Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

16 Sapatos e tênis que marcaram a história

Os calçados têm praticamente a mesma importância que uma peça de roupa e até nos conferem certa personalidade. Alguns modelos deles, depois de aparecerem em filmes conhecidos ou inspirarem novas modas, tornaram-se icônicos e fonte de inspiração para alguns criadores que enxergaram neles uma oportunidade e os tomaram como exemplo para seus próprios designs. Outros também se tornaram clássicos e foram imitados com réplicas mais baratas.

Incrível.club apresenta uma coleção de 16 calçados que provocaram uma revolução na indústria da moda, fascinaram quase todos quando apareceram em filmes clássicos cultuados por milhões de pessoas e definiram tendências da moda que vigoram até hoje.

1. O sapato vermelho rubi de Judy Garland em O Mágico
de Oz

O sapato vermelho rubi da protagonista Dorothy é uma peça-chave no enredo deste clássico de 1939 e grande sucesso de público, O Mágico de Oz. Quando a garota chega à peculiar terra de Oz levada por um tornado, a personagem interpretada por Judy Garland deve bater três vezes seus saltos e repetir “não há lugar como a nossa casa” para regressar à sua.

Vários pares desses sapatos foram feitos para o filme e não se conhece o seu valor exato, mas sabe-se que cinco pares ainda existem, um dos quais foi roubado de um museu em 2005, na cidade de Grand Rapids, Minnesota, EUA, e recuperado 13 anos mais tarde. Os emblemáticos calçados são feitos com diferentes materiais, como fios de seda, plástico, vidro e celulose, entre outros. As lantejoulas vermelhas dão brilho e cor, mas os laços também possuem contas vermelhas de vidro.

Esses itens provocaram enorme fascínio, não só a ponto de serem roubados, mas também imitados, inspirando todo tipo de marketing. Um par para adultos dessas imitações chega a custar cerca de 40 dólares.

2. Chuck Taylor All Stars

Os icônicos Converse All Stars, cuja longa história remonta à década de 1930, são os tênis mais vendidos da história. Feitos a partir de uma combinação de borracha e lona, levaram várias marcas a imitá-los com designs semelhantes. O modelo teve seu nome mudado graças ao carismático jogador de basquete Chuck Taylor, que começou sua carreira profissional aos 18 anos.

Taylor reclamou do Converse à All Star, queixando-se de que os tênis machucavam os pés, e propôs algumas modificações no design. Por exemplo, que tivessem um amortecimento mais eficaz. A empresa gostou tanto da sugestão que incluiu a assinatura do jogador no modelo, que a partir de então passou a ser conhecido de Chuck Taylor ou Chucks. Isso impulsionou seu sucesso, em um momento em que o basquete aumentava suas chances de se consolidar como um esporte olímpico.

Com o tempo, o calçado evoluiu para outros e os materiais foram aperfeiçoados, mas nunca perderam seu valor, até hoje preservado.

3. As sapatilhas de ballet do filme Os Sapatinhos Vermelhos

Os Sapatinhos Vermelhos é um filme inglês de 1948 que fez grande sucesso, estrelado por Moira Shearer. Por muitos anos a produção inspirou e ainda hoje inspira a confecção de sapatilhas de balé vermelhas, de ponta e meia ponta.

No filme, adaptado de um conto de fadas, uma bailarina entra para uma companhia de dança de um aclamado diretor e, ao final, prova sua dedicação à arte quando deve optar entre sua carreira e o romance com um compositor.

A produção ficou famosa por apresentar uma sequência de 17 minutos de uma coreografia (intitulada O Balé dos Sapatos Vermelhos) como peça central. A cena e o próprio filme despertaram o desejo em várias gerações de garotas de se tornarem bailarinas, sonhando um dia em brilhar nos palcos onde a verdadeira bailarina das sapatilhas vermelhas triunfou.

