15 Fatos sobre a Indonésia que podem soar bastante curiosos para os brasileiros

Conhecida por cenários cinematográficos e por ser o destino de milhares de turistas em todo o mundo, a Indonésia é um país cheio de mistérios, formado por diversas culturas antigas e influência de muitos outros países. Apesar disso, nem todo mundo sabe como esse arquipélago pode ser diferente, em muitos aspectos, da nossa cultura ocidental.

Nós, do Incrível.club, adoramos explorar novos lugares e conhecer hábitos e costumes que expandem a nossa percepção do mundo. Por isso, reunimos alguns fatos muito interessantes sobre a Indonésia. Confira aí!

1. É o maior país formado por ilhas, com mais de 17 mil

Apesar de ter o território fragmentado em várias ilhas, a Indonésia é o 16° país mais extenso do planeta, chegando a cerca de mais de 17 mil ilhas, já que o número certo é desconhecido. As principais são Java — a ilha mais populosa do mundo e onde fica a capital, Jacarta —, Bali, Bornéu, Nova Guiné, Sumatra e as Celebes. Mesmo com tanta terra, as fronteiras terrestres são apenas com Papua-Nova Guiné, Malásia e Timor-Leste. Além dessas, apenas uma estreita faixa de água separa a Indonésia de Austrália, Filipinas e Singapura.

2. Em Bali, os bebês não tocam o chão durante os primeiros três meses

Os bebês não tocam o chão durante os três primeiros meses, pois eles são considerados muito puros para ter contato com o solo. Assim, eles passam de mão em mão entre os parentes para evitar que sejam “contaminados”. Quando o período passa, há uma cerimônia na qual o recém-nascido é finalmente posto no chão.

Outra tradição local que envolve o nascimento é o Setra ari ari, que consiste em pendurar a placenta, dentro de cocos vazios, em árvores de um cemitério. A crença é que isso protegerá a criança contra certos males no futuro. Esse costume local atrai vários visitantes e foi classificado como Patrimônio Cultural Imaterial do país.

3. É o país com a menor estatura média do mundo

Os nativos da Indonésia estão em último lugar na comparação mundial de estatura, com uma média de 1,58 m, atrás da Bolívia e Filipinas. Só para constar, o primeiro lugar ficou para a Holanda, com média de 1,83 m. Esse traço genético pode ter relação com os antigos habitantes da ilha de Flores. Por lá, viviam pessoas com só 1 m de altura, apelidados de “hobbits” pelos pesquisadores. Sua espécie ainda é desconhecida, mas sabe-se que eles não eram Homo sapiens. Então, especula-se que seriam parentes do Homo erectus, que diminuíram após algumas gerações.

4. A Indonésia é o segundo país com maior nível de biodiversidade do mundo, depois do Brasil

Para ter uma ideia de quão grande é a biodiversidade da Indonésia, 60% do território é coberto por florestas. Nesse quesito, ela só fica atrás do nosso querido Brasil. Já em número de espécies endêmicas — que só existem por lá — o país também está em segundo lugar, depois da Austrália. Inclusive, a fauna e a flora da Indonésia são mais asiáticas ao oeste e australianas ao leste, afinal, as ilhas que a compõem já foram um dia unidas a esses dois lugares. Além disso, a Indonésia faz parte do Triângulo de Corais, região com a maior diversidade de animais de recifes de corais.

5. Não é comum usar chuveiro para tomar banho

Além de não usar chuveiro, geralmente, não há água quente disponível, o que pode ser um desafio na época de chuva. Os banheiros indonésios costumam ter um balde ou uma banheira, da qual se retira água usando uma concha, ou gayung, para tomar banho, escovar os dentes, se limpar e lavar o rosto e as mãos. É o famoso banho de cuia brasileiro, mas como norma e não exceção. Essa prática também é costume em países vizinhos, como Malásia, Filipinas, Brunei e Timor-Leste.

6. Na Indonésia é produzido o café mais caro do mundo

Kopi Luwak é considerado o café mais caro do mundo, podendo chegar a mil dólares o quilo. Para obtê-lo, os produtores contam com a participação da Civeta — um mamífero da família dos suricatos —, que tem papel importante no beneficiamento desse produto. O fruto desse café é digerido pelo animal e a semente é excretada em perfeito estado para ser resgatada, limpa e processada, tornando-se um ingrediente culinário de características únicas.

Por ser um processo lento e trabalhoso, o resultado é de, em média, 230 kg de café por ano, sendo essa a razão de seu alto valor de mercado. Baristas — que são os especialistas em café — descrevem o sabor da bebida como uma mistura de “suco de uva com chocolate”, menos amargo e menos ácido que os cafés tradicionais.

7. É o 4° país mais populoso e um dos mais jovens do mundo

Em quantidade de pessoas, a Indonésia só perde para China, Índia e para os Estados Unidos, com mais de 270 milhões de pessoas, isso representa 3,51% da população mundial. Essa grande população é formada por mais de 300 etnias nativas, das quais 42% são javaneses, o maior grupo. Apesar dessa diversidade, existe um forte reconhecimento nacional indonésio. Também, o país tem uma população jovem em comparação com os países ocidentais, com média de idade de 29,7 anos.

