começo.
Segundo: que nora mimizenta! Entendo que tem sogra que é infernal, mas apenas pelo motivo dado neste artigo eu não achei justo a sogra perder o contato com a neta recém nascida. Acredito que uma avó não precisa dar um presente na primeira vez que vir o neto, mas o que realmente conta é todo o amor e o carinho que ela vai dar ao longo da vida dele, toda ajuda e apoio aos pais da criança.. Não vale a pena tirar o amor de uma vó do filho de vocês só por causa de presente..

-
-
Resposta

Artigos relacionados