4. Nike Air Jordan I

Air Jordan é uma marca de tênis de basquete e de roupas esportiva e casual da Nike. Inicialmente, a linha foi criada exclusivamente para o ex-atleta da NBA Michael Jordan, considerado pelos especialistas como o melhor jogador de basquete de todos os tempos. Os tênis originais, uma combinação de azul e preto, foram produzidos para Michael Jordan no início de 1984 e somente no final daquele mesmo ano foram lançados para o grande público.

No final dos anos 80 e começo dos 90, o mundo testemunhou uma verdadeira febre pelos modelos, quando a Nike lançou um comercial bastante popular, no qual um personagem, interpretado pelo ator Mars Blackmon, tentava encontrar a fonte das habilidades de Jordan, convencendo-se de que os tênis eram os responsáveis por suas conquistas. A propaganda provocou uma grande procura pelo produto, que chegou a ser objeto até de assaltos.

O Air Jordan I foi lançado no mercado de 1985 a 1986, com relançamentos (os chamados “retrô”) em 1994, 2001, 2004 e 2007-2018, com uma grande variedade de cores, designs e materiais, porém mantendo sempre a sua essência.

5. Os tênis Nike de Michael J. Fox em De Volta para o Futuro 2

Todos os fãs do filme De Volta para o Futuro 2 muito provavelmente sonhavam em calçar o Nike "autoajustável", usado no futuro por Marty McFly, nas cenas com seu skate voador. O modelo, chamado MAG, foi fonte de inspiração para criar várias edições para a venda, a última lançada em Nova York, em março deste ano.

A loja American Eagle SoHo, de Nova York, colocou à venda os cobiçados tênis por 50.000 dólares. Foram 89 pares exclusivos, iguais aos leiloados em 2016 no eBay, em prol da Fundação de Michael J. Fox - o protagonista da série de filmes -, entidade que atua na luta contra o Mal de Parkinson.

Embora os calçados pareçam espetaculares, os especialistas concordam que não seriam de grande utilidade no dia a dia, por serem pesados e desconfortáveis.

6. Os “Pigalle” de Christian Louboutin

Neste caso, a criação do designer de calçados francês Christian Louboutin não teve um filme como inspiração, mas as celebridades popularizaram o Pigalle, o stiletto clássico, com sua característica sola vermelha e seu estiloso salto de 10 cm. Louboutin o desenhou não apenas como marca de tendência, mas para ser um item essencial no guarda-roupa, feito para durar a vida toda.

É um dos sapatos mais desejados e um verdadeiro símbolo da empresa. Concebido para a venda em 2004, tornou-se o modelo básico de muitas celebridades não só nos tapetes vermelhos, mas também em suas fotos em outros eventos e no dia a dia. O Pigalle está disponível em muitas versões, mantendo sempre a essência do calçado original.

7. As botas de verniz de Julia Roberts em Uma Linda Mulher

Além de deixar Julia Roberts famosa, o grande sucesso de bilheteria Uma Linda Mulher (1990) contava com um figurino considerado referência de moda na época. Roberts estava com 23 anos, com pernas espetaculares de 110 centímetros, como ela mesma dizia no filme, que ficavam perfeitas nas botas de verniz de cano alto, acima dos joelhos.

De acordo com a produção do filme, os calçados foram adquiridos na loja NaNa, em Chelsea, Londres (Inglaterra). Os jornais da época referiam-se a Vivian (a personagem de Julia) como “Cinderela de botas de vinil”.

Portanto, não surpreende que tenham provocado furor entre as jovens, que saíram em massa à procura das estilosas botas.

8. Botas UGG

Estas botas de inverno têm uma origem incerta, mas acredita-se que foram criadas na Nova Zelândia ou na Austrália no início do século XIX.

Foram usadas por pilotos na Primeira Guerra Mundial. Nos anos 20 começaram a ser usadas por tosquiadores nas zonas rurais da Austrália e nos anos 60 e 70 foram associadas aos surfistas e nadadores de competição que as usavam para se manter aquecidos fora da água.

Ainda muito usados, esses calçados unissex são feitos de couro de carneiro dupla face com forro de lã, o couro da parte externa é curtido e geralmente a sola tem material sintético. Nos anos 2000 tornaram-se uma tendência nos Estados Unidos, o que aumentou significativamente suas vendas no mundo todo. As botas foram tão inspiradoras que houve uma série de litígios sobre sua marca registrada, além de muitas falsificações e imitações.

