Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

23 Internautas contam sobre choques culturais que fizeram com que se sentissem em outro planeta

Viajar para outro país não significa apenas se acostumar a novas geografias e idiomas. Significa também conhecer e se adaptar a novas culturas, novas formas de pensar e novos costumes. E, quando passamos a conviver com todas essas novidades, muitas vezes nos sentimos como se fôssemos de outro planeta.

Hoje, o Incrível.club traz 23 relatos de internautas que foram pegos de surpresa e tiveram de se acostumar com coisas muito além de um novo idioma.

  • Sou holandês e, quando fui para o Canadá pela primeira vez tudo parecia enorme. Carros grandes em enormes estradas, ruas largas, grandes restaurantes e shoppings. Me lembro que quando dirigimos durante horas nos subúrbios da cidade pensei: “Provavelmente depois da próxima curva iremos sair da cidade”, mas ela parecia não ter fim, era assustador. Nos Países Baixos, dirigir do leste ao extremo oeste do país demora de duas a três horas; no Canadá, o que no mapa parecia uma distância infinitamente pequena demorou duas horas e meia. © yehboyjj / Reddit

  • Meu pai era um diplomata americano, então aproximadamente a cada três anos nos mudávamos para um novo país. Mas eu nasci em Portugal e nunca tinha morado nos Estados Unidos. Quando meu pai decidiu se aposentar, nos mudamos para Maryland. Estar nos Estados Unidos foi o maior impacto da minha vida. A “segurança” que eu sentia, a forma como as pessoas se comportavam e os ônibus amarelos todos iguais, tudo era novo para mim. Foi um choque. Durante toda a minha vida me senti um americano vivendo no exterior, sempre ligado com a embaixada americana, nas casas do clube da marinha. Mas, quando me mudei para os Estados Unidos, não me senti nem um pouco americano. © Scrappy_Kitty / Reddit

  • Sou canadense e trabalho na Nova Zelândia. Isso pode parecer um detalhe pequeno, mas para mim foi muito estranho: assim que desci do avião em Auckland, vi pássaros voando dentro do aeroporto. No Canadá, se um pássaro entra, todo mundo se assusta e algumas pessoas correm para chamar o controle de animais. Na Nova Zelândia, ninguém parecia se importar com os pássaros dando voltas dentro do aeroporto. Me sentei e fiquei olhando as aves, completamente incrédulo. Essa foi apenas a primeira observação; com o passar do tempo, tudo ficou ainda mais estranho. © Ramone2017 / Reddit

  • Passei um mês na Tailândia quando tinha 15 anos e, já na primeira hora, senti um enorme choque cultural. A viagem tinha demorado muito e, naquele momento, eu estava há 38 horas acordado. Não tinha mais nada de força mental e não achei que fosse precisar dela. Primeiramente, nos encontramos com a família que nos acompanharia e todos eram “gente boa”. Então, decidimos ir para casa descansar (era 7h da manhã) e combinamos de jantar juntos. Me sentei no banco traseiro do carro e percebi que não havia cinto de segurança. Tudo bem, era apenas um aspecto diferente, nada muito preocupante. Pegamos a estrada e fiquei embasbacado com a quantidade de carros que havia. A cidade de Bangkok era completamente diferente de qualquer outro lugar onde eu já havia estado, mas isso era esperado; estava do outro lado do mundo, não é mesmo? Quase no nosso destino final, paramos em um semáforo e, ao meu lado, havia um elefante, a três metros de distância da minha janela. O elefante me deixou muito assustado. Foi demais para mim. Nunca tinha visto um animal daquele tamanho. Fechei os olhos e me encolhi feito uma bolinha até o destino final. Lindo país. Pessoas maravilhosas. © trabbaro / Reddit

  • Vivi toda a minha vida em Tóquio, no Japão, até que fui estudar na Universidade de Indiana, nos Estados Unidos. No primeiro dia, fui a uma loja em um posto de gasolina apenas com notas de cem dólares porque ainda não tinha cartão. O caixa literalmente me disse: Você não deveria andar com tantas notas. Se eu visse você na rua, com certeza te roubaria“. Eu fiquei com cara de: “Tudo bem... Obrigado pela informação!” Isso foi há mais ou menos seis anos. Naquela época, as pessoas usavam dinheiro para muitas coisas no Japão. Hoje em dia, as pessoas usam cada vez mais cartão e menos dinheiro, Mas poxa vida, não pensei que andar com muitas notas na carteira fosse tão arriscado. © 305_ps / Reddit

