10 Fatos perigosos sobre o câncer de pulmão e traqueia que você simplesmente não pode ignorar

Dicas
há 4 anos

Responsável por cerca de 31 mil casos novos por ano no Brasil, o câncer de pulmão é causador de mais de 26 mil mortes anuais, segundo o Instituto Nacional do Câncer — INCA. Sua letalidade é elevada e esse tipo de tumor pode ser evitado, em grande parte dos casos, com a prevenção ao tabagismo.

Por isso, o Incrível.club decidiu te contar um pouco mais sobre a doença. Confira só!

1. O cigarro e os derivados do tabaco são, sem dúvida, os principais fatores do câncer de pulmão

cigarro, como você já deve saber, é muito tóxico e prejudicial à saúde. Ele é composto por cerca de 4.720 substâncias, das quais a nicotina e o monóxido de carbono são as mais conhecidas. Além disso, a fumaça contém aditivos radioativos — como polônio 210.

2. Comparados com os não fumantes, os tabagistas têm cerca de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver a doença

O tabagismo passivo é mais um obstáculo para a boa saúde, porque é considerado como a terceira maior causa de morte evitável no mundo. Inalar fumaça, principalmente em locais fechados, recebe o nome de Poluição Tabagística Ambiental (PTA).

3. A traqueia filtra, umedece e aquece o ar para conduzi-lo aos pulmões

O seu revestimento interno é constituído por células produtoras de muco. Quando a poeira é inalada, bactérias e partículas aderem ao muco e são conduzidas para a garganta através dos batimentos dos cílios (em forma de varredura) e eliminadas pela tosse.

Os tumores na traqueia podem ser classificados como: benigno ou maligno, primário ou secundário. Os tipos mais comuns dos primários são o mucoepidermoide e o carcinoma de células escamosas. Já os secundários são metástases ou invasão direta de tumores próximos à traqueia, como no pulmão e no esôfago. Mas, calma, dificilmente um indivíduo desenvolve tumores na traqueia.

4. Deve-se evitar exposição à poluição do ar

Existem muitas fontes naturais de poluição atmosférica (vulcões, incêndios florestais, poeira levada pelo vento), mas são as fontes antropogênicas (aquelas produzidas pelos indivíduos) que emitem poluentes em altas concentrações e que levantam preocupações sobre seus potenciais impactos na saúde.

5. Alguns agentes químicos também devem ser evitados

São utilizados inúmeros agentes químicos perigosos no nosso dia-a-dia, dos quais as tintas, os vernizes, os diluentes, os desinfetantes e os de limpeza são apenas alguns exemplos. Existem 3 vias de penetração dos agentes no organismo:

  1. Respiratória
    Acontece quando se respira o ar contaminado. Ele entra no nariz levando junto as substâncias químicas presentes no ambiente.
  2. Cutânea
    Ocorre quando um corpo estranho penetra na pele. Geralmente, através dos poros.
  3. Digestiva
    Ocorre com a ingestão de alimentos contaminados ou mesmo por causa de mãos sujas ou contaminadas. Por isso, é sempre recomendado nunca se alimentar em ambientes onde há manuseio ou presença de produtos químicos.

6. Infecções pulmonares de repetição favorecem o desenvolvimento do câncer

Outros fatores podem estar ligados ao câncer de pulmão, como:

  • Deficiência ou excesso de vitamina A;
  • Fatores genéticos;
  • Tempo de exposição (quantos anos de tabagismo);
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar e bronquite crônica);
  • Alimentação rica em gorduras e pobre em frutas e verduras.

7. Fatores genéticos e histórico familiar

O câncer é originado por uma mutação genética, mas isso não quer dizer, necessariamente, que seja uma doença hereditária. Significa que essa mutação provocou uma sucessão de episódios nas células de um órgão e, por isso, apareceu um tumor maligno.

Apenas entre 5% e 10% dos casos de câncer são consequência de alterações genéticas hereditárias, ou seja, transmissíveis de pais para filhos. No entanto, é importante saber que nem todo indivíduo que herda uma predisposição genética irá desenvolver o câncer.

8. Quais são os sintomas?

Os sintomas iniciais do câncer de pulmão são facilmente confundidos com doenças comuns, sendo os mais frequentes:

  • Tosse;
  • Falta de ar;
  • Chiado no pulmão;
  • Presença de sangue no escarro;
  • Dor no peito;
  • Perda de peso.

Alguns pacientes podem não sentir absolutamente nada na fase inicial, o que é um perigo maior, porque isso leva ao diagnóstico nas fases mais tardias da doença.

9. Como pode ser feito o tratamento?

Apesar de a cirurgia ser considerada o tratamento de maior chance de controle e cura, poucos são os candidatos a uma ressecção completa — cerca de 10% a 20% dos casos apenas. As demais opções são radioterapias, que podem ser associadas ou não à quimioterapia, imunoterapia e terapia-alvo.

10. Quais são as complicações desses tipos de cânceres?

As complicações dependem do tamanho, local da lesão e se substâncias produzidas pelo tumor são liberadas na corrente sanguínea. O crescimento do tumor pode invadir ou obstruir estruturas respiratórias, vasculares ou nervosas, além do potencial de hemorragia.

Atenção: nunca se automedique, seu médico sempre deverá ser consultado.

É melhor prevenir do que remediar. Opte por alimentos saudáveis e exercícios físicos. Saúde sempre em primeiro lugar, não é mesmo?

Conte aqui nos comentários se você ou alguém precisou passar por essa experiência. Não se esqueça de compartilhar para que todos também possam se conscientizar.

Comentários

Receber notificações
Sorte sua! Este tópico está vazio, o que significa que você poderá ser o primeiro a comentar. Vá em frente!

Artigos relacionados