9. Os tênis Nike de Tom Hanks em Forrest Gump — O Contador de Histórias

O filme Forrest Gump — O Contador de Histórias, com performance magistral de Tom Hanks, tocou o coração de milhões de pessoas em todo o mundo, em 1994, e acabou se tornando um clássico. Graças aos tênis Cortez da Nike, o protagonista corria milhares de quilômetros lembrando a frase de sua melhor amiga: “Corra, Forrest, corra”.

Na realidade, esses tênis esportivos foram criados bem antes do filme, em 1972, porém ficaram mais famosos por causa dele. Eles existem em várias cores, masculinos e femininos. Em 2017, a Nike relançou o modelo clássico em branco, vermelho e azul que se tornou um ícone com o premiado Forrest Gump.

10. O sapato Chanel bicolor

O sapato de duas cores da Chanel, também conhecido como slingback, é um clássico que continua se reinventando e se tornou uma “obsessão” para muitas mulheres. Se você pode se permitir esse luxo, os modelos contemporâneos da Chanel são sempre uma boa compra, pois nunca saem de moda. Com a sua combinação bege e preto, o de salto alto custa cerca de 880 dólares. Já o de salto baixo, feito de pele de cabra, sai por mais ou menos 800 dólares.

Existem alternativas mais baratas de marcas que se inspiraram nesses clássicos e lançaram suas próprias versões, tais como Zara, Uterqüe e Loéil, entre outras.

Coco Chanel o lançou em 1957, já no final de sua carreira. O seu objetivo era criar um modelo atemporal, que permitisse às mulheres sentirem-se sempre elegantes e estilosas, que combinasse com tudo e escondesse a sujeira (daí a ponta em preto). Tendo em vista os resultados, parece que a estilista francesa alcançou o seu objetivo.

11. Os ’’manolos’’ de Sarah Jessica Parker em Sex and the City

Sarah Jessica Parker, a Carrie Bradshaw na série de enorme sucesso Sex and the City, transformou seus inseparáveis “manolos” (do designer Manolo Blahnik) em um acessório cobiçado por praticamente todas as mulheres. O par mais lembrado é o usado por Carrie no casamento com o amor da sua vida, o Mr. Big: confeccionados com cetim azul, detalhes em pedraria e saltos finíssimos.

Conhecido como Hangisi, as vendas do modelo dispararam após a estreia do filme com o mesmo nome da série, em 2008, tornando-se o mais vendido da grife. Seu design é um dos mais copiados do mundo. Até a própria Parker que, assim como a sua personagem, tem uma paixão notória por sapatos, desenhou alguns muito parecidos para a sua própria marca, a SJP.

Uma das imitações mais recentes dos Hangisi é a da loja inglesa de departamentos Marks & Spencer, que lançou uma versão muito barata do calçado. Enquanto os “manolos” originais chegam a custar 965 dólares, os da Marks & Spencer podem ser adquiridos por apenas 47 dólares.

12. Os “sapatos de tatu” de Alexander McQueen para Lady Gaga

Os icônicos sapatos usados por Lady Gaga no clipe de seu hit Bad Romance e com os quais parece ser muito complicado dar mais de um passo são criação do estilista inglês Alexander McQueen.

O designer apresentou sua última criação, os emblemáticos “sapatos de tatu”, pouco antes de morrer. A peça surpreendeu o público pela estrutura inovadora, pela forma um tanto grotesca e, claro, pela originalidade, detalhes que quebram todos os padrões.

Sua estrutura é tão complexa que somente 21 réplicas foram produzidas. Desde então, viraram uma peça de museu e objetos de um leilão beneficente, no qual Lady Gaga adquiriu três pares desses sapatos exclusivos que ela tanto adora e que tão bem soube popularizar.

13. Os sapatos de cristal de Lily James em Cinderela

Em 2015, durante as filmagens de Cinderela, Lily James, a atriz principal, ficou impressionada ao usar sapatos decorados com cristais Swarovski, pois sabia que eram extremamente caros, mais até que o seu apartamento, como ela mesma disse.