  • Morei com uma família na Argentina durante alguns meses. Embora o jantar fosse servido muito tarde, eles tinham uma refeição extra, o lanche, que incluía sanduíches e que era servido por volta das 4h da tarde. Havia muita comida e tudo era excelente. Frequentemente eram servidos dois pratos principais, como carne e peixe. As empanadas caseiras eram simplesmente maravilhosas. © aRoseBy / Reddit

  • Como os espanhóis jantam tarde. Eu os respeito muito, mas às 6h da tarde eu já tinha fome e fiquei surpreso que, nesse horário, não havia nenhum restaurante aberto. © Trippinupthestairs / Reddit

  • Moro nos Estados Unidos e fui visitar um amigo na África do Sul. O que mais me pareceu estranho foi quando o pai dele comentou de maneira casual: “Gostaria de comer uma sobremesa”, e a namorada do irmão do meu amigo se levantou imediatamente, foi até a cozinha e fez uma sobremesa completa na mesma hora. © Unfortunate_Derek / Reddit

  • Fiquei surpreso pelo fato de que os americanos não usassem chaleira elétrica, ou que tivesse de explicar em detalhes o que era para que me pudessem entender. Nos países da Comunidade das Nações, uma chaleira é um objeto comum; eu não bebo chá e não bebo café, mas ainda assim tenho uma chaleira. Até as que custam apenas dez dólares são boas. © Lozzif / Reddit

  • Parece que os europeus não precisam de muita água; eles a substituem por chá, café ou qualquer outra bebida. Isso fica claro principalmente nos restaurantes. Eu nunca tinha estado em um restaurante onde não completassem seu copo com água “automaticamente”. Quando eu era garçom nos Estados Unidos, os europeus às vezes se ofendiam comigo quando eu aparecia para encher o copo deles. © itsfairadvantage / Reddit

  • Cresci em um país do sudeste asiático e, quando me mudei para um país ocidental, percebi a grande diferença na educação das crianças, nos costumes e, mais ainda, em como a cultura era mais individualista. As pessoas se preocupam mais consigo mesmas do que com a comunidade; os pais e avós nas culturas ocidentais normalmente precisam se virar sozinhos na velhice. Na minha cultura asiática, por outro lado, o esperado é que cuidemos dos mais velhos, isso é algo geracional. Não sei se consegui me explicar. De qualquer forma, admiro alguns dos valores defendidos pelas pessoas no ocidente. © wantmiracles / Reddit

  • Sou das Filipinas e vivi durante pelo menos um ano nos Estados Unidos. O que mais me surpreendeu foi a forma como as pessoas se cumprimentam e ajudam os estranhos. Aqui nas Filipinas, se alguém que você não conhece te cumprimenta ou fala com você do nada, é superestranho. Outra coisa que estranhei é o uso do garfo para comer arroz. Por que usar um garfo quando você pode usar uma colher e um garfo? E nem começo a falar do transporte público. É tão... organizado! Ainda estou impressionado com a forma como os ônibus funcionam e como os horários são planejados. © andieee919 / Reddit

  • Sou americano e nunca tinha saído do meu país. Quando viajei para o Japão, vi muitas crianças viajando sozinhas e deixando as mochilas em qualquer lugar quando iam comprar comida ou fazer qualquer outra coisa, sem se preocupar se seriam roubadas. Foi muito surpreendente e me deu uma sensação de segurança que nunca tinha sentido em qualquer outro lugar. © littlebosleeps / Reddit

  • Fiz intercâmbio para os Estados Unidos há alguns anos. O maior impacto cultural que eu senti foram os ônibus e os carros. Praticamente todo mundo tinha um carro. Além disso, quase todo mundo tinha sofrido pelo menos um acidente automobilístico na vida. © BlueishBook / Reddit

  • Sou sul-africano (xhosa, para ser mais específico). Na minha cultura, a mulher não sai de casa durante aproximadamente um mês depois de ter o bebê, para evitar infecções, maus espíritos e outras coisas. Além disso, durante o primeiro mês, as mulheres não fazem as tarefas de casa e se concentram apenas no bebê. Por isso, geralmente outros membros da família vão viver com elas, para ajudar. Fiquei surpreso quando vi a tia da minha amiga inglesa, que tinha tido bebê há um mês, limpando a casa e saindo para comprar comida um mês após o parto. E mais: ela levou o bebê com ela e deixou que um estranho tocasse nele, o que não é permitido na minha cultura. Os estranhos só podem ver o bebê depois de três meses. © lola_92 / Reddit

  • Na China, ou talvez na Ásia como um todo, em vez de água gelada, as pessoas costumam beber água quente nas refeições. Existem muitas superstições em relação à água gelada, sobretudo no que se refere à saúde; talvez as crenças tenham se originado quando se descobriu que a água fervida mata as bactérias. Fato é que essa visão persiste até hoje, mesmo com a existência de filtros. Eu não gostava de beber água quente, sentia que ela não matava a sede. Tive de fazer um esforço muito grande para me adaptar. Quando pensei que estava acostumado, voltei para casa, bebi água gelada e percebi que não. © secret_saucerer / Reddit

  • Na Rússia, sentimos que qualquer bebida quente é melhor do que água gelada. As pessoas recusam água gelada e o argumento é sempre o mesmo: “Não posso beber água gelada senão fico doente”. Na Europa, tive de me adaptar e passei a beber água em temperatura ambiente. Mas, se colocavam gelo, preferia não beber. © _Decoy_Snail_ / Reddit
  • Entrei em um supermercado no Reino Unido e vi que havia um corredor apenas com feijões enlatados. Sim, isso mesmo, um corredor inteiro apenas com feijões. Não era uma seção de alimentos em conserva, era apenas de feijão. © lady_f**ping_ / Reddit
  • O que mais me surpreendeu em Tóquio foi ver que as pessoas não colocam cadeado na bicicleta. Quando vi a primeira bicicleta sem cadeado, me senti mal pelo dono, pensei que, com certeza, a pessoa seria roubada. Mas, depois, vi que todas as bicicletas estavam iguais. © srirachaninja / Reddit
  • Quando estava na Alemanha, perguntava para as pessoas que estavam ao lado se elas podiam olhar as minhas coisas enquanto eu ia nadar e elas sempre me perguntavam: “Por que olhar as suas coisas? Alguma coisa pode explodir?” No meu país, o sentimento de ansiedade e de insegurança é constante porque podem nos roubar a qualquer momento. © saturn_sylph / Reddit

  • Sou canadense e isso pode parecer trivial, mas, quando estive na Costa Rica, percebi que os carros tinham prioridade em relação às pessoas. Várias vezes quase fui atropelado. Pensava no que aconteceria por aqui se um carro não cedesse passagem a um pedestre. © McLulu157 / Reddit

  • Sou australiano e, quando estive no Japão, fiquei surpreso com como eles têm muito pouco ou quase nada de vandalismo. Para eles, o vandalismo envergonha a família. Simples, não é mesmo? Definitivamente, algo que nossas culturas ocidentais deveriam considerar. © lube-enthusiast / Reddit

  • Nossa família vivia no Texas e, quando entrei na adolescência, nos mudamos para Wisconsin. O que mais me surpreendeu foi a forma como os professores eram pouco formais com os alunos. No Texas, um professor jamais era chamado pelo nome, era sempre “senhor” ou “senhora”; quando se criava uma relação de confiança, tínhamos uma permissão para chamá-los pelo sobrenome. Seria uma grande grosseria se um jovem de 18 anos chamasse um professor ou um adulto pelo primeiro nome. Um dos meus irmãos foi castigado logo que nos mudamos para Wisconsin porque a professora pensou que ele estava tirando sarro dela ao chamá-la simplesmente de “senhora”, e não pelo seu nome. © LiswanS / Reddit

Você já teve a oportunidade de viajar para outro país? Qual foi o maior choque cultural que precisou enfrentar? Conte nos comentários.

Compartilhar este artigo