Incrível
Incrível

Como Kristen Stewart, famosa por interpretar a fria e sem emoções Bella de “Crepúsculo”, se tornou a melhor atriz da década

Recentemente, a Hollywood Critics Association nomeou a estrela da saga Crepúsculo a atriz da década. A cerimônia de premiação ocorreu no último dia 9 de janeiro de 2020, e até agora, essa notícia causou muita controvérsia entre os críticos de cinema e usuários da Internet. Muitos acham que Stuart tem uma expressão apática em seus papéis e acreditam que havia candidatas mais dignas ao prêmio, já outros, acreditam que a atriz entregou excelentes atuações nos últimos anos e merece esse título.

O Incrível.club decidiu destrinchar a carreira de Kristen Stewart e acompanhar a evolução da atriz ao longo dos anos. Acompanhe!

O início da carreira (1999-2004)

Kristen cresceu em Los Angeles em uma família envolvida com o cinema: seu pai era diretor assistente e produtor no canal americano Fox. Portanto, não é nenhuma surpresa que ela tenha começado a atuar aos 7 anos de idade, e que tenha conseguido seu primeiro papel importante aos 11 anos. Aos 18 anos, ela já tinha conquistado seu primeiro milhão e a fama mundial.

A primeira vez que Kristen apareceu em uma produção foi no canal Disney Channel em O 13º Aniversário, aos 11 anos; ela também participou do drama independente Encontros do Destino. No entanto, o grande passo na carreira da atriz ocorreu um ano depois, quando David Fincher a convidou para estrelar em seu filme O Quarto do Pânico. Ela atuou junto com Jodie Foster, que após a produção, notou o talento da jovem atriz e sua maneira de atuar: Kristen não derrama de uma vez todas as emoções sobre você, e o resultado é uma atuação interessante e inteligente. Já aos 14 anos, foi confiado a Stuart o papel principal em uma comédia adolescente Os Mensageiros, que permitiu a jovem atriz demonstrar suas habilidades para a comédia.

12 novos trabalhos e a procura de uma identidade (2004-2008)

Muitas pessoas pensam que a carreira de Kristen começou precisamente no estúdio do fenômeno da saga Crepúsculo, mas a atriz já tinha estrelado muitos filmes antes. No entanto, os longas antes da saga acabaram por não ser tão bem-sucedidos e notáveis. Embora, seja importante ressaltar que os filmes anteriores deram uma gama de oportunidades para Kristen se descobrir como atriz, pois ela participou desde dramas até filmes de aventura. Ao mesmo tempo, dividiu o estúdio de filmagens com estrelas já consagradas de Hollywood, como Sharon Stone, Donald Sutherland e Chris Evans.

Aliás, na adolescência, Kristen foi indicada ao prêmio de Jovem Atriz por 3 anos consecutivos, embora nunca tenha conquistado esse título. Um outro grande passo na carreira da atriz, foi o filme Na Natureza Selvagem, de Sean Penn, que ficou impressionado com o trabalho da atriz e falou: “Ela é uma máquina de verdade, uma verdadeira força de atuação, e que, para mim como diretor, foi extremamente fácil de gerenciar”.

Saga Crepúsculo (2008-2012)

Em novembro de 2007, foi anunciado que Kristen Stewart faria o papel de Bella Sawn na adaptação cinematográfica dos livros de Stephenie Meyer. Com apenas 18 anos, a fama mundial chegou depressa para a atriz, e não foi fácil permanecer sob a pressão constante dos jornalistas, produtores e milhares de fãs. Por um lado, a jovem Kristen se encaixava perfeitamente nas características físicas do personagem, mas por outro, a atriz recebeu várias críticas por teoricamente ter apenas uma expressão “com a boca sempre aberta”.

Apesar das críticas, o sucesso do longa-metragem foi esmagador: os cinco filmes da saga faturaram cerca de 3,5 bilhões de dólares, mas a popularidade e o estereótipo que vieram com a fama pelo filme tornaram a vida dos atores bastante difícil. Posteriormente, Robert Pattinson e Kristen Stewart tiveram que se esforçar muito para se livrarem das imagens de Edward e Bella, e provarem que são atores bons, muito além de só interpretarem personagens infantojuvenis. A propósito, durante as filmagens Robert e Kristen tiveram um conturbado romance, que muitos questionavam se era real ou apenas uma estratégia publicitária. Muitos fãs ainda estão de luto por Robsten (uma mistura de Robert e Kristen), forma que eles apelidaram o casal de atores.

Pelo papel de Bella na saga, a atriz ganhou 2 prêmios da MTV Movie Awards, incluindo um de Melhor Beijo com Robert Pattinson.

Inúmeras tentativas de desvincular sua imagem de Crepúsculo (2010-2016)

Mesmo durante as filmagens da saga dos vampiros, Kristen tentou experimentar projetos diferentes. Ela queria provar para os críticos que era capaz de interpretar qualquer papel.

Em 2010, a atriz estrelou o drama independente Corações Perdidos, no qual interpretou uma garota que ajuda uma família a lidar com a perda da filha. Por esse papel, Kristen recebeu o título de melhor atriz no Festival Internacional de Cinema de Milão. No mesmo ano, ela atuou como a cantora de punk rock Joan Jett em The Runaways: Garotas do Rock. A própria Joan elogiou a atuação da atriz e disse que houve “uma semelhança genuína e até assustadora”. Em 2011, a atriz desempenhou um dos papéis principais no provocativo Na Estrada, baseado no romance autobiográfico de Jack Kerouac. O filme foi indicado ao Palma de Ouro. No ano seguinte, a atriz atuou como Branca de Neve na adaptação cinematográfica Branca de Neve e o Caçador que foi um sucesso de bilheteria.

Devido ao sucesso, Kristen se tornou o rosto de marcas famosas como Chanel e Balenciaga. E em 2013, foi nomeada pela revista Forbes como a terceira atriz mais bem paga de Hollywood, atrás apenas de Angelina Jolie e Jennifer Lawrence.

O sucesso no cinema francês (2014-2018)

A parceria entre Kristen e o diretor francês Olivier Assayas em Acima das Nuvens, no Festival de Cannes, fez os críticos terem outros olhos para atriz. No filme, ela desempenhou o papel da assistente excêntrica da estrela do cinema europeu interpretado por Juliette Binoche. A atriz cumpriu esse papel de maneira tão sutil e eficaz que se tornou a primeira atriz americana a receber o principal prêmio do cinema francês, o César. Desde então, a atriz se tornou figura frequente no Festival de Cannes.

Após 2 anos, Kristen repetiu a parceria com Assayas e reapareceu no festival com o filme Personal Shopper (Sem tradução para o português), mas dessa vez o diretor confiou o papel principal a ela, no qual interpretou uma garota de classe média que vive em Paris e trabalha com moda. Nesse filme, foi exigido de Kristen exatamente o que ela sabe de melhor: demonstrar, ao mesmo tempo, incerteza e determinação, dor interior e imersão em si mesma. Com esse trabalho, que foi brilhantemente bem-sucedido, os críticos notaram pela segunda vez a parceria de sucesso da atriz americana e do diretor francês, que acreditou em Kristen em um momento da sua transformação criativa e a transição final para um novo nível em sua carreira.

Parceira criativa com Jesse Eisenberg (2009-2016)

Ao falar do trabalho de Kristen, não se pode deixar de mencionar o seu dueto de sucesso com o ator Jesse Eisenberg. Os atores se conheceram nos estúdios de filmagem do filme Férias Frustradas de Verão, em 2008, no qual interpretaram um casal apaixonado. Os jovens atores rapidamente encontraram uma linguagem em comum e parecem ter muita química quando estão em cena. A parceria continuou no filme de comédia e ação American Ultra: Armados e Alucinados, de 2015, e um ano depois o casal estrelou o drama de Woody Allen, Café Society. De acordo com Jesse Eisenberg, ele sempre se sentiu muito confortável atuando com Kristen, porque sentia “uma conexão incrível” com a atriz. Todos os três filmes receberam um conjunto de avaliações positivas dos críticos e telespectadores.

Novos filmes e o título de melhor atriz da década (2019-2020)

Hoje, Kristen, com 29 anos, finalmente conseguiu se livrar da imagem de Bella: ela está envolvida em diversos projetos interessantes. Em 2019, a atriz estrelou dois filmes sérios. O primeiro foi o drama político Seberg (sem tradução para o português), no qual ela interpretou a atriz Jean Seberg que se tornou uma ativista para os direitos igualitários dos negros nos Estados Unidos. O segundo foi o remake das Panteras, que apesar de opiniões mistas, muitos críticos elogiaram a atuação da atriz.

Em 2020, os fãs da atriz poderão vê-la no papel principal do filme Ameaça Profunda, que contará a história de uma equipe de cientistas em uma estação de pesquisa subaquática. As expectativas para o filme estão altíssimas. Diante de todos os fatos, parece justo o título de atriz da década.

Rebelde e símbolo de uma geração

“Atuar soa como mentir para mim, e tento fazer o oposto. Quando se atua, é como se você manipulasse as pessoas para certas coisas. E eu não quero pensar que estou forçando sentimentos: isso significaria que falhei como atriz”.
Kristen Stewart

Além dos seus papéis famosos em filmes, Kristen é famosa por seu comportamento não padrão. Alguns jornalistas a chamam de James Dean da nova geração — uma pessoa que expressa o espírito do seu tempo. Desde o final da saga Crepúsculo, Kristen já mudou seu visual radicalmente várias vezes: cabelo curto, jeans rasgados, minishorts, cabelos coloridos, todos esses componentes fazem parte da nova imagem da estrela. A imprensa já a apelidou de desleixada.

As atitudes rebeldes de Kristen sempre chegam às primeiras páginas dos tabloides. Por exemplo, quando no Festival de Cannes, ela chocou os paparazzis ao quebrar o protocolo do tapete vermelho do festival e subir as escadas do tapete vermelho descalça.

Kristen faz isso porque ela é muito segura de si. Ela pode chegar à estreia de seu filme com jeans e camiseta e não vai se preocupar com o que o público ou a imprensa dirá sobre ela. O mesmo vale para sua vida pessoal. Ela não fez uma revelação sobre sua sexualidade como Jodie Foster, assim como também não escondeu seu romance com garotas, pois estava convencida de que não precisa declarar nada, apenas viver e mudar e, o mais importante, não ter medo de ser ela mesma.

Após conhecer todos esses fatos sobre a vida e carreira de Kristen Stewart, você concorda que ela mereceu o título de melhor atriz da década? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo