16 Vezes em que um acontecimento inusitado transformou uma simples viagem em um evento memorável

há 6 meses

Existem personalidades extrovertidas e introvertidas, porém, todas se encontram no mesmo lugar: os meios de transporte. Nesses locais, as pessoas partilham um tempo e, inevitavelmente, podemos encontrar aquelas que parecem de uma espécie diferente e que é impossível não gravá-las na memória.

  • Uma noite, peguei um táxi. O motorista me avisou que o banco estava quebrado e eu teria que seguir a corrida sem me apoiar no encosto (que estava na posição horizontal). Mas ele me cobrou um preço duas vezes menor. Resumindo, viajei deitada, pois estava cansada, relaxando minha coluna, curtindo, e me custou duas vezes mais barato! Os táxis com assentos reclináveis ​​deveriam ser colocados como opção! Foi incrível! © Aleksandra Miyamoto / Facebook
  • Era de manhã bem cedo, e o ônibus estava lotado. Em um dos assentos, uma jovem mãe com o filho de uns cinco anos que não parava. Cansada de acalmá-lo, ela disse: “Se não ficar quieto, não deixarei você dormir comigo à noite”. E recebeu uma resposta brilhante: “Bom, eu também não vou dormir com você, seu bumbum é gelado.” O ônibus inteiro explodiu em gargalhadas e a mãe desceu rapidamente feito uma bala no próximo ponto. Eu era bem pequena e ainda me lembro da cara dela! © Irina Ragulina / Facebook
  • Eu estava no ônibus e entrou um inseto enorme, uma espécie de besouro. Ele voou para todo lado, era impossível acompanhá-lo com os olhos, e acabou pousando na minha cabeça. Eu, sem histeria, obviamente, o tirei, mas foi horrível. O bicho desapareceu e então o vi no assento ao meu lado. Não muito longe de mim estava um cara que calmamente pegou o besouro e o jogou para fora. Depois, voltou a se sentar com ar de “estou muito cansado de vocês todos, me deixem dormir”. © Oreneta / Pikabu
  • Eu deveria voar de São Francisco para Los Angeles, mas, acidentalmente, peguei um avião que ia para Dallas. Acabei dormindo, algo que nunca faço, e só acordei após pousarmos. Foi uma experiência muito estranha, tanto para mim quanto para os responsáveis ​​por me levar de volta a Los Angeles. © caducus / Reddit
  • Metrô de Paris. De repente, um homem mal vestido e de cabelos grisalhos entrou no vagão. Retirou respeitosamente o chapéu puído e anunciou em francês: “Senhoras e senhores, quero lhes apresentar uma canção.” As pessoas se entreolharam com ceticismo. No entanto, sua voz era clara e verdadeiramente magnífica. Seu canto tomou conta do vagão e instantaneamente silenciou até os bebês que estavam chorando. As pessoas que desceriam na próxima estação, permaneceram sentadas como se estivessem hipnotizadas. Ao terminar, o cantor abaixou a cabeça e disse baixinho: “Muito obrigado”. Ninguém aplaudiu, tamanha a surpresa que acometeu a todos. Assim que a porta se abriu, o anônimo cantor desembarcou. Isso foi em 1988, mas fecho os olhos e ainda consigo ouvi-lo cantar. © Kathryn Berck / Quora
  • Em nossa cidade, uma senhora idosa trabalha há muito tempo como cobradora em um ônibus. Ela sempre ouve música com fones de ouvido e, como um rapper, mexe com as mãos de olhos fechados. Ao sentir que o ônibus se aproxima da próxima parada, tira os fones, grita o nome do ponto, dizendo: “As tartaruguinhas que ficam aqui, por favor desçam rápido!”, e volta a curtir a música. © Oídoporahí / Ideer
  • Meu amigo e tínhamos que andar apenas uma estação de metrô. Descemos, pegamos um trem parado e começamos a checar nossos telefones. Após 3-4 minutos, ouvimos: “Cuidado, as portas estão se fechando.” Eu disse: “É aqui que descemos.” Saímos correndo do vagão, as portas se fecharam e o trem partiu. Após cinco segundos, percebemos que o trem esteve parado o tempo todo. Muito provavelmente, todos os passageiros se acabaram de tanto rir da gente. © SuperDK / Pikabu

“Por favor, não toquem a armadura.
Ela enferruja facilmente.
Obrigado”

