15 Fatos sobre o Renascimento que costumam omitir nos livros de história, mas que poderiam deixar os estudos mais interessantes

Curiosidades
há 1 ano

Renascimento é um termo que define um período transitório entre a Idade Média e a Moderna, que ocorreu na história europeia entre os séculos XV e XVI. Para alguns pesquisadores, essa fase caracteriza o início do humanismo, para outros, foi um passo para trás, pois o florescer da arte foi acompanhado pelo despertar do interesse na magia e no movimento de caça às bruxas.

Nós, do Incrível.club, nos interessamos pelo misterioso Renascimento e descobrimos fatos curiosos que nos dão uma visão maior sobre a vida na época.

  • Na Florença renascentista, a idade média em que as pessoas costumavam se casar variava dependendo do gênero: os homens criavam suas famílias por volta dos 30 anos, já as mulheres, entre os 17 e os 18 anos. Devido a essa tendência, o número de viúvas jovens aumentou significativamente.
  • A qualidade de vida da população feminina em Florença não era tão plena assim. Durante sua visita à cidade, um viajante francês escreveu: “As mulheres são mais recatadas aqui do que em qualquer outra parte da Itália. Elas enxergam o mundo apenas através dos pequenos buracos nas janelas”.
  • Também sabe-se que as mulheres não podiam ser vistas na janela, para não despertar o interesse nos homens que passavam na rua.
  • Acreditava-se que o valor de uma dama estava na sua beleza. As mulheres eram afastadas dos instrumentos de sopro: na época, era comum pensar que eles distorciam os traços faciais femininos. Por outro lado, tocar instrumentos de corda, como alaúde, era muito bem-vindo.
  • O cômodo considerado mais bonito dos palácios renascentistas era o quarto, onde recebiam os convidados.
  • Em grande parte, as mulheres preferiam penteados que cobrissem as orelhas, porque temiam a gravidez. Reza a lenda que a Virgem Maria engravidou ao ouvir a palavra de Deus.
  • O estado deteriorado de uma das principais obras-primas do Renascimento — “A Última Ceia”, de Leonardo da Vinci — se deve à sua sede de experiências. Em vez de aplicar tinta sobre o revestimento de gesso ainda úmido, como era de costume ao pintar um afresco, o artista decidiu dar vida ao seu projeto em uma parede seca. Como resultado, a tinta ficou se descascando e Leonardo não teve outra escolha a não ser corrigir seu trabalho antes de terminar. Há também a suposição de que o quadro tenha chegado aos nossos dias praticamente todo restaurado, sem restar quase nada da pintura original.
  • O rei da Inglaterra Henrique VIII, aclamado como ícone do estilo renascentista, introduziu a moda dos sapatos de bico quadrado cuja largura foi instituída pela lei e se limitava a 15,24 cm.
  • Foi durante o Renascimento que surgiu a tendência de deixar partes do corpo à mostra. As leis suntuárias inglesas, que regulavam o consumo de luxo, prescreviam que os plebeus tivessem um guarda-roupa monocromático. Visando diversificar seus trajes sem graça, as pessoas passaram a fazer diferentes cortes neles, deixando aparecer as peças multicoloridas que vestiam por baixo.
  • Na época, dominar o trabalho de cirurgião e cabeleireiro estava dentro das competências de uma única profissão. Ou seja, os mesmos especialistas eram treinados tanto para cortar cabelo como para extrair dentes.
  • Além disso, o Renascimento deu início a cirurgias plásticas. O estilo de vida masculino repleto de duelos e doenças frequentemente levava a problemas estéticos, levando os homens a parar nas mãos de cirurgiões. Para fazer uma rinoplastia, os médicos recorriam a uma integração de enxertos de pele do antebraço do paciente no nariz dele. Com o tempo, o procedimento foi evoluindo e, hoje, muitas celebridades aproveitam à vontade a oportunidade de melhorar sua aparência, que foi nos dada há séculos.
  • Outra invenção renascentista foi o sorvete. A família Médici realizou uma competição culinária para revelar o prato mais inusitado. O vencedor foi um vendedor de pintinhos de Florença, que apresentou uma sobremesa gelada à corte da famosa família. Acredita-se que, na mesma época, outro florentino, o cortesão Bernardo Buontalenti, estava organizando uma festa em homenagem aos convidados espanhóis. Ele apresentou peças de teatro e soltou fogos de artifício, mas o mais importante é que foi ele que preparou um creme com sabor de laranja-bergamota, limão e laranja, refrescado com uma mistura de sua autoria.
  • A famosa Galeria Uffizi foi inicialmente projetada não como um museu, mas como um prédio comercial. A palavra “uffizi” é traduzida do italiano como “escritórios”.
  • O famoso Coliseu de Roma era usado como edifício industrial durante o Renascimento. No século XVI, estava nos planos transformá-lo em uma fábrica de lã, mas a reconstrução teria reduzido o anfiteatro a ruínas. Em vez disso, em 1594, foi construída uma pequena fábrica de cola dentro dele. No fim do século XVII, o antigo monumento acabou virando uma espécie de lixão.
  • Foi no Renascimento que o latim deixou de ser uma língua viva. O idioma que ainda era falado e evoluía na Idade Média assumiu sua forma clássica, e seu desenvolvimento natural parou devido ao rápido crescimento do interesse científico pela Antiguidade.

Qual dos períodos históricos você acha mais notável? Por quê? Compartilhe nos comentários.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados