Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

30+ Fatos pouco conhecidos sobre marcas famosas que surpreenderão até os viciados em compras

Na maioria das vezes, ao comprar um determinado produto nem sempre pensamos na rica história de sua empresa de manufatura. Contudo, há muitas companhias que podem se orgulhar de fatos verdadeiramente surpreendentes que as distinguem das marcas convencionais.

Nós, do Incrível.club, resolvemos analisar o histórico de várias empresas famosas e reunir os fatos ocorridos nos bastidores dessas grandes marcas, sendo que muitas das descobertas foram novidades até para nós.

MAC

  • Os primeiros cosméticos MAC foram literalmente preparados na cozinha. Dois amigos produziam produtos em casa e os vendiam em salões de beleza.
  • Inicialmente, a coleção incluía 30 sombras, batons e esmaltes, sendo vendidos em caixas pretas lacônicas que se tornaram a marca registrada da empresa.
  • Os principais clientes eram fotógrafos profissionais e maquiadores, pois os cosméticos eram particularmente duráveis. Logo depois, os produtos criados para revistas e passarelas se tornaram mais acessíveis para todas as mulheres.
  • No entanto, foi a cantora Madonna quem trouxe o verdadeiro sucesso à marca MAC quando, em 1990, pediu um batom vermelho de longa duração para seu show que pudesse resistir a várias horas no palco. O famoso tom vermelho Russian Red foi lançado especialmente para a cantora. Desde então, essa cor é considerada um ícone.

Hermès Birkin

  • Uma das bolsas mais famosas do mundo é a Hermès Birkin. Segundo pesquisas, adquirir esse acessório pode ser mais lucrativo do que comprar ouro, pois o custo do metal dourado pode flutuar, mas o valor da Birkin cresce em média 14,2% ao ano.
  • Hoje essa bolsa é popular entre colecionadores, por exemplo, Victoria Beckham tem cerca de cem peças do tipo.
  • O nascimento desse lendário acessório aconteceu literalmente no céu, ou melhor, a bordo de um avião, onde o presidente do grupo Hermès, Jean-Louis Dumas e a atriz Jane Birkin voavam sentados em assentos próximos. Depois de Jane praticamente despejar todo o conteúdo de sua bolsa no colo de Jean-Louis e reclamar da falta de uma bolsa prática para o dia a dia, ele decidiu criar esse acessório.
  • Então, Jane foi convidada para a sede da Hermès, onde foi solicitada para escolher o esboço de maior sucesso. Um ano depois, foi apresentada uma bolsa espaçosa, mais adequada para viagens curtas, cuja principal característica era a presença de bolsos convenientes. E foi assim que o acessório recebeu o nome dessa famosa atriz inglesa.
  • Com o tempo, a Hermès Birkin se tornou uma verdadeira lenda e, apesar do alto custo, a fila para sua compra foi marcada com vários anos de antecedência.
  • No início das vendas em 1984, a bolsa custava US$ 2.000, hoje o preço é a partir de US$ 11.000.

Tefal

  • A história da famosa frigideira Tefal começou em 1954, quando o engenheiro e pescador francês Marc Grégoire tentou resolver o problema de travamento de uma vara giratória deslizante. Como resultado, ele teve a ideia de aplicar politetrafluoroetileno (PTFE), ou Teflon, na superfície de alumínio, e a vara ficou muito mais fácil de ser usada.
  • Marc Grégoire logo seguiu o conselho de sua esposa e cobriu suas panelas com Teflon. O resultado foi incrível, pois o casal inventou panelas que nada adere, tornando-se uma verdadeira revolução na cozinha para milhares de pessoas e cozinheiros amadores e profissionais.
  • Após dois anos, foi criada a empresa Tefal, que se dedicava à produção de panelas antiaderentes. O nome vem da combinação de duas palavras: TEFlon e ALumínio. No final de 1956, a empresa já produzia cem panelas por dia e, em 1961, cerca de 1 milhão de unidades por mês.
  • Quando as panelas Tefal começaram a ser vendidas em todo o mundo, Grégoire decidiu entregar as rédeas a executivos experientes, enquanto continuava inventando. Além disso, foi a Tefal que trouxe o primeiro ferro sem fio ao mercado.

Louis Vuitton

  • A reconhecida bolsa Louis Vuitton no formato de uma pequena mala de viagem foi lançada em 1930. Esse modelo foi batizado de Speedy 30, pelo simples fato da bolsa ter apenas um tamanho de 30 centímetros de largura.
  • Logo depois, a atriz Audrey Hepburn pediu à Louis Vuitton para lançar uma versão menor do modelo Speedy especialmente para ela, para que pudesse ser usado não apenas em viagens, mas também no dia a dia. A grife atendeu ao pedido de Hepburn e lançou um modelo chamado Speedy 25, que hoje é considerado um clássico.
  • Atualmente a linha de bolsas com esse formato inclui cinco tamanhos: nano, 25, 30, 35 e 40.
  • Ao longo de sua história, a Louis Vuitton nunca organizou uma queima de estoque. No final de cada ano, a empresa literalmente queima os itens que deixou de vender para manter a exclusividade da marca.

Louboutin

  • O fundador da empresa, Christian Louboutin, nasceu em Paris em uma família pobre, cheia de filhos, e sempre se interessou por moda. Segundo ele, sua paixão por calçados começou em 1976, quando visitou o Museu Nacional de Artes Africana e Francesa. Lá ele viu uma placa proibindo as mulheres de entrar no prédio com saltos finos por causa do perigo de danificar o piso de madeira. Posteriormente, ele admitiu: “Eu queria desafiar isso. Queria criar algo que quebrasse as regras e fizesse as mulheres se sentirem confiantes e fortes”.
  • Em 1991, ele fundou o Christian Louboutin e o primeiro cliente de seus sapatos foi a princesa Carolina de Mônaco. Foi ela quem fez os sapatos Louboutin serem tão cobiçados.
  • A famosa sola vermelha apareceu em 1993. Quando o estilista viu a verdadeira materialização de seus esboços, ele não gostou dos sapatos. Para ele, era como se “faltasse energia” nos calçados. Para reviver de alguma forma o design, Christian espontaneamente pegou o esmalte vermelho de sua assistente e pintou as solas de seus sapatos. Depois disso, ele admitiu que percebeu “imediatamente que seria um sucesso”.
  • Os sapatos Louboutin são frequentemente falsificados. O próprio Christian entrou com uma infinidade de processos por violação, por exemplo, processando outra marca de luxo, a Yves Saint Laurent. No final, o tribunal decidiu que Louboutin tem o direito exclusivo de fazer calçados com sola vermelha se a parte de cima deles for de uma cor diferente. E a Yves Saint Laurent pode produzir sapatos com solado vermelho, se a parte de cima for da mesma cor.

Chupa Chups

  • O famoso doce no palito foi inventado pelo confeiteiro Enric Bernat, em 1958. Segundo a lenda, o criador viu como uma mãe ficou brava com seu filho por sujar as mãos com doces derretidos. Foi então que Bernat teve a ideia de fazer um doce, voltado especificamente para crianças.
  • No início, Bernat decidiu batizar seu produto de Gol, já que o pirulito era como uma bola que entra na boca, mas depois decidiu que esse nome não seria muito memorável.
  • Como resultado, decidiu-se nomear o pirulito de Chupa Chups. O primeiro logotipo trazia o slogan “És rodó i dura molt, Chupa Chups”, que pode ser traduzido do catalão como “é redondo e dura muito”.
  • Para fazer os doces venderem melhor, Enric Bernat disse aos lojistas que os colocassem perto do caixa, não no balcão, para que as crianças pudessem alcançá-los.
  • Chupa Chups tinha originalmente um palito de madeira.
  • Em 1980, a empresa lançou uma campanha antitabagismo, lançando pôsteres com um pedaço do pirulito saindo da boca de um cowboy.
  • Na década de 90, muitas estrelas, como Madonna, Uma Thurman, Michael Jackson, começaram a aparecer em cenas com um pirulito na boca. Assim, Chupa Chups já não era mais apenas um doce exclusivo para crianças.