  • Um dia, vi um homem no metrô com uma mesinha dobrável. De repente, ele a abriu. A propósito, havia pessoas de ambos os lados. Então, ele enfiou a mão na mochila e começou a tirar algumas ferramentas de metal. Na sequência, jogou um monte de pequenos anéis de prata por toda a mesa (com o trem em movimento!) e começou a montar uma cota de malha. © Jennifer Dziura / Quora
  • Toda semana pego dois voos do Rio para São Paulo. Chego ao aeroporto, passo pelo raio-X, tiro os sapatos e o laptop, depois embarco... Tenho tudo organizado na minha cabeça. Esse dia, fui até Guarulhos, verifiquei o portão e a hora da decolagem, entrei no avião e me sentei.
    — Senhor, parece que temos uma reserva dupla desta poltrona, posso ver seu bilhete?— perguntou a comissária.
    — Claro.
    O avião decolou e decidi ler: “Estou lendo rápido!”, pensei. Acenderam a luz e achei que fôssemos aterrizar, mas era para servir água. Coloquei um filme, assisti por uns 25 minutos e acabei dormindo. Acordei, li mais dez páginas e pensei: “Este voo está demorando muito”. O voo saiu de São Paulo às 22h15 e deveria levar uns 40 minutos, mas já era pouco mais de meia-noite. Perguntei à mulher do lado:
    — Duas horas não são muito tempo para ir de São Paulo ao Rio de Janeiro?
    — Este avião está indo para Maceió.
    — Não, senhora, vou para o Rio.
    — Mas este voo é para Maceió.
    — Não, não pode ser! Ele vai para o Rio de Janeiro!— gritou o rapaz da poltrona de trás, me apontando.
    Levantei-me para falar com a comissária:
    — Você não conferiu meu bilhete? Vou para o Rio de Janeiro.
    — Ai, meu Deus!
    Quando voltei à minha poltrona, todo mundo no avião comentava. Ao aterrizarmos, a comissária me informou que um avião me levaria de volta ao Rio. Telefonei para minha esposa:
    — Oi, amor!
    — Pelo amor de Deus, onde você está?— perguntou aterrorizada.
    — Estou em Maceió.
    — O quê?
    Como não atendi meu celular, ela ligou para o aeroporto e lhe informaram que o avião já havia aterrizado. Ela tinha dois motivos para ficar brava: ou eu a estava traindo, ou havia morrido. © A Culpa é do Cabral / Comedy Central Brasil / Youtube
  • Certa ocasião, peguei um Uber. O motorista era jovem, mas estranho, dirigia bem devagar, com extremo cuidado. Comecei uma conversa e ele me disse: “Você é meu quinto cliente hoje, é o meu primeiro dia como motorista de aplicativo”. Eu lhe perguntei: “Onde você trabalhava antes?” Ele respondeu: “Dirigindo um carro funerário”. Não resisti: “Bem, é mais divertido trabalhar aqui, pelo menos você pode conversar com os passageiros”. © Svetlana Vlasova / Facebook
  • Um casal, vizinho nosso, fez uma viagem de trem. A esposa estava grávida de cinco meses. Em uma estação, ela viu pela janela que vendiam melancias e pediu ao esposo que comprasse uma, pois estava com desejo da fruta. Ele saiu com a carteira e de chinelos. O trem partiu sem que o marido tivesse retornado. Ela ficou em pânico. Várias estações depois, ele entrou no vagão com uma melancia. Ele perdeu o trem, mas pegou um táxi para alcançá-lo e poder retomar a viagem. © Nadia Koroleva / Facebook
  • Certa vez, fiz uma longa viagem de trem no beliche de baixo de um vagão-leito. Acordei de manhã, e havia um gato preto como carvão de tamanho médio, com olhos cor de âmbar no meu peito. Eu o cumprimentei e o acariciei. O bichano ronronou e saiu. Descobri mais tarde que ele havia escapado da gaiola de transporte de animais de estimação de uma senhora. © Katerina Trushina / Facebook
  • No trem, atrás de nós, havia uma mulher com um corvo em seu ombro. Um corvo de verdade. Ele passava de ombro a ombro e acabou pousando na cabeça da senhora enquanto ela o alimentava com guloseimas que tirava de seu bolso. © Franklin Veaux / Quora
  • No avião, uma mulher reclamou que no seu almoço havia uma batata que não estava boa. A comissária de bordo lhe explicou, perplexa, não haver mais refeições. A passageira, chocada, não se acalmou, então chamaram a chefe da tripulação. Ela olhou para a senhora, depois para a batata, pegou o vegetal e com voz de professora muito bem entoada disse: “Você tem sido uma batata muito ruim!” Então, a comissária recolocou cuidadosamente o tubérculo no prato e disse à mulher, completamente chocada a essa altura: “É isso, acho que a senhora não terá mais problemas com esta batata.” E se retirou. Brilhante! © Fergal Dearle / Quora
  • "Uma amiga estava em Lisboa com o marido e alugou um carro para ir à Cascais. Ela partou perto de um policial para pedir informação e disse:
  • — Bom dia, nós gostaríamos de ir à Cascais.
  • O policial então respondeu:
  • — E por que não vão? © Verônica Bachini / Facebook
  • Estava em Lisboa e perdi o voo para Madrid. Então fui à rodoviária e perguntei se tinha passagem de trem ou ônibus. O funcionário me respondeu que havia só autocarro e comboio. Optei pelo comboio, mesmo sem saber o que era. Quando chegou a hora, me deparei com um trem. © Anderson Gama / Facebook

Confira também este artigo com histórias de passageiros que não respeitaram as regras de conduta no transporte público.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados