Incrível

15+ Curiosidades de “Tom & Jerry” para celebrar seus 80 anos

4-1-
16k

Todos conhecemos a clássica série de desenhos animados Tom & Jerry. Mas quanto realmente sabemos sobre esses personagens? Você sabia, por exemplo, que muitos de seus episódios foram censurados, editados e alguns até banidos por completo? Ou que o simpático ratinho foi criado para “competir” com o Mickey Mouse? Ou ainda que seus nomes originais não eram “Tom” e “Jerry”?

Para comemorar os 80 anos do lançamento do desenho, o Incrível.club criou um post especial sobre a história desses “inimigos inseparáveis”. No final, preparamos um bônus que antecipa um retorno que dará o que falar. Aproveite.

1. Puss get the boot (Um bichano em maus lençóis)

William Hanna e Joseph Barbera (dupla que ficou conhecida como Hanna-Barbera e da qual trataremos mais adiante) apresentaram seus personagens em 1940, no curta-metragem “Puss Gets The Boot”. Lançado em 10 de fevereiro pela Metro-Goldwyn-Mayer e indicado ao Oscar de Melhor Curta de Animação em 1941, foi o primeiro episódio dos 164 que a série viria a ter.

2. Jasper e Jinx

No primeiro filme, Tom & Jerry não tinham os nomes de hoje: chamavam-se Jasper e Jinx. Já no segundo curta, no entanto, eles aparecem com seus atuais nomes. Ambos foram escolhidos pelo animador John Carr, que foi convocado, junto com outros funcionários do estúdio da MGM, para sugerir os nomes definitivos dos protagonistas da animação. Ele venceu a “competição” e recebeu 50 dólares como recompensa.

3. A rivalidade com Mickey

O desenho, que nasceu para “competir” com o Mickey Mouse, não foi a primeira tentativa de Hanna e Barbera. Na verdade, foi o primeiro acerto depois de uma série de testes anteriores que haviam sido um fracasso. A dupla não conseguia dar forma às ideias que seus chefes pediam e seu trabalho perdia sistematicamente em popularidade para o ratinho da Disney. O primeiro episódio não inspirou confiança ou foi elogiado pelo estúdio. Mas, após algum tempo, um produtor influente enviou uma carta perguntando quando o segundo seria lançado. Embora o desenho nunca tenha superado Mickey Mouse, a verdade é que ganhou relevância e será sempre lembrado como um clássico da animação que fez — e faz até hoje — um enorme sucesso.

4. Hanna-Barbera Productions

Os sucessos de Hanna e Barbera continuaram além da MGM. Quando o estúdio de animação da empresa foi fechado em 1957, eles fundaram sua própria produtora, a Hanna-Barbera Productions, responsável por clássicos inesquecíveis como Manda Chuva, Corrida Maluca, A Formiga-Atômica, Os Flintstones, Zé Colmeia, Os Jetsons, Scooby DooOs Smurfs, entre muitos outros.

5. Para o bom entendedor, meia palavra basta

No geral, nem Tom nem Jerry falam nos curtas, exceto no episódio 10, “O rato solitário”, em que os dois dialogam. Mas na maioria das vezes, eles apenas usam a voz para expressar gritos de alegria ou dor — geralmente de Tom, que quase sempre se dá mal. Os sons eram gravados com a voz de seu próprio criador, William Hanna.

6. Tommies e Jerries

Há quem diga que os nomes dos protagonistas são uma referência à Primeira Guerra Mundial, quando os soldados britânicos eram chamados de Tommies e os alemães, de Jerries. Mas essa suposta ligação nunca foi confirmada pelos criadores.

7. O gato azul

O nome completo de Tom é “Tom Cat”, derivado de tomcat, termo usado para identificar gatos machos. Devido à cor de sua pelagem, cinza-azulada ou azul-acinzentada (dependendo do curta-metragem), Tom poderia ser considerado um gato da raça Azul Russo.

8. Tudo muda

Ao contrário de Jerry, cuja aparência permanece bastante estável ao longo dos anos, a aparência e a personalidade de Tom têm mudado consideravelmente. No início, ele andava sobre quatro patas (como ocorre com qualquer gato) e se comportava exatamente como um felino. Mas, com o tempo, passou a andar sobre duas patas e a ter atitudes e pensamentos humanos, sentindo culpa e se arrependendo de algumas ações contra Jerry. Em alguns episódios, Tom chegou a ficar deprimido.

9. Tom & Jerry no tapete vermelho

Nada menos que 13 produções de Tom & Jerry foram indicadas ao Oscar de melhor curta de animação, sendo que sete foram vencedoras. Uma das explicações é o fato de que os filmes de Tom & Jerry são considerados muito valiosos por sua música, especialmente criada pelo diretor musical Scott Bradley. Além disso, a animação era desenhada à mão e possui fundos detalhados. Cada episódio dessa aventura levava semanas para ser concluído e custava até 50.000 dólares.

10. Muitas mãos em um estúdio

Os episódios de Tom & Jerry nem sempre estiveram a cargo ​da famosa dupla Hanna-Barbera. Em 1960, depois de uma parada, a MGM decidiu voltar a produzir os curtas do gato e do rato e, para isso, contratou o diretor Gene Deitch. Esses curtas, 13 no total, foram produzidos em Praga (na República Tcheca ou Tchéquia) e são considerados os piores da história da série: expressões confusas, pouca música, muitos efeitos sonoros, somados a um orçamento apertado e a uma equipe que nunca havia visto os desenhos parecem ter empurrado para tal fracasso.

