Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Quem são as pessoas da geração Z e por que dizem que são melhores que nós

Os millennials, ou geração Y, foram o centro das atenções nos últimos tempos. No entanto, já chegou a geração pós-millennials para substituí-los. Também são conhecidos como geração Z ou centennials, devido à sua forte relação com as tecnologias e os mais variados dispositivos eletrônicos. São aquelas pessoas que nasceram depois de 1996 e, a cada ano, seu número vem crescendo. De acordo com os prognósticos para 2020, os representantes dessa geração serão aproximadamente um terço da população da Terra e será o grupo mais numeroso de consumidores.

O Incrível.club decidiu averiguar quem são os pós-millennials, o que querem da vida, que diferenças existem entre eles e seus pais e por que, em geral, eles são melhores do que as gerações anteriores.

São autossuficientes

Os representantes da geração Z querem começar a obter recursos de maneira independente para que se mantenham muito antes de quando seus pais conseguiram. A grande maioria das crianças modernas nasceu em um época de crise econômica mundial, por isso é raro encontrar entre eles sonhadores ou pessoas downshifters (tendência em que os indivíduos vivam vidas mais simples para reduzir a tensão e o estresse): 72% dos adolescentes aspiram criar sua própria empresa ou negócio. Além disso, a geração pós-millennials sonha em aumentar sua fonte estável de ganhos.

Ao mesmo tempo, uma pesquisa recente elaborada por um centro de estudos de opinião pública mostrou que 75% das pessoas de 18 a 24 anos consideram que a experiência de vida adquirida por parte de seus pais é bastante inútil. Eles escolhem seu próprio caminho e não querem aprender com os erros cometidos pelas gerações anteriores. A geração Z prefere não romper o sistema, mas sim ter êxito nele. Em primeiro lugar, dentro do sistema de valores da nova geração, está a capacidade de se adaptar e ser criativo.

São mais livres em seus pontos de vista

A geração Z, muitas vezes, é reprovada por seu individualismo. Isso está plenamente justificado, já que para eles o modelo padrão de conduta é alheio e de seu ponto de vista não pode ser eficaz. Junto com o individualismo, vem a liberdade. Essa nova geração honra o estilo normcore, da mesma maneira que Kendall Jenner, e tem uma atitude tolerante com a questão das raças.

Ou seja, a geração Z é menos propensa a experimentar preocupações sobre seu aspecto físico ou identidade de gênero. Uma recente enquete mostrou que somente 63% dos adolescentes europeus se identificam como heterossexuais e um em cada 5 indicou seu binarismo de gênero. Em outras palavras, a nova geração não quer se limitar.

A neutralidade de gênero é uma tendência da geração Z. Por exemplo, a filha de Sting, Eliot Paulina Summer, que também é cantora, personifica muito bem esse conceito. Ela não destaca sua feminilidade, apenas põe sua arte em primeiro plano.

São realistas

A geração Z precisou amadurecer no assim chamado “mundo depois do 11 de setembro”. Por isso, já se acostumou a uma atmosfera de incertezas e instabilidades. Devido a essas circunstâncias, os pós-millennials veem o futuro de maneira solene. Em particular, isso concerne às aspirações profissionais. Os caça-talentos dizem que 77% dos jovens compreendem que terão de lutar de maneira mais agressiva pelas vagas de emprego.

Do mesmo modo, os pós-millennials são mais exigentes em relação às empresas e as marcas; os jovens querem receber rapidamente o desejado e sem dificuldades particulares. Ao mesmo tempo, valorizam mais a honestidade, o realismo e a franqueza. Eles esperam a mesma atitude nos negócios, preferindo a publicidade com pessoas comuns ao invés de celebridades.