Nutella

  • Em 1946, o chef confeiteiro italiano Pietro Ferrero lançou o primeiro lote de pasta de chocolate do mundo. Nessa época, o produto ainda não era vendido em latas, mas na forma de barras embrulhadas em papel alumínio. No entanto, o confeiteiro logo enfrentou o problema da escassez de chocolate, afinal, os anos pós-guerra não foram os mais abundantes. Assim, Ferrero decidiu adicionar avelãs picadas ao seu produto.
  • O negócio do pai foi continuado pelo filho e nos anos 60 ele lançou no mercado uma pasta em potes de vidro chamada Nutella. Hoje, segundo a receita clássica, cada lata de 400 gramas contém 52 avelãs, quase um copo de leite e um pouco de cacau.
  • A Itália produz 179 mil toneladas de Nutella anualmente.
  • Em 2007, Nutella liderou as dez ideias simples da revista Forbes que trouxeram bilhões aos criadores.
  • O slogan publicitário da marca é: “Che mondo sarebbe senza Nutella?”, ou seja, “O que seria do mundo sem Nutella?”

Tiffany & Co.

  • Essa marca de joias foi fundada em 1837 em Nova York por Charles Tiffany e seu colega John Young. Os jovens pegaram emprestado US$ 1.000 do pai de Charles e abriram uma joalheria. No primeiro dia, a receita da loja era de apenas US$ 4,96.
  • Com o tempo, as coisas decolaram e a empresa logo compilou o primeiro catálogo de vendas pelo correio da história dos Estados Unidos, chamado Blue Book. Desde então, o tom azul claro distinto tornou-se a cor característica da marca.
  • A Tiffany & Co. criou o design do anel de noivado contemporâneo. Anteriormente, o diamante ficava imerso na luneta do anel, por isso a pedra refletia menos luz e brilhava menos. Assim, os joalheiros da Tiffany decidiram elevar o diamante acima do anel para fazê-lo brilhar.
  • Por muito tempo, a empresa foi a fornecedora oficial de joias para membros da realeza na Europa e para os czares russos, até que os presidentes norte-americanos Abraham Lincoln e Theodore Roosevelt comparam para suas esposas, respectivamente, um conjunto de pérolas da Tiffany e um anel de noivado de diamante.
  • Graças ao filme Breakfast at Tiffany’s (lançado no Brasil como Bonequinha de Luxo), a empresa tornou-se conhecida em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as pessoas se perguntavam como era possível tomar café da manhã na loja, se no local havia apenas joias. Acontece que, quando Truman Capote estava escrevendo seu romance, havia uma anedota popular em Nova York sobre um provinciano que queria fingir ser metropolitano. Quando questionado sobre qual restaurante em Nova York ele gostaria de fazer um lanche, ele respondeu com convicção: “Vamos tomar café da manhã na Tiffany”.

Levi’s

  • Em 1853, um emigrante da Baviera, Levi Strauss, trouxe vários artigos de armarinho para São Francisco via mar. Tudo havia sido vendido antes mesmo de o navio entrar no porto, restando apenas lã de cânhamo, também conhecida como hemp, (matéria-prima de cordas e velas para embarcações). Então, Levi pediu a um alfaiate que usasse esse tecido para costurar calças, que foram imediatamente compradas. Depois disso, Levi comprou o tecido de outros 700 navios no porto.
  • Rapidamente ele conseguiu abrir a loja Levi Strauss & Co. Em certo momento, as calças começaram a ser confeccionadas não de hemp, mas de um tecido francês mais macio chamado Serge de Nime, ou seja, “sarja de Nimes”. Por conveniência, o tecido passou a ser chamado simplesmente de “denim”.
  • Em 1872, um emigrante do Império Russo, Jacob Youphes, teve a ideia de prender os bolsos das calças com rebites de metal, porque eles se soltavam inúmeras vezes. Como resultado, ele e Levi patentearam a ideia, e as calças se tornaram ainda mais populares.
  • O mais curioso foi que Levi Strauss nunca usou um jeans de sua própria produção, porque eles foram confeccionados como calças para a classe trabalhadora, e ele era um comerciante rico.
  • Desde 1935, o jeans se tornou uma tendência da moda, mas só a partir dos anos 50 começou a ser visto nas grandes estrelas. Por exemplo, eles foram usados ​​por Elvis Presley e Marilyn Monroe. Marlon Brando fez sua estreia usando um jeans Levi’s no filme Uma Rua Chamada Pecado.

Você também tem interesse em conhecer a história por trás das marcas ou acredita que apenas a qualidade do produto é o que importa no final? Deixe sua opinião nos comentários!

Imagem de capa East News
Compartilhar este artigo