Três anos depois, a MGM contratou o diretor norte-americano Chuck Jones, que havia participado da criação de personagens famosos como Pernalonga, Papa-Léguas e Patolino. No entanto, esses episódios (34 no total) também não foram bem recebidos pelos críticos: talvez a falta de enredo e a mudança na aparência dos personagens (Tom era mais gordo e tinha sobrancelhas diferentes, e os olhos e orelhas de Jerry eram maiores e sua expressão, mais doce) tenham feito o público não reconhecer neles os autênticos Tom & Jerry.

11. Melhores inimigos

Em 1975, o desenho animado passou a ser produzido novamente por seus criadores, Hanna e Barbera, em associação com a MGM Television. Foram 38 curtas de sete minutos, transmitidos na TV nas manhãs de sábado por dois anos. Talvez por conta das regras mais rígidas em relação à violência em programas infantis, nessa nova “temporada” os dois voltaram como amigos, viajando pelo mundo e participando de competições esportivas. No entanto, essa versão mais “light” não teve o mesmo sucesso daquelas em que o gato e o rato não eram exatamente “amigos”. Aparentemente, o público os preferia como adversários.

12. O rugido do gato

No período de Chuck Jones, a imagem de apresentação do desenho animado também foi modificada: o conhecido leão da MGM foi substituído por Tom tentando imitar seu rugido.

13. Mammy Two Shoes (Mamãe Dois Sapatos)

O desenho tem um longo histórico de críticas por suas cenas de violência e vários de seus episódios foram considerados racistas. Por esse motivo, alguns deles foram cortados, editados e até censurados. O personagem Mammy Two Shoes, uma afro-americana com um sotaque sulista exagerado, frequentemente vista da cintura para baixo, foi considerado uma caricatura racial ofensiva. Mammy era uma empregada doméstica que aparentemente ficava no comando da casa quando os donos saíam e sempre acabava punindo Tom e deixando o rato impune.

Na década de 1960, quando os episódios originais foram transmitidos na televisão sob a supervisão de Chuck Jones, esse personagem foi editado (como uma mulher semelhante, porém de pele mais clara ou outra diferente: branca, esbelta e com sotaque irlandês). Em outros casos, os desenhos em que a empregada aparecia foram diretamente censurados. Em 1980, Mammy Two Shoes retornou ao seu desenho original, embora sua voz tenha sido regravada, nesse caso, sem o típico sotaque sulista afro-americano.

14. O lado obscuro de Tom & Jerry

Tom & Jerry é a série com o maior número de ações violentas por minuto. Os personagens se esforçam para se livrar um do outro de qualquer maneira: rifles, machados, facas, fogo e bombas fazem parte de sua rotina. Em 2006, dois curtas-metragens, de 1949 e 1950, em que aparecem fumando, foram censurados na Inglaterra. Atualmente os episódios considerados mais violentos não são transmitidos.

15. Blue Cat Blue (Azul gato azul)

Em 16 de novembro de 1956, Hanna e Barbera lançaram um curta chamado Blue Cat Blue, que gerou polêmica entre o público. Nele, o gato e o rato, deprimidos por ​​relacionamentos amorosos fracassados, sentam-se nos trilhos de uma ferrovia — o que sugere que tentariam tirar a própria vida. O episódio termina com o barulho da máquina, dando a entender que isso, de fato, ocorreu. O diretor foi obrigado a editar o curta, considerando que a cena poderia ter um impacto negativo nas crianças — essa reação dos personagens a um fracasso no amor não seria um bom exemplo para elas.

16. Fama que resiste ao tempo

Em 2000, Tom & Jerry foi escolhido um dos melhores programas de televisão de todos os tempos pela revista Time. Até hoje, após 80 anos de sua primeira aparição, a imagem desses companheiros, tão inimigos como necessários um para o outro, continua sendo um ícone cultural para jovens e adultos. A imagem dos personagens ainda hoje é usada para estampar diversos produtos, sendo, portanto, uma marca poderosa. Os episódios ainda são transmitidos para todo o mundo e seu aplicativo na China tem atualmente mais de 100 milhões de usuários.

Bônus: Tom & Jerry voltam ao cinema

Em dezembro de 2020, Tom & Jerry voltarão à tela grande com um novo filme. A partir disso, temos mais algumas informações:

  • Sua estreia foi antecipada (estava planejada para abril de 2021).

  • O que originalmente seria um filme 100% animação transformou-se em um híbrido, em que Tom & Jerry convivem com pessoas reais, como a atriz Chloë Grace Moretz.

  • O lançamento ficará a cargo da Warner Bros., que atualmente detém os direitos do desenho animado, e será dirigido por Tim Story.

  • Alguns dados da história: Chloë Grace Moretz será a funcionária de um hotel que precisará tirar Jerry de lá. Para ajudar na “missão”, ela procura um gato de rua, ninguém mais ninguém menos que Tom. Será que o gato finalmente conseguirá pegar o rato, colocando um ponto final em 80 anos de perseguições?

Você conhece algum episódio em que a persistência de Tom finalmente supera a astúcia de Jerry? Conte-nos qual é ou nos dê alguma dica!

4-1-
16k