Eles aspiram a naturalidade e a honestidade

Os pós-millennials percebem o mundo de glamour e Photoshop de uma maneira menos agradável. No centro de sua atenção encontra-se a naturalidade, autenticidade e a sensibilidade. Aquilo com que a natureza os presenteou desde o nascimento vale mais do que a cópia de uma beleza. As mulheres com rostos perfeitos de modelos, tais como Irina Shayk ou Angelina Jolie, é claro, são lindas, mas para as jovens parecem ídolos sem muita importância. Isso porque a cirurgia estética pode criar facilmente tais tipos de beleza com um nariz perfeito e lábios carnudos.

Os adolescentes dificilmente tentam se embelezar e ter boa aparência frente aos olhos dos demais. Por isso, atualmente, no mundo da moda, encontram-se modelos com um aspecto físico pouco convencional e rostos inusitados.

Muitos jovens se mostram nas redes sociais com imperfeições: sem maquiagem, com roupas simples, em complexos habitacionais simples e poses naturais. Possivelmente, os adolescentes se cansaram do entorno visual extremamente cheio de glamour, por isso, frequentemente as estrelas do YouTube são pessoas que se tornaram especialistas em um determinado âmbito.

Querem melhorar o mundo

Os jovens da geração Z não só anseiam os bens materiais, como também querem melhorar o mundo. Muitos adolescentes se dedicam às atividades de voluntariado e empreendimento social.

Além disso, os pós-millennials começaram suas atividades em uma idade bastante precoce. Há pouco tempo, o mundo conheceu Greta Thunberg, de 16 anos, que foi nomeada por políticos suecos e noruegueses para o Prêmio Nobel por sua contribuição para o movimento contra as mudanças climáticas.

Adora Svitak, aos 14 anos, tornou-se uma conhecida figura pública nos Estados Unidos. Preocupa-se com problemas de educação e alfabetização em crianças. Além disso, escreve livros. O dinheiro que obteve pela venda de seus livros (aproximadamente 30 mil dólares, o que significa em média 120 mil reais) foi enviado às escolas do Vietnã como ajuda humanitária.

Logan LaPlante, de 13 anos, já realizou discursos em conferências de TEDx como um teórico da educação moderna. O vídeo com sua participação obteve mais de 10 milhões de visualizações no YouTube.

Eles cresceram na época da Internet

A geração pós-millennials nasceu na época da rede global, por isso, não imaginam sua vida sem Internet. Mais de 40% dos adolescentes dizem que eles estão vinculados fortemente aos dispositivos eletrônicos e, ao mesmo tempo, desfrutam mais do smarthphone do que de ver a televisão.

Muitos utilizam diferentes dispositivos e conseguem absorver uma maior quantidade de informação no dia. Como resultado, os jovens aumentam sua velocidade de compreensão. Além disso, a geração Z está acostumada a realizar muitas tarefas, podem alternar de maneira rápida e eficiente entre diferentes tipos de trabalho e se concentrar em seus assuntos, independentemente das distrações.

Eles se interessam por coisas realmente importantes

As pessoas da geração Z são mais ativas na sociedade. Os adolescentes estão prontos para fazer valer seus direitos em comícios e palanques e criar organizações escolares. Além disso, essa geração está interessada nos processos econômicos e nas ações do ser humano no meio ambiente.

Ao mesmo tempo, uma maior parte deles valoriza o espaço pessoal e nem sempre gosta de compartilhar sua informação privada com todos, deixando o Facebook de lado e usando o Snapchat.

Além disso, os representantes da geração digital se preocupam com sua própria saúde: eles, com maior frequência, preparam sua comida em casa e tentam adotar bons hábitos alimentares.

Não se interessam tanto pelo álcool, drogas e ter sexo em uma idade muito cedo

Os pós-millennials têm um interesse menor pelo consumo de álcool, drogas e outros tipos de substâncias proibidas. Ao que parece, para eles, isso é simplesmente desnecessário, já que podem fazer coisas mais úteis e importantes. Além disso, entre a geração Z, a gestação em adolescentes é consideravelmente menor, da mesma maneira que ter relações sexuais muito cedo não faz parte de sua realidade, em comparação com as gerações anteriores.

E você, qual a sua opinião sobre os adolescentes modernos?