Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Por que as pessoas não sorriam nas fotografias dos séculos passados

Atualmente, sorrir para uma foto parece algo muito natural (e às vezes até forçado), mas essa expressão facial não era comum nos retratos de antigamente. É curioso ver como, no início da Era da fotografia, a maioria das imagens mostra todas as pessoas com o rosto sério, inclusive as crianças. Mas existe uma boa explicação para isso.

O Incrível.club convida você a dar um passeio pela História para explicar por que as pessoas não sorriam em frente às câmeras há algumas décadas e contar por que essa atitude mudou.

O motivo não eram os dentes feios

Alguns acreditam que, por mais de um século, as pessoas evitavam sorrir em frente às câmeras, porque seus dentes eram horríveis — dada a precariedade dos tratamentos odontológicos até meados do século XX. Pode haver alguma verdade nisso, mas também é certo que o sorriso da maioria das pessoas não era vistoso pela falta de higiene e de cuidados dentários.

Portanto, sendo uma característica tão comum, alguém podia ser considerado atraente, mesmo com dentes malcuidados, conforme explica o designer gráfico da Escola de Arte da Universidade de Cambridge, na Inglaterra, Nicholas Jeeves.

Esse foi o caso de Lorde Palmerston, primeiro-ministro da rainha Victoria, do Reino Unido, que, apesar de ter perdido vários dentes em suas aventuras de caça, era considerado um homem muito atraente, tanto que ganhou o apelido de “lorde cupido”.

As pessoas tinham de manter a mesma pose durante muito tempo

Uma explicação bastante aceita é que as pessoas não sorriam, porque o processo para tirar fotografia demorava muito, entre 5 e 30 minutos, e ninguém aguentaria manter o sorriso por tanto tempo. Portanto, o mais aconselhável era adotar uma expressão fácil, até que a imagem fosse capturada.

Isso ocorria no início do século XIX, mas, a partir da década de 1850, a tecnologia se desenvolveu o suficiente para capturar as imagens em apenas alguns segundos. Então, por que as pessoas ainda continuavam sérias em frente às câmeras?

A razão mais lógica por trás de rostos sérios

O argumento mais aceito não é difícil de entender. Se voltarmos décadas no tempo e lembrarmos como as pessoas eram retratadas antes da existência da fotografia, ficará claro que o único jeito era por meio dos retratos pintados, que custavam muito caro e pelos quais somente os mais ricos podiam pagar. Como o artista demorava semanas e até meses para terminar, a pessoa precisava posar durante horas, permanecendo quieta e sem sorrir.

Mas o sorriso também era evitado por uma razão cultural: era considerado falta de decoro, já que era característicos dos bêbados, dos lunáticos e das pessoas malvistas. Além disso, um retrato era um trabalho muito caro e formal, o que se refletia na face das pessoas retratadas.

Então, quando surgiram os retratos fotográficos, as pessoas continuaram a se comportar da mesma maneira, adotando os mesmos tipos de poses de quando eram pintadas. Afinal, também estavam sendo retratadas.

Mas houve alguns fotógrafos e modelos rebeldes

Esta é a fotografia mais antiga conhecida de uma pessoa sorrindo. Ela é datada de 1847 e mostra dois oficiais da guerra entre México e Estados Unidos ocorrida no século XIX — quem sorri é o capitão William H. Chapman. Não se sabe com certeza quem era o fotógrafo, mas é evidente que se tratava de alguém que não seguia as normas sociais das classes altas da época, deixando às gerações futuras uma imagem muito valiosa, assim como o retrato do senhor da próxima foto.

Os sorrisos se expandiram, em grande parte, graças à Kodak

Atualmente, parece quase natural sorrir para uma foto, mas fazer isso em frente às câmeras foi um hábito introduzido pela Kodak, empresa pioneira de fotografia, que fazia as pessoas se sentirem confortáveis ​​sorrindo, ao serem fotografadas.

Em uma de suas campanhas publicitárias, a Kodak lançou o famoso slogan: “Você aperta o botão, nós fazemos o resto”. Essa foi uma estratégia focada na felicidade do consumidor e a empresa chegou a mostrar imagens de pessoas usando a câmera durante momentos alegres e descontraídos. A mensagem influenciou muita gente e, a partir de 1920, o sorriso nas fotografias lentamente começou a se tornar um hábito.

Qual dessas razões lhe pareceu a mais convincente? Você acredita que o hábito de sorrir para fotos um dia vai acabar? Deixe sua opinião nos comentários!