A empresária austríaca Nadja Swarovski, líder da marca, declarou que, por ser um elemento central na história de Cinderela, o modelo tinha de ser “perfeito”. Assim, para criar o lendário sapato de cristal do clássico conto de fadas, uma equipe de 8 pessoas trabalhou mais de 150 horas para desenhar 6 versões diferentes, até chegarem ao resultado final, uma peça requintada com 221 cristais.

Foram várias réplicas produzidas, mas em acrílico, uma vez que o custo era muito menor. Também inspirou a criação de vários produtos, como lembranças para festas de 15 anos, chaveiros, pingentes, e muitos outros.

14. Os sapatos “antigravidade” de Michael Jackson

Em 1988, o rei do pop, Michael Jackson, lançou o videoclipe da música Smooth Criminal, que deixou os fãs perplexos com um passo de dança que desafiava totalmente as leis da gravidade ao final da canção.

Tal passo, no qual seu corpo e o de seus bailarinos se inclinavam cerca de 45 graus para a frente, inspirou a criação dos sapatos “antigravidade”, patenteados pelo próprio Jackson em 1996, e que depois foram usados nas turnês de seus shows.

Para tanto, ele entrou em contato com dois inventores que o ajudaram a desenhá-los e que funcionavam porque os saltos tinham um corte triangular e se prendiam a um pino que ficava no palco na hora do movimento. Assim, Jackson e os seus dançarinos podiam se inclinar para a frente em um ângulo impossível. De acordo com o texto da patente e imagens da Agência de Patentes dos EUA, dessa forma os sapatos permitem a inclinação, além do centro de gravidade, sem que a pessoa perca o equilíbrio.

15. O “sapatofone” do Agente 86

série Agente 86 estreou nos Estados Unidos em 1965, mas logo se popularizou no mundo todo. Parodiando filmes e séries de espionagem, tinha Don Adams como o protagonista Maxwell Smart, o agente 86, e Barbara Feldon como a agente 99, futura esposa do ator.

Os dois agentes recebiam inúmeras missões, mas a incompetência de Max Smart sempre causava problemas. Apesar disso, ele nunca falhava graças à ajuda da agente 99 e, mais importante, graças ao seu infalível sapatofone, um telefone avançado para a época, cujo formato era o de um sapato com um disco na sola.

O que poucos podiam imaginar é que este sapatofone acabaria inspirando um designer inglês a criar um semelhante, batizado de “Walkie Talkie”, que busca reutilizar celulares antigos dentro de um sapato. Com esse protótipo, ao receber uma ligação o usuário sente uma vibração no pé, tira o calçado e o leva ao ouvido para atendê-la.

16. Os sapatos de casamento de Bella Swan, desenhados por Manolo Blahnik

Uma das noivas mais lindas da telona foi Kristen Stewart, interpretando Bella, personagem de Crepúsculo, uma das sagas de vampiros mais românticas do cinema e da literatura. E um dos acessórios mais impressionantes do filme eram os sapatos do casamento, criados exclusivamente pelo designer espanhol Manolo Blahnik para a produção.

Posteriormente, os calçados foram colocados à venda nas cores preto, branco e azul, e, mais tarde também inspiraram a criação de réplicas por várias marcas, que podem ser adquiridas a preços muito mais em conta. Os originais foram vendidos no site da loja Neiman Marcus e se esgotaram rapidamente. Mas no eBay são oferecidos a um valor (com impostos) de aproximadamente 1.500 dólares.

Batizado de Swan, em homenagem ao personagem, o modelo tem a ponta arredondada, forro de cetim e aplicações refinadas de cristais. O luxuoso sapato tornou-se parte da coleção do estilista e continua arrancando suspiros das mulheres.

De qual desses modelos você mais gostou? Qual gostaria de ter no seu guarda-roupa? Já chegou a pagar uma soma significativa por um par de sapatos dos sonhos? Conte para a gente na seção de comentários.