8. O Ano Novo por lá é Dia de Silêncio

Em muitos locais pelo mundo, o dia de Ano Novo é de muita festa e comemoração, mas na ilha de Bali esse é o chamado Nyepi ou Dia do Silêncio. Ele acontece em diferentes datas, de acordo com o calendário balinês, por exemplo, em 2021 o Nyepi caiu no dia 14 de março. Assim, a partir das 6 horas da manhã do último dia do ano, são 24 horas de puro jejum, silêncio, meditação e autorreflexão. Assim, tudo que possa perturbar o sossego é proibido, o que inclui manter as luzes baixas, não trabalhar nem se divertir, não viajar e, para certas pessoas, até não comer ou falar.

Nesse dia, as ruas ficam desertas e quase não se ouve ou vê algum movimento. Não é permitido ir à praia ou andar na rua sem um bom motivo, como é o caso de ambulâncias e socorristas. Apesar disso, no dia seguinte — chamado de Ngembak Geni (Reavivando o Fogo) — tudo volta ao normal e acontece um festival inusitado, o Omed-omedan. Nele, grupos de jovens solteiros se dividem e, após um sinal, correm de encontro uns aos outros e se beijam, enquanto outros jogam baldes de água neles. O festival se tornou um ponto de encontro de solteiros e muitos casais se formaram por lá.

9. É o lar de cerca de 400 vulcões

Indonésia fica bem em cima da divisão entre as placas tectônicas eurasiana e indo-australiana, onde uma se movimenta em direção à outra, uma região conhecida como Anel de Fogo do Pacífico. Nesse local, há mais de 450 vulcões e cerca de 147 estão na Indonésia, destes, 76 estão ativos. Alguns dos mais conhecidos são o Kelut, o Merapi e o Krakatoa, que teve uma das erupções mais famosas, em 1883, com efeitos em todo o mundo.

10. Na Indonésia fala-se mais de 700 idiomas e dialetos diferentes

Esse número revela que o país é o segundo com mais línguas (atrás apenas de Papua-Nova Guiné), sendo responsável por 10% dos idiomas falados no mundo. Nele, a média é de 3 línguas faladas por pessoa, mas o idioma oficial é o bahasa Indonesia, usado para a maioria da comunicação pública e que é ensinado nas escolas do país. Assim, cada região pode determinar um segundo idioma oficial, como em Java, onde o javanês é o mais usado junto com o indonésio.

11. Também, tem o maior templo budista do mundo

Em 1991, o templo budista Borobudur foi incluído na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO, sendo referenciado como o maior edifício desse tipo no mundo. Ele foi construído no século IX d.C. e abandonado por volta do ano 1300, sendo redescoberto em 1814. É formado por nove plataformas empilhadas, sendo seis quadradas e três circulares, com uma cúpula central acima. Além disso, a decoração é composta por 504 estátuas de Buda e 2.672 painéis em relevo. Assim, ele é um dos principais destinos do país e atrai milhares de turistas.

12. Em muitas partes do país, é bastante comum comer com as mãos

Geralmente, quando a comida é seca, usa-se a mão mesmo, mas se for um molho ou sopa, usa-se uma colher. Garfos e facas não são comuns nem em restaurantes, com certas exceções, pois as porções já vêm cortadas em pedaços menores. É normal ainda ter na mesa uma vasilha com água e fatias de limão, para que as pessoas façam uma pequena higiene.

Apesar do costume, não é qualquer mão que é usada para comer, pois é considerado falta de educação usar a mão esquerda para isso, o correto é passar a comida ou levá-la à boca com a mão direita ou as duas mãos. Isso serve também para apertos de mão, receber ou entregar algum objeto ou tocar em uma pessoa com a mão esquerda. É comum também que as refeições sejam servidas no chão e que se coma ali mesmo, sentado de modo que as solas dos pés não apareçam.

13. Indonésia e Mônaco têm, praticamente, a mesma bandeira

Esses dois símbolos nacionais são realmente bem parecidos e muitos julgam que são idênticos. A posição das duas listras horizontas, vermelhas e brancas é a mesma, porém, a de Mônaco é mais curta. Ambas têm vários séculos de criação e, mesmo assim, ainda há outras “cópias” por aí. A bandeira da Polônia e a de Singapura são bastante similares, diferenciando-se pela ordem das listras e uma lua com estrelas, respectivamente.

14. Muitos indonésios se casam e ainda moram com os pais

família tem um papel muito forte na cultura indonésia, por isso é comum que os jovens peçam aconselhamento dos mais velhos ou mesmo continuem a cuidar deles após constituírem seu próprio núcleo. Por lá, independentemente da idade, a pessoa será sempre o filho de seus pais e mantém o respeito para com eles. Assim, normalmente, as famílias demonstram bastante afeto uns com os outros e reuniões de parentes são comuns, sendo também importante ser um membro ativo da comunidade.

15. Encostar a testa na mão de uma pessoa mais velha é sinal de respeito

Esse costume está relacionado ao tema anterior, o respeito pelos mais velhos. Assim, a reverência aos mais vividos é constante na cultura da Indonésia e pode ser feita encostando a testa, ou a ponta do nariz, nas costas da mão da pessoa mais velha. Esse gesto é chamado de salim e é comum em diversos países da Ásia, onde pode ser conhecido como mano po. Esse cumprimento é parecido com o beija-mão que nossos antepassados faziam — e que algumas pessoas ainda fazem — ao pedir a benção dos mais velhos.

E você, já pensou em ir à Indonésia? Qual foi o costume mais estranho que já presenciou na sua região? Deixe seu comentário!

Compartilhar este artigo