10 Conselhos que podem ajudar na criação de uma criança independente e segura

Psicologia
há 2 anos

A criação de uma criança poderia ser comparada a uma dança: em alguns momentos é preciso segurá-la e, em outros, é melhor soltá-la, dando liberdade de movimento. Na hora de criar pessoinhas independentes e autossuficientes, essa metáfora é muito útil, pois, como adultos, devemos servir de guia e exemplo para as crianças, tentando não as sufocar com as nossas críticas, exigências e os nossos medos.

Com o objetivo de colaborar com os pais na maravilhosa arte da criação, o Incrível.club elaborou este post com algumas dicas para ajudá-lo na educação dos seus filhos e torná-los mais independentes e autoconfiantes.

1. Não fazer as coisas por eles

Em algumas situações, talvez você tenha pressa em terminar a tarefa logo e pode ser mais fácil fazer tudo sozinho, em vez de esperar a ajuda do seu filho. Porém, esse tipo de comportamento pode ter consequências negativas no desenvolvimento da independência das crianças a longo prazo. Elas aprendem com a prática e com os erros, por isso é muito importante dar a chance de eles fazerem as coisas por si próprios e não os privar desses momentos de aprendizagem. Além disso, você estará estimulando o desenvolvimento da autoconfiança.

2. Comemorar as conquistas cotidianas

Pode acontecer de estarmos tão mergulhados nas nossas atividades diárias que perdemos algumas conquistas dos nossos filhos. É importante levar em consideração que os pequenos precisam da nossa atenção e do nosso reconhecimento sempre que atingirem uma meta. E não se trata de grandes feitos, como vencer um torneio de futebol ou se tornar um campeão em alguma competição de matemática — estamos falando de progressos menores, como terminar um trabalho escolar sozinho ou escovar os dentes corretamente. Se estamos ali para comemorar esses avanços, vamos ajudá-los a melhorar sua autoestima.

3. Deixar que ajudem nas tarefas domésticas

As crianças podem aprender muito fazendo as tarefas domésticas. O envolvimento delas nesses afazeres as ajuda a compreender como cuidar de si mesmas, da casa e da sua família. Além disso, oferece a possibilidade de se sentirem responsáveis ​​e competentes. Claro, nem todas as tarefas são adequadas para todas as idades. Aqui estão algumas ideias, de acordo com a faixa etária dos seus filhos.

De 2 a 3 anos:

  • Tirar os livros e brinquedos do chão.

  • Colocar toalhas individuais na mesa.

  • Guardar a roupa.

De 4 a 5 anos:

  • Pôr a mesa.

  • Ajudar na preparação do alimento (com supervisão).

  • Ajudar com as compras e a guardar os produtos.

De 6 a 11 anos:

  • Regar as plantas.

  • Tirar o lixo.

  • Passar aspirador de pó no chão.

4. Deixar que tomem pequenas decisões

A tomada de decisões é uma das habilidades mais importantes a serem adquiridas pelas crianças para se tornarem adultos maduros e saudáveis. O ideal é oferecer aos pequenos uma série de opções e ir aumentando à medida que crescem. Por exemplo, quando for a uma loja com uma criança de 3 anos e ela pedir para comprar todos os doces, você pode responder que não tem como levar tudo, mas que ela tem a possibilidade de escolher entre doces, refrigerantes e salgadinhos.

Outra boa ideia para incentivar a tomada de decisões em nossos filhos é permitir que escolham as roupas que desejam vestir. Isso os ajudará a fortalecer a autoestima, a expressar suas opiniões e ainda facilitará a sua vida.

5. Trazer um animal de estimação para casa

Fofos e adoráveis, os animais de estimação têm múltiplos benefícios para o desenvolvimento das crianças. Mas, na hora de trazer um para casa, é importante que os pequenos entendam todas as responsabilidades acarretadas por isso. Alimentar o animal de estimação, por exemplo, pode ser uma boa forma de as crianças exercerem o papel de cuidadoras. Além disso, brincar com o animal pode melhorar as habilidades sociais dos nossos filhos e reforçar a autoestima.

6. Propor um novo desafio, ao menos uma vez por mês

Enfrentar os desafios é muito importante para que as crianças se sintam autoconfiantes. Por isso, uma boa opção é propor novos desafios que elas sejam capazes de resolver, de acordo com a idade, habilidade e desenvolvimento. Por exemplo, você pode pedir para uma criança de 3 anos se vestir sozinha, fazer um desenho ou cantar uma música.

7. Ser paciente e não criticar suas tentativas

Quando fazemos algo pela primeira vez, o mais provável é que erremos e, para aprender, precisamos tentar várias vezes até conseguir o que queríamos. Se isso acontece conosco, adultos, imagine com as crianças. Portanto, é essencial ter paciência com elas e elogiar suas tentativas, em vez de criticá-las. A crítica e a correção constantes só farão os pequenos formarem uma má imagem de si mesmos, sentindo-se incapazes. Se aplicado de maneira oportuna e comedida, o elogio pode ser uma ótima ferramenta para fortalecer a autoestima das crianças e criar pequenas pessoas maduras e confiantes.

8. Ensinar a fazer uma tarefa para que aprendam de verdade

Você é o primeiro professor do seu filho, portanto, se quiser que ele faça uma tarefa específica, primeiro deveria ensiná-lo. Do contrário, o pequeno poderia se frustrar por não conseguir realizá-la, simplesmente porque não sabe como fazer. Primeiro, diga a ele o que fazer; em segundo lugar, mostre-lhe como e, em terceiro, siga o passo a passo. Em geral, as crianças aprendem muito melhor se puderem observar os adultos fazendo as coisas. Se der o exemplo, o pequeno se sentirá mais seguro e confiante e não diante de algo sem solução.

9. Ouvir sobre seus medos

Os medos na infância são completamente normais. No entanto, como adultos, devemos estar atentos aos temores das crianças, ouvi-las e transmitir segurança. É fundamental que os pequenos sintam que podem nos contar seus sentimentos mais profundos e que os façamos saber que ter medo é uma parte natural de qualquer desafio. Uma boa ideia para apaziguar o medo é explicar como superamos algo, dando um exemplo pessoal.

10. Incentivar sua autonomia, mostrando fé nas suas habilidades

Esse ponto pode ser resumido em uma frase simples: se você acha que ela consegue fazer, a criança também vai acreditar nisso. Estamos acostumados a mostrar o caminho, a ensinar e a orientar os pequenos, mas deveríamos confiar mais neles, em suas forças e desejos, e transmitir a nossa fé na sua capacidade. Essa é a melhor maneira de criar pessoas confiantes e com a autoestima fortalecida.

Quais técnicas você usa para criar filhos independentes e autoconfiantes? Conte-nos sobre sua experiência nos comentários para que possamos aprender com elas.

Comentários

Receber notificações

Até mesmo na juventude tudo que eu fiz não fez mais do que sua obrigação 😐

-
-
Resposta

MINHA MULHER MIMOU MUITO AS MINHAS FILHAS E ELAS NÃO SABEM FAZER NADA SOZINHA

-
-
Resposta

Foi bem, assim que a minha mãe me ensinou, tudo com muita paciência e olha que ela me criou sozinha

-
-
Resposta

Artigos relacionados