10 Modelos brasileiras que desafiam padrões e mostram que beleza é amar o que te faz única

Mulher
há 7 meses

O que “está na moda” é a autoaceitação, ou seja, é amar traços da nossa aparência que nos tornam pessoas únicas.

No entanto, é difícil manter a autoestima lá em cima com constantes pressões para que as mulheres atinjam padrões de beleza inalcançáveis. Por isso é tão importante seguir influenciadoras que levantam a bandeira do amor próprio, transformando seus traços distintivos em marcas registradas.

1. Fluvia Lacerda

Fluvia Lacerda trabalha como modelo plus size há 16 anos e é um marco na moda brasileira. Sua luta contra a gordofobia rendeu a publicação do livro Gorda não é palavrão: como ser feliz gostando do seu corpo como ele é, em 2017.

Em entrevista à Marie Claire, Fluvia disse que as mulheres que sentiam na pele as dores causadas pela gordofobia, e que não se viam representadas na moda, foram seu combustível durante sua carreira.

2. Barbarhat Sueyassu

Logo em sua bio do Instagram, a modelo Barbarhat Sueyassu, de 24 anos, já mostra como lida com o vitiligo de forma positiva: “não contente com uma, eu tenho duas cores”, escreveu.

É na mesma rede social que a musa posta diversas mensagens sobre emponderamento, autoaceitação e igualdade, como “o que nos falta em melanina, nos sobra em resistência, beleza e singularidade” e “Eu me recusei a me esconder, me recusei a viver uma vida que não valia a pena ser vivida! Descobri a virtude na imperfeição”.

Formada em psicologia, Barbarhat costuma dar palestras nas quais fala sobre preconceito e autoestima.

3. Yasmim Stevam

No programa Encontro com Fátima Bernardes, a paulistana Yasmin Stevam relatou experiências em que não conseguiu emprego em razão do tamanho do seu cabelo. A saída foi criar o Brechó no Fundinho, em 2016, onde vende roupas, sapatos e acessórios garimpados pelo Brasil e no exterior.

“Por influência do meu círculo que comecei a frequentar, passei a buscar conhecimento sobre a negritude e a me aprofundar sobre minha ancestralidade. Foi o que me fez começar a enxergar beleza no povo negro”, diz.

Além de ser dona do Brechó no Fundinho, Yasmin é modelo e influenciadora digital, e conta com mais de 50 mil seguidores no Instagram.

4. Cintia Dicker

A modelo brasileira Cíntia Dicker é conhecida por ter o rosto coberto por sardas. O que poderia ser considerado uma “imperfeição” para muitas pessoas é visto como motivo de orgulho pela ruiva. Em seu Instagram, a musa adora postar fotos que ressaltam a beleza de suas manchinhas.

5. Lara e Mara Bawar

As gêmeas albinas Lara e Mara Bawar mostram como podemos fazer sucesso enaltecendo nossos traços únicos. Nascidas em São Paulo, as irmãs conquistaram o mundo da moda e já fizeram campanhas para marcas como Nike, Moschino e Bazaar Kids.

Apesar de terem apenas 14 anos, Lara e Mara influenciam muitas pessoas e a conta delas no Instagram tem mais de 136 mil seguidores. A cada nova publicação, elas são bombardeadas de elogios e palavras de apoio nos comentários.

6. Valentina Sampaio

A cearense Valentina Sampaio quebrou os padrões da indústria da moda ao se tornar a primeira modelo transgênero da famosa marca de lingerie Victoria’s Secret.

Valentina é um exemplo na luta LGBTQI+ e seu feito histórico mostra como a diversidade está conquistando o mundo. “Estamos num momento onde temos conquistado mais espaço, estamos fazendo pequenas grandes mudanças”, disse.

7. Mariana Mendes

A mineira Mariana Mendes vem ajudando a indústria mudar o olhar sobre a beleza, ao encarar uma mancha de nascença no rosto como um traço distintivo. “Nunca tive vergonha ou me senti diminuída, vejo [a pinta] como algo positivo pra mim, ela me distingue das outras pessoas, me faz mais bonita, me faz única”, revelou.

No seu Instagram, a modelo costuma postar textos questionando os padrões de beleza e dando lições sobre autoaceitação.

8. Ana Victória Lago

A história de Ana Victória Lago mostra que nós podemos vencer qualquer obstáculo em busca dos nossos sonhos. Ela fez história aos 17 anos, quando assinou um contrato com uma agência de Manaus e se tornou a primeira modelo com microcefalia do Brasil.

Hoje com 19 anos, ela participa de campanhas publicitárias de conscientização e trabalha em ensaios fotográficos e comerciais. Viviane Lima, mãe e assessora da modelo, diz que Ana Victória ainda sofre preconceitos na indústria a moda, mas sua história serve como inspiração para muitas pessoas: “Quando a Ana Victória nasceu, o diagnóstico dela era que não andaria, não falaria, e hoje ela está aqui para mostrar que tudo é possível se a gente acreditar”, afirmou.

9. Cris Paladino

O look da modelo Cris Paladino é sinônimo de singularidade. Em fotos arrebatadoras, ela destrói qualquer preconceito sobre mulheres de cabelos raspados e mostra que o corte ressalta — sim — a beleza feminina. Seu diferencial é um sucesso no mundo da moda e a brasileira está sendo cada vez mais solicitada para campanhas publicitárias e parcerias comerciais.

10. Laura Luz

A modelo curitibana Laura Luz Chiesa atribui o sucesso na moda a ser uma mulher real, com curvas, sardas e diastema (um espacinho frontal entre os dentes).

Sua vida deu uma reviravolta em maio de 2018, quando foi atropelada por ônibus. O impacto foi tão forte que Laura sofreu traumatismo craniano, quebrou o nariz, nove costelas e um dente. No entanto, nem o acidente foi capaz de abalar sua autoestima e ela encarou a recuperação como uma guerreira.

Comentários

Receber notificações

Artigos relacionados